chuva de críticas

Silveira critica Romeu Zema em aumento da dívida e vacinação de MG

O ministro Alexandre Silveira, criticou a gestão do governador de Minas Gerais, Romeu Zema, pelo novo aumento da dívida do Estado com a União

acessibilidade:
O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira (PSD), criticou a gestão do governador de Minas Gerais, Romeu Zema, pelo novo aumento da dívida do Estado com a União nos últimos 5 anos. (Foto: Bruno Spada/Ag Camara).

O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira (PSD), criticou a gestão do governador de Minas Gerais, Romeu Zema, pelo novo aumento da dívida do Estado com a União nos últimos 5 anos. O ministro elogiou o trabalho de renegociação junto ao governo federal que vem sendo feito pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), apontado como possível candidato ao governo mineiro em 2026. 

Nesta quinta-feira (08), no evento de anúncio de investimentos em Minas Gerais realizado na capital, Belo Horizonte, o ministro disse que a dívida do Estado aumentou 50% desde de 2019, quando Zema tomou posse. O governador estava no palco ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. 

“Nesses mesmos 5 anos, nenhum centavo dessa dívida foi pago à União, uma triste realidade. Ainda bem que vamos encontrar a solução para essa calamidade, graças à liderança, sensibilidade humana e política do senhor (Lula)”, disse Alexandre Silveira .

Silveira cobrou que seja encontrada uma solução para o pagamento da dívida que não transfira “o ônus para os funcionários públicos já tão sacrificados como estão querendo”, mais uma vez em referência ao governo Zema. “Precisamos de união para que essa conta não recaia sobre quem não tem culpa, os funcionários e trabalhadores do Estado”.

Assim como Pacheco, defende junto ao governo Lula a federalização de estatais mineiras, como a Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais) e a Copasa (Companhia de Saneamento de Minas Gerais), para reduzir o valor da dívida a pagar à União. A ideia, com isso, era evitar a privatização dessas companhias, defendida pelo governo Zema.

E elogiou o trabalho liderado pelo presidente do Senado. “Ele tem demonstrado e liderado, junto às bancadas de Minas em Brasília e na Assembleia, um processo que pode ajudar a recolocar Minas Gerais nos trilhos de verdade. Pacheco tem demonstrado que o diálogo, a união, o equilíbrio e a transparência são sempre os melhores caminhos”, afirmou.

 

Mais críticas

E criticando ainda mais Zema, Silveira defendeu a vacinação de todas as pessoas. No domingo, o governador mineiro disse que as vacinas não serão obrigatórias para os alunos do Estado, que poderão escolher se querem ser imunizados e frequentar as escolas normalmente sem a vacinação. 

O ministro de Minas e Energia defendeu a vacinação das crianças e elogiou o trabalho da colega Nísia Trindade (Saúde) que tem sido criticada pela oposição. “Ministra Nísia, quero parabenizá-la não somente pela gestão, mas pela defesa e trabalho árduo para vacinar o povo brasileiro, em especial as nossas crianças. Porque democratizar a ciência é sinônimo de preservar a vida. Isso, ministra, que vai evitar números alarmantes como esses que estamos vivendo aqui em Minas, uma verdadeira epidemia de dengue. Bora vacinar todo mundo, viu, gente? Vacina salva vidas”, disse.

Reportar Erro