cpi da pandemia

Carmén Lúcia determina à CPI sigilo sobre os dados de Ricardo Barros

Somente o presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito, Omar Aziz, terá acesso aos dados de Barros

acessibilidade:
Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo na Câmara dos Deputados - Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil.

A ministra do Supremo Tribunal Federal Carmén Lúcia decidiu, neste sábado (28), que as informações sobre o deputado Ricardo Barris (PP-PR) sejam acessadas somente pelo presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, o senador Omar Aziz (PSD-AM).

A determinação impõe que demais senadores integrantes da CPI requeiram formalmente e “com motivação idônea” os dados sobre o parlamentar que está sendo investigado pela comissão.

A defesa de Ricardo Barros alegou vazamento de dados pela CPI e pediu abertura de inquérito para averiguar a denúncia, mas foi negada pela ministra.

Carmén Lúcia havia negado, no último dia 23, a Barros a suspensão das quebras de sigilo telefônico, fiscal e bancário. Também foram motivados pelo suposto vazamento de informações pelos membros da comissão de inquérito.