24/05/2019

Justiça eleitoral cancela 2,4 milhões de títulos de eleitor

Situação eleitoral

Justiça eleitoral cancela 2,4 milhões de títulos de eleitor

Eleitores não compareceram às três últimas eleições

A Justiça Eleitoral cancelou 2.486.495 títulos de eleitores em todo o país e no exterior, por ausência nas três últimas eleições consecutivas. As informações foram divulgadas nesta sexta-feira (24) e podem ser acessadas na página do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na área Serviços ao Eleitor – Situação eleitoral – consulta por nome ou título. O eleitor também pode comparecer a qualquer cartório eleitoral com um documento de identificação com foto. A maioria dos títulos cancelados está na Região Sudeste (1.247.066), seguido do Nordeste (412.652), Sul (292.656), Norte (252.108), Centro-Oeste (207.213) e 74.800 de eleitores residentes no exterior. Segundo o TSE, cada turno é contabilizado como uma eleição. O estado de São Paulo lidera o número de cancelamentos, com 674.500 títulos cancelados; seguido do Rio de Janeiro, com 299.121; de Minas Gerais, com 226.761; do Rio Grande do Sul, com 120.190; do Paraná, com 107.815; e de Goiás, com 96.813. Entre as capitais, a cidade de São Paulo (SP) também encabeça o ranking, com 199.136 documentos cancelados. Em seguida, estão o Rio de Janeiro (RJ), com 126.251; Goiânia (GO), com 39.841; Manaus (AM), com 36.372; Curitiba (PR), com 35.539; e Brasília (DF), com 35.063. A cidade de Belém, capital do Pará, teve apenas 12 títulos de eleitor cancelados. Regularização Quem teve o título cancelado deverá pagar uma multa no valor de R$ 3,51 por turno faltante. Em seguida, poderá fazer a regularização da sua situação no seu cartório eleitoral, levando documento de identificação oficial original com foto, comprovante de residência e o título, se ainda o possuir. A regularização do título eleitoral cancelado somente será possível se não houver nenhuma circunstância que impeça a quitação eleitoral, como omissão de prestação de contas de campanha e perda ou suspensão de direitos políticos, por exemplo. Irregularidade O eleitor que teve o documento cancelado poderá ser impedido de obter passaporte ou carteira de identidade, receber salários de função ou emprego público e contrair empréstimos em qualquer estabelecimento de crédito mantido pelo governo. A irregularidade também pode gerar dificuldades para inscrição, investidura e nomeação em concurso público; renovação de matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo; e obtenção de certidão de quitação eleitoral ou qualquer documento perante repartições diplomáticas a que estiver subordinado, entre outras.(ABr)
24/05/2019

Ministro se reúne com vencedores do Prêmio Professores do Brasil 2018

Café da manhã

Ministro se reúne com vencedores do Prêmio Professores do Brasil 2018

O grupo formado por cerca de 30 professores seguirá rumo às cidades de Quebec e Ottawa, no Canadá

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, se reunirá em um café da manhã com docentes de todo o País, vencedores do Prêmio Professores do Brasil de 2018, no próximo sábado, 25, em São Paulo, às 9 horas. O grupo formado por cerca de 30 professores seguirá rumo às cidades de Quebec e Ottawa, no Canadá. A oportunidade é fruto de uma parceria do Prêmio com o colégio Colleges and Institutes Canada (CICan), na qual os docentes vão trocar experiências e fazer uma imersão na educação e na cultura local. A viagem e todos os custos serão por conta da instituição parceira. Prêmio O Prêmio Professores do Brasil é uma iniciativa do Ministério da Educação com instituições parceiras para valorizar, reconhecer, divulgar e premiar o trabalho de professores de escolas públicas que contribuam para a melhoria dos processos de ensino e aprendizagem desenvolvidos nas salas de aula.
24/05/2019

MP que permite AGU defender agentes de segurança aguarda votação no Congresso

Ministério da Justiça

MP que permite AGU defender agentes de segurança aguarda votação no Congresso

O dispositivo autoriza a instituição a representar agentes públicos que respondem por atos praticados no exercício do cargo

Além da reforma administrativa, o Congresso Nacional precisa aprovar até 3 de junho a Medida Provisória 872, que atribui à Advocacia-Geral da União (AGU) a representação judicial de agentes de segurança do Ministério da Justiça investigados ou processados. De acordo com a MP, a atuação é necessária para conferir segurança jurídica a ações operacionais que venham a ser questionadas em inquéritos e nos tribunais. A representação da AGU prevista na MP 872 tem amparo no artigo 22 da Lei nº Lei nº 9.028/1995. O dispositivo autoriza a instituição a representar agentes públicos que respondem por atos praticados no exercício do cargo, do Presidente da República a membros do Ministério Público, além de servidores efetivos em funções de chefia. A MP delimita a representação aos integrantes da Secretaria Nacional de Segurança Pública, incluídos os da Força Nacional de Segurança Pública, os da Secretaria de Operações Integradas e os do Departamento Penitenciário Nacional. A Defensoria Pública da União também pode ser acionada caso o agente comprove não possuir recursos para a própria defesa.
24/05/2019

Banco do Nordeste terá mais R$ 4 bilhões do FNE para aplicar na Região

BNB

Banco do Nordeste terá mais R$ 4 bilhões do FNE para aplicar na Região

Com o reforço, a região Nordeste, norte de Minas Gerais e norte do Espírito Santo passam a contar com R$ 27,7 bilhões do Fundo

Durante a 25ª reunião do Conselho Deliberativo da Sudene, na manhã desta sexta-feira (24), em Recife, com a presença do presidente da República Jair Bolsonaro, o ministro do Desenvolvimento Regional Gustavo Canuto anunciou o aporte de mais R$ 4 bilhões para o orçamento do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), operado exclusivamente pelo Banco do Nordeste. Com o reforço, a região Nordeste, norte de Minas Gerais e norte do Espírito Santo passam a contar com R$ 27,7 bilhões do Fundo destinados este ano pelo BNB a impulsionar o desenvolvimento de sua área de atuação, por meio de financiamentos a negócios de todos os portes e segmentos, além de projetos de infraestrutura. O ministro Gustavo Canuto realçou que os recursos são oriundos de reembolsos de financiamentos do Banco e destacou a eficiência administrativa da empresa, com mais de 100% de aplicação adicional no ano em 2018 em relação a 2017. No evento, o presidente do Banco, Romildo Rolim, apresentou o Relatório de Resultados e Impactos do FNE. “Em 2018 obtivemos um resultado histórico para o Banco. Cumprimos toda a programação orçamentária do Fundo Constitucional, distribuindo as aplicações no agronegócio, indústria, comércio, serviços e infraestrutura, em todos os portes”, frisou Rolim. Outra novidade apresentada no colegiado foi a nova linha de financiamento do Banco, chamada FNE Crediamigo, para a qual está sendo direcionado R$ 1 bilhão. A linha, com limite de até R$ 21 mil, utilizará  recursos do fundo constitucional, que oferece juros mais baixos do que os praticados no mercado. O novo produto terá acesso individualizado e tem por objetivo  financiar clientes do programa de microcrédito do Banco, o Crediamigo, valendo-se de toda a experiência e trajetória vivenciadas na metodologia do Programa ao longo dos últimos 21 anos. A linha de crédito nasce como incentivo do Governo Federal, via BNB, para a formalização de pequenos empreendedores, sendo acessível a empreendedores individuais (EIs) e microempreendedores individuais (MEIs). O FNE Crediamigo atenderá às necessidades financeiras de empreendimentos formais enquadrados no Programa Nacional de Microcrédito Produtivo Orientado (PNMPO), dos setores industrial, comercial e de prestação de serviços. Os recursos poderão ser utilizados na aquisição de máquinas e equipamentos, reformas e assistência técnica de instalações físicas e de equipamentos de tecnologia para inovação do empreendimento, além de pagamento de cursos de capacitação. Estima-se que a nova linha de crédito alcance um montante de contratações da ordem de R$ 1 bilhão, nos próximos quatro anos. A expectativa é beneficiar 150 mil microempreendedores, com contratos no valor médio de R$ 6,6 mil, viabilizado pela parceria promissora entre o maior programa de microcrédito da América do Sul (Crediamigo) e o maior fundo constitucional de desenvolvimento do Brasil (FNE). Além do FNE Crediamigo, voltado para pequenos negócios formais, o Banco do Nordeste continua operando seus programas tradicionais de microcrédito produtivo e orientado, em toda sua área de atuação:  o Crediamigo,  líder e referência internacional, e do Agroamigo, que trabalha a metodologia no meio rural. O microcrédito produtivo orientado está baseado em metodologia que combina acompanhamento presencial à agilidade no processo de liberação do crédito, adoção de garantias diferenciadas, e outros elementos da gestão do crédito, que garantem baixo índice de inadimplência e resultados positivos nas diversas atividades econômicas, especialmente, na geração de renda dos empreendedores.
24/05/2019

Não há como afirmar quando talude em Barão de Cocais cederá, diz Defesa Civil

Vida em aflição

Não há como afirmar quando talude em Barão de Cocais cederá, diz Defesa Civil

Cidade mineira vive tensão com risco de rompimento de barragem

O coordenador adjunto da Defesa Civil de Minas Gerais, tenente-coronel Flávio Godinho, disse hoje (23), em Barão de Cocais (MG), que não há como prever, com total segurança, quando o talude da mina de Gongo Soco cederá e, principalmente, se o desmoronamento do paredão causará o rompimento da barragem Sul Superior da mina. “O talude pode ceder amanhã? Pode. Como também pode não se romper. Ele pode ceder depois de amanhã, daqui a uma semana”, disse Godinho. Segundo ele, as informações contidas nos documentos da própria Vale, empresa mineradora dona da mina de Gongo Soco, que o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) tornou pública no último dia 16 são “projeções” que apontam para a possibilidade de o talude ceder até amanhã (25) e a barragem se romper. “Amanhã (25), acho que todo mundo vai ficar vendo se o talude cairá. E se não acontecer? Já falamos qual é a situação, que o talude corre risco, que não há certeza de que a barragem vá se romper e que todas as ações para mitigar o problema já foram adotadas. Não há um estudo técnico para dizer quando ele vai ceder. A projeção é que até amanhã ele venha a se romper, mas acreditamos que, se o talude se romper, o carreamento [do material] pode se deslocar para o interior da cava e se integrar ao ambiente”, disse. Taludes são planos de terreno inclinados, espécies de paredões que cercam a chamada cava da mina a fim de garantir a estabilidade do terreno escavado, e cuja queda pode provocar o rompimento de uma barragem, seja por atingi-la, seja por vibração no terreno. No caso da mina de Gongo Soco, a barragem Sul Superior está a pouco mais de 1 quilômetro de distância do talude que ameaça ruir. De acordo com Godinho, o monitoramento da movimentação do talude indica que, só esta manhã (24), ela se movimentou mais 12 centímetros. Este deslocamento do talude vem sendo observado desde abril. “Continuamos o monitorando, mas vale lembrar que não há nenhum estudo técnico que afirme que, caso o talude ceda, a barragem vá se romper”, enfatizou o coordenador adjunto da Defesa Civil. Pior cenário No último dia 17, ao anunciar a interdição e a suspensão das atividades do complexo minerário, o diretor da Agência Nacional de Mineração (ANM), Eduardo Leão, declarou que o talude de Gongo Soco certamente desmoronará. “Isso é um fato”, disse Leão, ao explicar que, até que o talude ceda, apenas operações seguras para tentar recuperar a estabilidade das estruturas poderiam ser realizadas. “O que estamos fazendo agora é minimizando os riscos, evitando que pessoas transitem dentro da cava ou que sejam atingidas.” Já o coordenador adjunto da Defesa Civil de Minas Gerais, Flávio Godinho, afirmou, hoje (24), que, ao traçar os planos de emergência e realizar simulados com a população, a Defesa Civil procura imaginar o pior cenário possível a fim de tentar prevenir todas as situações e, assim, fazer um trabalho preventivo que permita às pessoas saberem exatamente o que fazer e para onde se dirigir em caso de acidentes. Segundo o coordenador, isto acaba estressando os moradores da cidade, que tendem a esperar o pior. “Sabemos que este é um momento de tristeza e angústia. E a cada vez que as informações ruins são potencializadas, isto traz uma certa angústia e temor para a comunidade”, disse Godinho. “Estamos aqui com todo efetivo e ações para dar segurança à população. Desde o primeiro momento, a Defesa Civil vem trabalhando com o pior cenário possível para poder fazer um trabalho preventivo que permita a todas as pessoas poderem saber quais os locais de risco”, acrescentou, garantindo que o plano de emergência prevê ações para, se necessário, remover pessoas idosas e com necessidades especiais, além de ações para garantir o abastecimento de água e o fornecimento de energia elétrica. De acordo com Godinho, no pior cenário imaginável, que seria o rompimento da barragem e o vazamento de todo o material armazenado na cava, a massa de rejeitos percorreria cerca de 40 quilômetros, demorando aproximadamente 1 hora e 12 minutos para atingir a primeira casa em Barão de Cocais; 2 horas e 36 minutos a área rural da vizinha Santa Bárbara, e 8 horas para chegar ao município de São Gonçalo do Rio Abaixo. A literatura técnica, no entanto, aponta que, em caso de rompimento de barragem, o volume de material que vaza da barragem não ultrapassa 73% do volume total, o que reduz a distância que os rejeitos atingem e a velocidade com que a percorrem. “Se o talude cair no interior da cava e não houver nenhuma consequência para a comunidade, não será preciso falar em acionamento do plano de emergência. Já se o talude cair dentro da cava e gerar uma vibração e o rompimento da barragem, todos os órgãos serão imediatamente acionados para dar todo o apoio à população”, garantiu Godinho. (ABr)
24/05/2019

Presidente Bolsonaro entrega 472 apartamentos do Minha Casa, Minha Vida

Em Petrolina

Presidente Bolsonaro entrega 472 apartamentos do Minha Casa, Minha Vida

Bolsonaro disse ainda que é o presidente de todos os brasileiros e agradeceu o apoio dos nordestinos

O presidente Jair Bolsonaro participou, hoje (24), da cerimônia de entrega de 472 imóveis em um conjunto habitacional do programa Minha Casa, Minha Vida, em Petrolina (PE), que servirão de moradia própria para cerca de 2 mil pessoas. Foi a primeira viagem do presidente ao Nordeste desde que tomou posse. Pela manhã, ele se reuniu com os governadores da região no Recife. “Não há recompensa maior do que estar entre amigos. Pode ter certeza, meu coração é pernambucano”, disse Bolsonaro durante discurso após a entrega das chaves aos novos moradores. O presidente lembrou da sua trajetória até a Presidência da República e disse que assumiu o poder em meio a “uma crise ética, moral e econômica”. “Nós chegamos para mudar o destino do nosso Brasil. Deixamos de lado o populismo e as promessas vazias. Fazer a coisa certa na política não é fácil, mas nós seguiremos esse nosso objetivo”, afirmou. Bolsonaro disse ainda que é o presidente de todos os brasileiros e agradeceu o apoio dos nordestinos. “Eu não estou no Nordeste, eu estou no Brasil. O Brasil é a nossa pátria, o Brasil é uma só região, um só povo e uma só raça”. Continuidade O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, garantiu a continuidade do Minha Casa, Minha Vida em meio a especulações sobre mudanças que o governo pretende fazer no programa. “Este governo não vai interromper o programa da habitação social. Saibam disso. Já foram investidos R$ 11,6 bilhões só na gestão do presidente [Bolsonaro], só em 2019. São 87.636 unidades. Só em Pernambuco são mais de 3 mil unidades, mais de R$ 393 milhões”, disse. O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, que opera os financiamentos do programa habitacional, também assegurou a continuidade dos projetos e prometeu inaugurar obras de forma regular. “A cada duas semanas nós vamos inaugurar um evento como esse”, disse. O governador de Pernambuco, Paulo Câmara, falou sobre importância do programa Minha Casa, Minha Vida para o estado e para o Nordeste, e ressaltou a elaboração, pelo governo federal, de um plano de desenvolvimento para a região. “O novo plano de desenvolvimento da Região Nordeste é um plano que pode dar caminhos para que o Nordeste diminua suas desigualdades”, disse.(ABr)
24/05/2019

BMW Motorrad selecionará brasileiros para participar de competição internacional

Diário Motor

BMW Motorrad selecionará brasileiros para participar de competição internacional

A 7ª edição da GS Trophy International será realizada em 2020 na Nova Zelândia

A BMW Motorrad fará quatro qualificatórias para a sétima edição do GS Trophy International, competição voltada para pilotos amadores, clientes e entusiastas da marca. A etapa final será realizada em fevereiro de 2020 na Nova Zelândia. As provas avaliarão as habilidades individuais e em grupo dos competidores e a capacidade off-road de pilotagem. A fase classificatória brasileira será disputada em quatro etapas, sendo a primeira em Cabreúva (SP), entre os dias 15 e 16 de junho. A segunda ocorre nos dias 3 e 4 de agosto em Pirenópolis (GO). A terceira está marcada para 24 e 25, também de agosto, em Urubici, interior de Santa Catarina. A última, e mais importante, etapa será realizada em nos dias 14 e 15 de setembro em Socorro, interior de São Paulo. Os 30 competidores que obtiverem as maiores pontuações de cada etapa estarão automaticamente classificados para a fase final. Nela será definida a equipe que representará o Brasil na sétima edição do BMW Motorrad GS Trophy. Para participar, não é necessário ser cliente da BMW, mas é preciso ter uma motocicleta para uso off-road. O participante irá utilizar a própria moto. Será cobrado uma taxa de inscrição, ainda a ser definida. Quem tiver interesse, poderá se cadastrar para receber as informações da competição no site da GS Trophy. A fase qualificatória nacional também prevê uma equipe formada exclusivamente por mulheres. As três melhores de cada etapa, independentemente do resultado geral, participarão da etapa classificatória final, em setembro. E, as duas mais bem classificadas, competirão na classificatória feminina internacional, a ser realizada no último trimestre deste ano, na Espanha.
24/05/2019

Casos de estupro e furto aumentam no estado de São Paulo em abril

Insegurança pública

Casos de estupro e furto aumentam no estado de São Paulo em abril

O trabalho realizado pelas três polícias estaduais resultou em 17.522 prisões realizadas ao longo do quarto mês deste ano

Os furtos no estado de São Paulo aumentaram 8,4% em abril, chegando a 44.596 casos registrados. Já os furtos de veículos caíram 7,8%, passando de 8.436 para 7.780, de acordo com os dados divulgados mensalmente pela Secretaria de Segurança Pública do estado. Houve aumento ainda nos casos de estupro (6,4%), que passaram de 957 para 1.018. A quantidade de casos de homicídios dolosos subiu 1,2%, passando de 252 para 255 boletins de ocorrência na comparação mensal. Apesar da alta nos casos, o indicador de vítimas recuou 3,3%, passando 271 para 262. Os dados divulgados hoje (24) também indicam redução de 8,8% dos roubos em geral em relação ao mês de abril de 2018, quando o total foi de 22.772. Em abril deste ano, foram 20.788. Os roubos de carga recuaram 20,6% em abril, passando de 768 para 610. Os roubos a banco reduziram de três para um na comparação do quarto mês (66,7%). Os casos de roubos de veículos apresentaram redução de 17,6%, de 4.941 para 4.069. O total de latrocínios caiu 40,7% em abril, passando de 27 para 16 casos. Já o indicador de vítimas recuou 42,9%, de 28 para 16. As extorsões mediante sequestro caíram 33,3%, passando de três para dois. O trabalho realizado pelas três polícias estaduais resultou em 17.522 prisões realizadas ao longo do quarto mês deste ano. No mesmo período, 1.156 armas de fogos foram retiradas das ruas e 4.082 flagrantes de tráfico de drogas foram registrados. (ABr)
24/05/2019

Com ou sem o Guedes, vai ter reforma da Previdência, diz presidente da comissão especial

Presidente da comissão

Com ou sem o Guedes, vai ter reforma da Previdência, diz presidente da comissão especial

Presidente da comissão diz que ameaça do ministro 'cheira a chantagem'

O presidente da comissão especial da reforma da Previdência, Marcelo Ramos (PR-AM), disse que, com ou sem o ministro Paulo Guedes (Economia) no governo, a proposta para endurecer as regras de aposentadorias vai ser aprovada. Em entrevista à revista Veja, Guedes declarou que irá renunciar ao cargo se o projeto pretendido pelo governo virar uma “reforminha”. Ramos e o relator da proposta, Samuel Moreira (PSDB-SP), avaliam que a declaração do ministro não tem efeito sobre o Congresso. “A Câmara tem compromisso com a reforma independente desse discurso [de Guedes] que beira a chantagem. Ele é importante, mas, com ele ou sem ele, vai ter reforma”, disse o presidente da comissão. Os dois deputados acreditam que a afirmação do ministro seja um recado para o próprio governo. “Eu acho que é uma conversa dele [Guedes] com o governo. Para nós, não altera nada. Ele não é funcionário da Câmara. Na Câmara, vamos cumprir nossa responsabilidade. O nosso presidente, Rodrigo Maia (DEM-RJ), está empenhado. Nós vamos fazer a reforma”, comentou Moreira. Para ele, a ameaça do ministro em deixar o cargo não influenciará deputados a votarem pela reforma da Previdência. O relator reforçou que trabalha para que a versão a ser aprovada pelo Congresso represente uma economia de R$ 1 trilhão em dez anos. Na proposta de reforma da Previdência, Guedes e o presidente Jair Bolsonaro querem criar critérios mais rígidos para aposentadorias e, com isso, tentar controlar o crescimento desse tipo de despesa, o que vem pressionando as contas públicas e reduzindo os investimentos. O texto encaminhado por Bolsonaro prevê uma economia de R$ 1,2 trilhão em dez anos. Guedes tem como meta um corte de R$ 1 trilhão nos gastos, mas concordaria com uma reforma de R$ 800 bilhões. Mesmo deputados que são contrários às mudanças nas aposentadorias, como Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força (SD-SP), apostam que a Câmara irá aprovar a reforma da Previdência, porém com algumas alterações. “Eu acho que nós não temos força de derrotar a reforma. Eu acho, então, que temos que reformar a reforma”. O Solidariedade defende reduzir a idade mínima proposta por Bolsonaro, mudar as regras de transição, poupar professores e trabalhadores rurais, não mexer na forma de pagamento do BPC (benefício a idosos carentes) e que o Congresso não crie novas regras para servidores estaduais e municipais. Com isso, o deputado, que é o presidente do partido, calcula que a reforma teria um impacto de R$ 600 bilhões -abaixo o piso de economia de Guedes. O presidente da comissão especial, porém, não acredita que a Câmara aprovará uma reforma desidratada. Ramos, na semana passada, afirmou que alguns líderes preparavam um texto alternativo à proposta de reforma da Previdência, mas, depois, recuou e esclareceu que se referia a emendas à versão de Bolsonaro. Para o deputado, a economia com a reforma estará alinhada ao que deseja o ministro Guedes.(FolhaPress)
24/05/2019

Expansão desordenada aumenta risco de falta de água na macrometrópole paulista

ABASTECIMENTO E CAOS URBANO

Expansão desordenada aumenta risco de falta de água na macrometrópole paulista

Aglomerados urbanos precários avançam em São Paulo, Campinas e na Baixada Santista

Do total de 33 milhões de habitantes da macrometrópole paulista, 3,8 milhões vivem hoje em condições precárias. Essas pessoas estão distribuídas em 113 dos 174 municípios da área, que engloba as regiões metropolitanas de São Paulo, Campinas, Baixada Santista, Sorocaba, Vale do Paraíba e Litoral Norte, além das aglomerações urbanas de Jundiaí, Piracicaba e Bragança Paulista. Estima-se que o território ocupado por essa parcela da população vivendo em condições precárias totalize 31,5 mil quilômetros e que esteja se expandindo em direção a áreas de mananciais e de preservação ambiental. Essa ocupação urbana desordenada tem aumentado na região – que concentra 20% do patrimônio natural protegido do Estado de São Paulo – os riscos de escassez hídrica e as vulnerabilidades sociais e ambientais às mudanças climáticas. A avaliação foi feita por pesquisadores participantes do “Fórum de Governança Ambiental da Macrometrópole Paulista”, realizado em abril no Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo (IEE-USP). Organizado no âmbito de um projeto apoiado pela FAPESP, o evento reuniu professores, pesquisadores e estudantes de pós-graduação com projetos em andamento sobre questões ambientais relacionadas à macrometrópole paulista. “Ao analisar a distribuição populacional na região, é possível identificar um padrão de ocupação disperso e descontrolado associado à renda”, disse Angélica Benatti Alvim, professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie. “Há uma concentração de residências de pessoas de alta e média renda próximas aos principais centros urbanos, onde há disponibilidade de empregos e atividades de comércio, serviços, polos de alta tecnologia e infraestrutura de transporte. Já as moradias da população de baixa renda situam-se em assentamentos precários localizados, de modo espraiado, em áreas de maior fragilidade e de preservação ambiental”, disse. De acordo com a pesquisadora, as principais regiões em que tem sido observado o avanço de aglomerados urbanos precários em áreas de preservação ambiental são as metropolitanas de São Paulo, Campinas e Baixada Santista. A ocupação desordenada dos mananciais contribui para maior escassez da água nas regiões mais populosas, especialmente na Região Metropolitana de São Paulo, e coloca também em risco a sustentabilidade de regiões vizinhas à macrometrópole, como é o caso da região do Vale do Ribeira. Segundo estudos da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), as áreas mais populosas dessas regiões provavelmente vão intensificar o empréstimo de água de outras regiões em um futuro próximo, afirmou Alvim. “Também percebemos que áreas próximas à Serra do Japi, em Jundiaí, no Vale do Paraíba e no litoral norte de São Paulo têm sido pressionadas pela ocupação desordenada”, disse. Números subestimados O último Censo Demográfico realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indicou que havia 2,1 milhões de pessoas morando em aglomerados subnormais (favelas) na Região Metropolitana de São Paulo. Já na Região Metropolitana da Baixada Santista havia 297 mil e, na de Campinas, pouco mais de 234 mil. Esses 2,1 milhões de pessoas vivendo em condições precárias na Região Metropolitana de São Paulo estariam distribuídos em 596 mil domicílios. Desse total, 148 mil estariam situados às margens de córregos, rios e áreas de proteção permanente (APPs), 10 mil em áreas de preservação ambiental e quase 2 mil em aterros sanitários, lixões e outras áreas contaminadas, ainda de acordo com dados do IBGE. Porém, esses números podem estar subestimados. Um estudo feito por pesquisadores do Centro de Estudos da Metrópole (CEM) – um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) apoiados pela FAPESP, revelou que há 1,1 milhão de pessoas a mais em situação de precariedade do que registraram os dados do último Censo Demográfico do IBGE. Com isso, o total ajustado passou a ser de 3,8 milhões de pessoas (leia mais em http://agencia.fapesp.br/19263). “Essa disparidade nos dados censitários indicada pelo Centro de Estudos da Metrópole aponta para o surgimento de pequenos núcleos de favela na macrometrópole paulista”, disse Lúcia Maria Machado Bógus, professora da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e coordenadora do Observatório das Metrópoles. No município de São Paulo, por exemplo, o processo de favelização tinha revertido e, nos últimos anos, devido ao desemprego e à deterioração das condições de vida da população de baixa renda, tem se observado uma piora, disse a pesquisadora. “Isso também tem sido notado em outros municípios da macrometrópole paulista.” De acordo com Bógus, outro fenômeno de ocupação urbana recentemente observado na macrometrópole paulista é a interligação das periferias de municípios vizinhos. “Hoje já não é mais possível se referir à periferia de São José dos Campos, por exemplo, sem lembrar que se vincula à expansão periférica de municípios vizinhos”, disse. “Outro caso que merece destaque é o da cidade de Jundiaí, onde o processo de expansão das periferias, ligando municípios limítrofes, também é bastante evidente.” (Agência FAPESP)   Leia mais sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em BRASIL CTI.
24/05/2019

Peugeot projeta veleiro de luxo Tofinou 9.7 em parceria com o estaleiro Latitude 46

Diário Motor

Peugeot projeta veleiro de luxo Tofinou 9.7 em parceria com o estaleiro Latitude 46

A embarcação mede 9,75 metros e será apresentada no fim do ano

A Peugeot foi convidada pelo estaleiro Latitude 46 para auxiliar na renovação da linha de veleiros de luxo da marca, a Tofinou 9.7. Segundo a empresa, a ideia é modernizar e revitalizar o estilo das novas embarcações, mas sem descaracterizar o espírito da linha. Com isso, o estilo clássico do estaleiro foi mantido nas linhas externas. O Tofinou 9.7 tem um desenho elegante e conta com materiais de alta qualidade, como mogno envernizado, aço inox e carbono. O veleiro será apresentado ao público em setembro durante o Grand Pavois, em La Rochelle, salão náutico realizado no litoral oeste da França. A Peugeot ficou responsável pelo desenvolvimento do convés do Tofinou 9.7. A montadora francesa propôs um desenho estruturado, preciso e dinâmico, responsável para dar uma nova cara ao veleiro. Segundo a marca, as linhas são simples e elegantes.
24/05/2019

Candidatos eleitos

Candidatos eleitos

Deputados federais pelo Rio Grande do Norte, Djalma Marinho e Vingt Rosado Maia foram ao enterro de um velho amigo. Vingt cochichou: “O morto é um homem da nossa idade… Já somos candidatos também…” O octogenário Djalma reagiu com graça e veemência: “Que candidatos Vingt, que candidatos! Nós já fomos eleitos. Estamos apenas aguardando o dia da posse.” Marinho morreria em 1988 e Vingt em 1995.
24/05/2019

Candidatos eleitos

Candidatos eleitos

Deputados federais pelo Rio Grande do Norte, Djalma Marinho e Vingt Rosado Maia foram ao enterro de um velho amigo. Vingt cochichou: “O morto é um homem da nossa idade… Já somos candidatos também…” O octogenário Djalma reagiu com graça e veemência: “Que candidatos Vingt, que candidatos! Nós já fomos eleitos. Estamos apenas aguardando o dia da posse.” Marinho morreria em 1988 e Vingt em 1995.
24/05/2019

MPF acusa ex-prefeito alagoano de peculato, lavar dinheiro e desviar R$ 186 mil

Condenado na Taturana

MPF acusa ex-prefeito alagoano de peculato, lavar dinheiro e desviar R$ 186 mil

Fábio Jatobá é acusado de usar empresa de seu primo e servidores de Roteiro como laranjas

Conhecido da Justiça e do alagoano pela condenação no âmbito da Operação Taturana, quando dirigia a Assembleia Legislativa de Alagoas, o ex-prefeito do município de Roteiro (AL), Fábio César Jatobá, voltou a ser denunciado, desta vez por crimes de peculato e lavagem de dinheiro, em razão do desvio de mais de R$ 186 mil de uma conta pública municipal que recebia recursos federais, nos anos de 2011 e 2012. A ação penal foi ajuizada pelo Núcleo de Combate à Corrupção (NCC) do Ministério Público Federal (MPF) e tramita na 3ª Vara Federal em Alagoas. Além de Fábio Jatobá, os procuradores da República em Alagoas denunciaram também João Luiz César Jatobá, primo do ex-prefeito, pelo crime de lavagem de dinheiro de valor superior a R$ 59 mil. A partir das informações colhidas pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF), o MPF em Alagoas afirma que obteve provas de irregularidades financeiras em movimentações, junto à instituição bancária das contas do prefeito e da Prefeitura Municipal, nos anos de 2011 e 2012. A conta pública municipal era destinatária de recursos federais provenientes do antigo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (FUNDEF) e do Fundo Nacional de Saúde (FNS) do Ministério da Saúde. Favorecimento pessoal As investigações levaram a documentos bancários que provam que Fábio Jatobá utilizava servidores municipais  como “laranjas”, para desviar para si próprio valores da conta do município; em dez operações identificadas com as mesmas características. Servidores municipais beneficiários de cheques bancários da Prefeitura tiveram os valores descontados pessoalmente pelo ex-prefeito e, em seguida, o dinheiro foi depositado “pelo próprio favorecido” em sua conta pessoal ou na conta da empresa JLC Jatobá-ME, de propriedade do primo do prefeito. Nos dois anos investigados, as movimentações somam o valor de R$ 186.324,67. Todas as movimentações foram realizadas pelo próprio ex-prefeito, sendo que deste total, quatro operações no valor de R$ 59.347,22 passaram efetivamente pela conta da empresa do primo, que era a todo tempo movimentada diretamente pelo ex-prefeito, que destinou parte desse valor, posteriormente, a sua própria conta pessoal. Conhecido da Taturana O MPF lembrou que Fábio Jatobá já foi condenado em ação de improbidade administrativa pela prática de crimes semelhantes quando exerceu o cargo de diretor financeiro da Assembleia Legislativa do Estado de Alagoas (ALE). No ano de 2007, a operação Taturana expôs prática ilícita de uso de servidores fantasmas da ALE para desvio de recursos públicos. Na denúncia ofertada à Justiça Federal, os procuradores afirmam que a contumácia do denunciado demonstra “inequívoco descaso com os órgãos e instrumentos da persecução penal, tais circunstâncias devem repercutir numa futura dosimetria da pena a ser imposta”. Condenado em novembro de 2017, Fábio Jatobá foi responsabilizado de forma solidária por todo dano de R$ 729.923,31 causado aos cofres públicos da ALE, por pagar empréstimos pessoais com recursos públicos da Assembleia Legislativa. E também teve a suspensão temporária dos direitos políticos pelo prazo de oito anos, na sentença  que ainda condenou o agora deputado federal Isnaldo Bulhões Barros Júnior (MDB-AL), e os ex-parlamentares Cícero Ferro (PMN); Edwilson Fábio de Melo Barros, o “Dudu Albuquerque”; Gervásio Raimundo dos Santos; Cosme Alves Cordeiro, o “Alves Correia”. O processo tramita sob o nº 0804134-53.2019.4.05.8000. O Diário do Poder não conseguiu contato com os denunciados. (Com informações da Ascom do MPF em Alagoas)
24/05/2019

Órgãos alertam prefeitos a não comprometer serviços com festas juninas, em Alagoas

Festas x obrigações

Órgãos alertam prefeitos a não comprometer serviços com festas juninas, em Alagoas

Documento alerta que gastos com festividades não podem comprometer despesas relevantes

Órgãos de controle do Estado de Alagoas expediram recomendação conjunta para que prefeitos e gestores municipais alagoanos não realizem despesas com festividades juninas, especialmente shows, quando houver o comprometimento de recursos imprescindíveis aos interesses da coletividade, comprometendo assim a manutenção essencial dos direitos fundamentais. O documento é assinado pelo Ministério Público de Contas de Alagoas (MPC/AL), juntamente com o Tribunal de Contas do Estado de Alagoas (TCE/AL) e o Ministério Público Estadual (MP/AL), com o argumento da defesa da ordem jurídica e dos interesses sociais e individuais indisponíveis. Os órgãos alertam que a realização de gastos com festividades não podem comprometer as despesas relevantes como: pagamento dos salários dos servidores públicos, despesas com a saúde, despesas com a educação, manutenção da limpeza urbana, dívidas com o INSS ou com o sistema de previdência local, o que atentaria contra a moralidade administrativa a qual se impõe aos gestores públicos de qualquer nível ou hierarquia. “O direcionamento de receitas públicas para o custeio de festividades em detrimento do cumprimento das obrigações legais que recaem sobre os gestores públicos, notadamente aquelas de cunho essencial constitui violação a preceito fundamental”, pontua a Recomendação Conjunta, assinada pelo presidente do TCE, conselheiro Otávio Lessa; pelo procurador-geral do MP de Contas, Gustavo Santos; e pelo chefe do MP Estadual, o procurador-geral de Justiça Alfredo Gaspar de Mendonça. Os gestores municipais que descumprirem a recomendação serão responsabilizados pela infração cometida, uma vez que os três órgãos, cada uma em sua competência constitucional, tomarão  as medidas cabíveis, onde os gestores podem ter suas prestações de contas julgadas como rejeitadas e ainda responderem a ações por atos de improbidade administrativa, tudo isso sem poder alegar o desconhecimento das consequências jurídicas de seu descumprimento em procedimentos administrativos e/ou judiciais futuros. A recomendação orienta os municípios com dificuldades financeiras que sofrem com a carência de recursos públicos que impõe-se ao administrador o dever de otimizar a alocação de tais recursos na satisfação das necessidades mais prementes da população. “A liberdade do administrador não é absoluta, pois as políticas públicas se submetem ao controle de constitucionalidade e legalidade, quando delas não decorrem benefícios para a população, diversos do entretenimento fugaz e passageiro, tal como o propiciado pelos festejos juninos”, diz o documento. O Procurador-geral do MP de Contas de Alagoas, Gustavo Santos, ressaltou que os gestores municipais devem optar sempre pelo pagamento das despesas consideras essenciais para os municípios. E disse que essa é a primeira atuação conjunta entre os órgãos com a finalidade de alertar aos gestores que eles serão responsabilizados se optarem por efetuar gastos com festividades juninas, em detrimento de despesas essenciais. “O gestor, doravante, não poderá arguir o desconhecimento de sua responsabilidade em caso de descumprimento da recomendação. Obviamente que a recomendação não impede a realização de festividades, apenas condiciona sua realização à demonstração de que o município encontra-se adimplente com suas obrigações fundamentais”, esclareceu Gustavo Santos. (Com informações da Ascom MPC/AL)
24/05/2019

Corregedoria do TJAL reúne órgãos para combater estelionato previdenciário, em Alagoas

Evasão de receitas

Corregedoria do TJAL reúne órgãos para combater estelionato previdenciário, em Alagoas

INSS, IPrev de Maceió, MP e AMA reforçam iniciativa contra fraudes previdenciárias

Com o objetivo de combater as fraudes previdenciárias, o corregedor-geral do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL), desembargador Fernando Tourinho, dialogou com representantes do Ministério Público Estadual (MPE), da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), da Previdência Municipal e da Justiça Federal nessa quinta-feira (23), na Escola Superior da Magistratura de Alagoas (Esmal). Um dos focos da reunião foi o Provimento nº 8, de 12 de março de 2019, publicado pela Corregedoria Geral da Justiça de Alagoas (CGJ/AL), que determina aos oficiais de registro civil a disponibilização de dados de nascimento e óbitos em 24 horas, através do Sistema Nacional de Informações de Registro Civil (SIRC). Os representantes das instituições já devem tomar algumas atitudes com base no que foi acordado durante a reunião. “O presidente da AMA [Hugo Wanderley] se comprometeu de verificar junto aos prefeitos o que está acontecendo entre o falecimento e do registro de óbito. O Ministério Público se comprometeu a fazer uma recomendação aos promotores para que se engajem e fiscalizem essa ação. O INSS, a previdência municipal e estadual, se comprometeu a avisar a Corregedoria naqueles casos específicos em que foi detectada a fraude de meses, para que a gente possa verificar junto ao cartório se houve ou não registro, para ter a certeza de que o cartório está comunicando o SIRC”, detalhou o corregedor-geral Fernando Tourinho. O desembargador também elogiou o engajamento dos órgãos. “Foi uma forma integrada que eu achei muito proveitosa, porque todos se comprometeram a tentar resolver ou, pelo menos, minimizar essa evasão de receita que está acontecendo hoje nas três esferas da Previdência: municipal, estadual e federal”, finaliza. A presidente do Instituto de Previdência de Maceió (Iprev), Fabiana Toledo, comentou sobre a relevância do provimento no combate ao estelionato previdenciário. “Esse Provimento facilita muito em nosso caso. A partir do momento em que os cartórios são obrigados a entregar informações mais completas, a gente consegue identificar, de forma muito mais simples e rápida, os óbitos dentro do quadro dos beneficiários do Instituto de Previdência de Maceió. É uma grande cooperação, porque, na verdade, o retorno pra gente vai ser muito positivo. Essa ação é importante para o INSS, mas também para todos os regimes próprios de previdência do Estado de Alagoas. É importante que todos os institutos de previdência tenham ciência dessa ação da Corregedoria”, destaca Toledo. O presidente da AMA, Hugo Wanderley, apontou uma das atitudes que deverão ser tomadas. “Esse problema da previdência é de todo o país, de todos nós, e estamos dispostos a firmar essa parceria junto com o INSS, junto com a Corregedoria de Justiça, os cartórios, para que a gente possa avançar e diminuir as fraudes contra o Instituto de Previdência. Vamos, juntamente com o Ministério Público, com o INSS, com os órgãos aqui presentes fazer uma campanha de alerta aos gestores, de alerta aos cartórios, para que a gente possa contribuir com essas informações e que o INSS possa diminuir o número de fraudes contra o Instituto”, disse o prefeito de Cacimbinhas (AL). Já o procurador federal do INSS, João de Deus, parabenizou o trabalho do desembargador Fernando Tourinho. “O Provimento é realmente uma vitória. O doutor Rodrigo Dowsley tem feito essas visitas na região Nordeste, prioritariamente. E essas visitas têm fluído com a fórmula de expedição desses provimentos. Alagoas foi o único estado que, antes dele chegar, o provimento já havia sido publicado e isso é um grande mérito do corregedor Fernando Tourinho”, disse.  (Com informações da Ascom CGJ/AL)
24/05/2019

Deputada quer vetar condenados pela Maria da Penha no serviço público de Alagoas

Violência contra mulheres

Deputada quer vetar condenados pela Maria da Penha no serviço público de Alagoas

CCJ da ALE aprovou projeto da deputada tucana Cibele Moura

Um projeto de lei da deputada estadual Cibele Moura (PSDB-AL) quer impedir a nomeação para cargos comissionados de pessoas que tiverem sido condenadas com base na Lei Maria da Penha. A medida que confronta a violência contra mulheres é extensiva a toda administração pública, direta e indireta, em todos os poderes do Estado de Alagoas. E foi aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE), nesta quinta-feira (23). “Demos um passo importantíssimo para a efetivação desse significativo projeto para as mulheres alagoanas e para toda a sociedade. Não podemos deixar que condenados na Maria da Penha possam trabalhar no serviço público e eu não tenho dúvida que a Assembleia Legislativa vai aprovar a matéria”, justificou Cibele. A proposta é de que a vedação inicie com a condenação em decisão transitada em julgado, até o comprovado cumprimento da pena. E a deputada justifica que, embora muitos avanços tenham sido alcançados com a Lei Maria da Penha, os números da violência doméstica contra as mulheres e os casos de feminicídios são alarmantes no País, o que mostra a necessidade urgente de ampliar as medidas de combate a esses crimes. Números do Mapa da Violência contra a Mulher de 2018, feito pela Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara dos Deputados, identificou 68.811 casos de violência contra a mulher no País. Em Alagoas, 811 mulheres sofreram violência doméstica em 2018; 67 foram vítimas de feminicídio e 1.913 de estupro, sem considerar casos subnotificados, ocorridos e não registrados nas delegacias ou noticiados pela imprensa. (Com informações da Ascom da ALE)
Mais Alagoas
24/05/2019

Acidente com carro oficial complica a vida dos moradores da saída norte do DF

Caos na Br 020

Acidente com carro oficial complica a vida dos moradores da saída norte do DF

Por dois dias consecutivos, moradores da região sofrem com enormes congestionamentos

Um acidente na manhã desta sexta-feira (22), envolvendo um carro oficial, atrapalhou a rotina dos moradores das cidades de Sobradinho, condomínios de Sobradinho, Planaltina e Formosa, da saída norte do Distrito Federal. Não houve vítimas, porém por ser um veículo oficial foi necessário esperar a perícia, o que causou quilômetros e quilômetros de congestionamento. Na tarde desta quinta (23), por volta das 16h, outro acidente causou horas de engavetamentos na volta pra casa dos moradores dessa região. O trecho da Br 020, onde houve o choque entre uma carreta e um veículo, ficou mais de 10 horas interditado, devido ao grande risco de explosão, por causa do combustível que ficou na rodovia. A carreta carregava  25 mil litros de combustível. Foi necessário que a equipe de Produtos Perigosos do Corpo de Bombeiros do DF retirasse o do líquido inflamável. Pela manhã, também na Br 020, um acidente tirou a vida de um motociclista, o que acarretou em outro congestionamento. É normal, ocorrendo qualquer acidente, ou incidente, o trânsito na saída norte do Distrito Federal é gravemente prejudicado. Na região, uma obra de expansão da rodovia e redirecionamento do tráfego está sendo feita. Objetivo do Governo do Distrito Federal  com a obra é livrar a população da região, dos intermináveis engarrafamentos que ocorrem todos os dias nos horários de pico. Segundo o DER por dia passam pela DF 003 cerca de 100 mil veículos pelo local de pessoas que moram nas cidades de Sobradinho I e II, condomínios do Grande Colorado e da DF 150. Além das cidades de Planaltina de Goiás e Formosa. A expectativa do Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER-DF) é de que a cada mês seja entregue uma parte da obra, até sua finalização prevista para segunda quinzena de julho. Essa obra começou em maio de 2014. Trevo de Triagem Norte e Torto-Colorado O Trevo de Triagem Norte é composto por 16 obras, entre viadutos, pontes e túneis. Somadas às passagens da Ligação Torto-Colorado, construção de pista marginal à DF 003 e de novos acessos aos condomínios, são ao todo 28 intervenções. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ As benfeitorias somam R$ 207 milhões, R$ 146 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), R$ 51 milhões de contrapartida do governo de Brasília e R$ 10 milhões da Agência de Desenvolvimento do DF (Terracap). Ponte Sobradinho-Lago Norte Porém outra alternativa ajudaria muito no trânsito na região. Existe um projeto, de autoria do arquiteto Oscar Niemeyer, da construção de uma nova saída norte, que está em discussão há 9 anos e previsto no Plano Diretor de Transporte Urbano e Mobilidade do Distrito Federal (PDTU-DF), pela lei distrital 4566/11. Assista o vídeo e veja como seria.
24/05/2019

Kelly Bolsonaro é diplomada como deputada distrital, em Brasília

No TRE-DF

Kelly Bolsonaro é diplomada como deputada distrital, em Brasília

Ela assume a cadeira cujo titular é o deputado Daniel Donizet (PSDB)

Kelly Cristina Pereira dos Santos, 32 anos, mais conhecida como Kelly Bolsonaro (Patriota) foi diplomada na noite desta quinta-feira (23) como deputada distrital. O evento ocorreu na Sala de Reuniões da desembargadora Carmelita Brasil, presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF). Ela assume a cadeira na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) que era do distrital Daniel Donizet (PSDB), que foi nomeado pelo governador Ibaneis Rocha para o cargo de administrador regional do Gama. Em fevereiro de 2016, Kelly Bolsonaro interrompeu um jogo Flamengo x Fluminente para divulgar a manifestação favorável ao impeachment que seria realizada em 13 de março daquele: ela invadiu o gramado do Estádio Mané Garrincha para exibir um cartaz “Fora Dilma”.
24/05/2019

Guerra de egos ameaça retirar mais de R$300 milhões do governo do DF

Só pensam naquilo

Guerra de egos ameaça retirar mais de R$300 milhões do governo do DF

De olho em 2022, tucano Izalci trava disputa com a deputada Flávia Arruda, do PR

O governo do Distrito Federal corre risco de perder mais de R$300 milhões em razão de uma guerra de egos na bancada federal, formada por deputados e senadores, que não conseguem eleger um coordenador, essencial na definição das emendas coletivas. Esse guerra de egos é inédita: historicamente, deputados e senadores do DF sempre atuam de forma coletiva na defesa dos interesses de Brasília, ameaçada também por ações oportunistas milionárias em tribunais superiores. De Lisboa, onde se encontra para participar de importante evento reunindo as capitais dos países de expressão portuguesa, o governador Ibaneis Rocha (MDB) enviou mensagem ao senador Izalci Lucas (PSDB) pedindo o entendimento, em resposta a ameaças do tucano. “Apelo para que vocês baixem as armas e dialoguem, pelo bem de Brasília que dizem amar tanto”, disse Ibaneis. Guerra de egos Izalci não abre mão de ser o coordenador da bancada, segundo parlamentares, porque já estaria dedicado ao projeto de disputar o governo do DF em 2022. E ainda culpa o governo por não ajudá-lo a se eleger coordenador da bancada. O senador ainda enviou mensagem ao secretário da Fazenda, André Clemente, ameaçando passar a fazer oposição ao governo do DF, caso não seja o escolhido . Por razões semelhantes, a deputada Flávia Arruda (PR-DF) também pretende coordenar a bancada, mas já disse que abre mão dessa postulação para qualquer outro parlamentar, exceto Izalci. Seu marido, ex-governador José Roberto Arruda, também pretende viabilizar sua candidatura ao governo, em 2022. Essa disputa já fez o governo do DF perder R$20 milhões da União, que podem ser recuperados, mas é preciso apertar o passo.
23/05/2019

OAB-DF no Gama atende de forma gratuita mulheres vítimas de violência doméstica

Violência Contra a Mulher

OAB-DF no Gama atende de forma gratuita mulheres vítimas de violência doméstica

Profissionais são voluntários em iniciativa da Comissão da Mulher Advogada

Os moradores do Distrito Federal estão assustados com o crescente no número de mulheres assassinadas em decorrência da violência doméstica. Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública, em média a cada duas semanas uma vítima foi assassinada em 2019. Para oferecer assistência às mulheres vítimas de violência doméstica, a OAB/DF Subseção Gama realiza o projeto “Vítima Assistida”. Ele nasceu da necessidade da participação de um advogado para acompanhamento das vítimas nas Audiências de Justificação no Juizado de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher do Gama. As mulheres são acolhidas, recebem informações sobre o processo e sobre direitos e medidas protetivas. Os advogados e advogadas participam de forma voluntária, em uma iniciativa da Comissão da Mulher Advogada, da OAB/DF. São realizadas em média 12 audiências de Justificação por semana, no Fórum do Gama, realizadas as terças-feiras. Treinamento A Comissão de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher realizará uma reunião no dia 28/05 (terça-feira), às 19:00, na sede da Subseção Gama e contará com a presença da Palestrante Dra Tais Cerqueira Silva, PHD em Políticas Sociais pela Universidade de Bristol, que tratará do assunto Aspectos psicológico da violência contra as mulheres. A reunião, além de ser um momento de aperfeiçoamento e crescimento profissional, visa discutir assuntos relevantes sobre o Projeto Vítimas Assistidas, que existe desde outubro de 2018, implantado no Juizado de Violência Doméstica no Fórum do Gama.
Mais Distrito Federal
24/05/2019

Não há como afirmar quando talude em Barão de Cocais cederá, diz Defesa Civil

Vida em aflição

Não há como afirmar quando talude em Barão de Cocais cederá, diz Defesa Civil

Cidade mineira vive tensão com risco de rompimento de barragem

O coordenador adjunto da Defesa Civil de Minas Gerais, tenente-coronel Flávio Godinho, disse hoje (23), em Barão de Cocais (MG), que não há como prever, com total segurança, quando o talude da mina de Gongo Soco cederá e, principalmente, se o desmoronamento do paredão causará o rompimento da barragem Sul Superior da mina. “O talude pode ceder amanhã? Pode. Como também pode não se romper. Ele pode ceder depois de amanhã, daqui a uma semana”, disse Godinho. Segundo ele, as informações contidas nos documentos da própria Vale, empresa mineradora dona da mina de Gongo Soco, que o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) tornou pública no último dia 16 são “projeções” que apontam para a possibilidade de o talude ceder até amanhã (25) e a barragem se romper. “Amanhã (25), acho que todo mundo vai ficar vendo se o talude cairá. E se não acontecer? Já falamos qual é a situação, que o talude corre risco, que não há certeza de que a barragem vá se romper e que todas as ações para mitigar o problema já foram adotadas. Não há um estudo técnico para dizer quando ele vai ceder. A projeção é que até amanhã ele venha a se romper, mas acreditamos que, se o talude se romper, o carreamento [do material] pode se deslocar para o interior da cava e se integrar ao ambiente”, disse. Taludes são planos de terreno inclinados, espécies de paredões que cercam a chamada cava da mina a fim de garantir a estabilidade do terreno escavado, e cuja queda pode provocar o rompimento de uma barragem, seja por atingi-la, seja por vibração no terreno. No caso da mina de Gongo Soco, a barragem Sul Superior está a pouco mais de 1 quilômetro de distância do talude que ameaça ruir. De acordo com Godinho, o monitoramento da movimentação do talude indica que, só esta manhã (24), ela se movimentou mais 12 centímetros. Este deslocamento do talude vem sendo observado desde abril. “Continuamos o monitorando, mas vale lembrar que não há nenhum estudo técnico que afirme que, caso o talude ceda, a barragem vá se romper”, enfatizou o coordenador adjunto da Defesa Civil. Pior cenário No último dia 17, ao anunciar a interdição e a suspensão das atividades do complexo minerário, o diretor da Agência Nacional de Mineração (ANM), Eduardo Leão, declarou que o talude de Gongo Soco certamente desmoronará. “Isso é um fato”, disse Leão, ao explicar que, até que o talude ceda, apenas operações seguras para tentar recuperar a estabilidade das estruturas poderiam ser realizadas. “O que estamos fazendo agora é minimizando os riscos, evitando que pessoas transitem dentro da cava ou que sejam atingidas.” Já o coordenador adjunto da Defesa Civil de Minas Gerais, Flávio Godinho, afirmou, hoje (24), que, ao traçar os planos de emergência e realizar simulados com a população, a Defesa Civil procura imaginar o pior cenário possível a fim de tentar prevenir todas as situações e, assim, fazer um trabalho preventivo que permita às pessoas saberem exatamente o que fazer e para onde se dirigir em caso de acidentes. Segundo o coordenador, isto acaba estressando os moradores da cidade, que tendem a esperar o pior. “Sabemos que este é um momento de tristeza e angústia. E a cada vez que as informações ruins são potencializadas, isto traz uma certa angústia e temor para a comunidade”, disse Godinho. “Estamos aqui com todo efetivo e ações para dar segurança à população. Desde o primeiro momento, a Defesa Civil vem trabalhando com o pior cenário possível para poder fazer um trabalho preventivo que permita a todas as pessoas poderem saber quais os locais de risco”, acrescentou, garantindo que o plano de emergência prevê ações para, se necessário, remover pessoas idosas e com necessidades especiais, além de ações para garantir o abastecimento de água e o fornecimento de energia elétrica. De acordo com Godinho, no pior cenário imaginável, que seria o rompimento da barragem e o vazamento de todo o material armazenado na cava, a massa de rejeitos percorreria cerca de 40 quilômetros, demorando aproximadamente 1 hora e 12 minutos para atingir a primeira casa em Barão de Cocais; 2 horas e 36 minutos a área rural da vizinha Santa Bárbara, e 8 horas para chegar ao município de São Gonçalo do Rio Abaixo. A literatura técnica, no entanto, aponta que, em caso de rompimento de barragem, o volume de material que vaza da barragem não ultrapassa 73% do volume total, o que reduz a distância que os rejeitos atingem e a velocidade com que a percorrem. “Se o talude cair no interior da cava e não houver nenhuma consequência para a comunidade, não será preciso falar em acionamento do plano de emergência. Já se o talude cair dentro da cava e gerar uma vibração e o rompimento da barragem, todos os órgãos serão imediatamente acionados para dar todo o apoio à população”, garantiu Godinho. (ABr)
22/05/2019

PGR é contra progressão de regime de Marcos Valério, operador do Mensalão

Continua preso

PGR é contra progressão de regime de Marcos Valério, operador do Mensalão

Segundo manifestação enviada ao STF, Valério cometeu faltas graves que impedem o benefício

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, se manifestou contra a progressão de regime do operador do Mensalão, Marcos Valério. Condenado a mais de 37 anos de prisão na Ação Penal 470 (Mensalão), o empresário está preso desde 2013 e tenta passar para o semiaberto. Segundo documento enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), existem indícios que o empresário cometeu faltas graves, recebeu tratamento diferenciado e regalias na Associação de Proteção e Assitência ao Condenado (Apac) de Sete Lagoas (MG), o que inviabiliza a concessão do benefício. A PGR afirma que desde o início de 2018, as irregularidades verificadas no cumprimento da pena de Valério são alvo de investigação do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), além de terem resultado na instauração de um Processo Administrativo Disciplinar (PAD). Embora o resultado da apuração interna tenha absolvido o detento, a PGR enfatiza que o procedimento reuniu relatos segundo os quais, Marcos Valério recebeu tratamento diferenciado, com a anuência do então presidente do estabelecimento, que, em decorrência das suspeitas, acabou sendo afastado do cargo por decisão judicial. Relatos colhidos na investigação evidenciam, segundo a PGR, que Valério era o único preso a não usar algemas em saídas da instituição, como idas ao ao dentista. Há relatos também de encontros entre o condenado e sua mulher no consultório odontológico, onde ele teria usado um telefone celular, cedido pelo próprio dentista. Valério se diz vítima de extorsões consistentes com pagamentos de R$ 100 a R$ 200 mil. Segundo a defesa, as demandas por repasses ilícitos ocorreram de novembro de 2017 a maio de 2018 e foram feitas por 13 pessoas, entre detentos e trabalhadores da unidade prisional. Entretanto, Raquel Dodge cita várias inconsistências na documentação apresentada e afirma que, para a elucidação dos fatos, é necessário obter informações da Secretaria de Segurança Pública de Minas Gerais sobre a autenticidade desses documentos e para saber se foram tomadas providências para se investigar os crimes de que Valério teria sido vítima. “De toda sorte, sobre esse aspecto da defesa de Marcos Valério, compartilho da percepção da juíza da Vara de Execuções Penais de Sete Lagoas/MG, no sentido de que ‘não é crível e tampouco factível que todos os funcionários da Apac, assim como os apenados ouvidos pelo MP tenham problemas e queiram, todos, prejudicar Marcos Valério’”, afirma Raquel Dodge.
21/05/2019

Ibaneis decide demitir subsecretário e com isso fortalece a secretária de Turismo

Fim de papo

Ibaneis decide demitir subsecretário e com isso fortalece a secretária de Turismo

GDF avaliou que Almada não colaborava para um ambiente positivo na secretaria

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, decidiu demitir o subsecretário de Turismo do seu governo, Paulo Almada. A decisão, que o próprio governador confirmou ao Diário do Poder, fortalece a titular do órgão, Vanessa Mendonça. Com passagem pela secretaria homônima em Minas Gerais, Almada chegou ao governo do DF por indicação de assessores da Casa Civil do Palácio do Planalto, mas a atuação não justifica sua permanência. A avaliação é que Almada não colaborava para o melhor ambiente, em seu local de trabalho, afirmando a várias pessoas que estava empenhado em “derrubar” sua chefe, a secretária, responsável por algumas das iniciativas mais positivas do GDF nesse início de gestão. Desconhecido no setor Quando nomeado na Secretaria de Turismo no governo petista de Fernando Pimentel, em Minas Gerais, Paulo Almada era um personagem desconhecido pelo mercado de turismo. José Aparecido Ribeiro, que já foi presidente da seção mineira da Associação Brasileira de Hotéis, foi um dos que estranharam a presença de Almada na secretaria do governo do PT: – Embora esteja no turismo há 30 anos, nunca tinha ouvido falar o nome dele.
20/05/2019

Estrago pode ser maior que o previsto pela Vale, alertam pesquisadores

Mina de Congo Soco

Estrago pode ser maior que o previsto pela Vale, alertam pesquisadores

Talude do complexo do Gongo Soco (MG), da Vale, pode se romper até dia 25

O estrago que o rompimento da barragem da Mina de Gongo Sococausará na região de Barão de Cocais (MG) poderá ser ainda maior do que o previsto no relatório dam break, apresentado pela Vale, empresa responsável pela mina. O alerta é do Grupo Política, Economia, Mineração, Ambiente e Sociedade (PoEMAS), núcleo composto por pesquisadores e alunos com formações diversas, que se utiliza de conhecimentos econômicos, geográficos, sociológicos e de políticas públicas para analisar e avaliar os impactos que as redes de produção associadas à indústria extrativa mineral geram para a sociedade e para o meio ambiente. Segundo o engenheiro e integrante do grupo Bruno Milanez, as projeções apresentadas no relatório da Vale subestimaram a capacidade destrutiva da onda, por não levar em consideração o aumento de sua densidade por conta dos objetos de médio e grande porte que seriam arrastados ao longo do percurso. “O modelo que usaram foi baseado em onda de água, considerando a altura do rejeito e a velocidade. No entanto, o rejeito terá uma densidade maior, porque ao longo do trajeto a onda carregará também os objetos que estiverem pelo caminho”, disse à Agência Brasil o professor do Departamento de Engenharia da Produção da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) Bruno Milanez. O engenheiro alerta que “se essa onda trouxer consigo objetos como troncos ou até mesmo caminhões, ela terá uma densidade ainda maior de rejeitos. Dessa forma, o potencial de destruição nas áreas amarela e verde [áreas que segundo o estudo não seriam atingidas ou seriam parcialmente destruídas] seria ainda maior”. Vale A reportagem entrou em contato com a Vale, para saber a posição da empresa sobre a crítica apresentada pelo integrante do PoEmas. A vale, no entanto, manifestou apenas seu posicionamento com relação ao prazo de 72 horas, dado pela juíza Fernanda Machado, da Vara de Barão de Cocais (MG), para que apresentasse o estudo dos impactos relacionados ao eventual rompimento das estruturas da Mina de Congo Soco. “A Vale, no prazo fixado pela determinação judicial, apresentou o relatório mais atualizado de dam break da Barragem Sul Superior, explicando naquela oportunidade a adequação dos critérios técnicos”, diz a nota enviada pela Vale à Agência Brasil. Movimento Segundo a coordenadora nacional do Movimento pela Soberania Popular na Mineração (MAM), Maria Júlia Andrade, a forma como as informações estão sendo repassadas pela Vale é inadequada, o que tem gerado “pânico e terror” na população local. Maria Júlia diz que há uma preocupação muito grande, nos últimos dias, após ter vindo à tona a informação de que existe um talude da cava da mina prestes a desmoronar. “Esse problema já existia, mas ele só veio à tona agora. E o maior problema é que esta cava está localizada muito perto, cerca de 300 metros, da barragem que já estava em risco máximo há mais de três meses”, disse a coordenadora. Na avaliação do MAM, “as informações [sobre os riscos] são dadas a conta-gotas, e o pânico e o terror estão generalizados [na região]. As pessoas não sabem se o risco é real, não sabem se a barragem vai romper ou não. Só sabem que existe um pânico e um medo de uma bomba relógio em cima de suas cabeças”, disse. (ABr)
Mais Minas Gerais
24/05/2019

Queiroz pagou R$ 64 mil em dinheiro vivo por cirurgia no Hospital Albert Eistein

Ex-assessor

Queiroz pagou R$ 64 mil em dinheiro vivo por cirurgia no Hospital Albert Eistein

Ex-assessor de Flávio Bolsonaro é alvo de investigação do Ministério Público

Fabrício Queiroz, ex-motorista de senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), pagou R$ 64,6 mil em dinheiro vivo sua cirurgia e internação no Hospital Albert Einstein, de 30 de dezembro a 8 de janeiro para retirada de um câncer no cólon. O pagamento foi feito em 14 de fevereiro. O atendimento custou R$ 70 mil, de acordo com a nota fiscal em nome de Queiroz. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (24) pelo jornal O Globo. O ex-motorista alegou que o montante quitado em dinheiro vivo estava guardado em sua casa para amortizar o financiamento de um apartamento na Taquara, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. O dinheiro foi entregue à tesouraria do hospital pela mulher de Queiroz, Márcia Oliveira de Aguiar. O PM aposentado é pivô da investigação do Ministério Público do Rio de Janeiro contra o senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente. A apuração começou após um relatório do governo federal ter apontado a movimentação suspeita de R$ 1,2 milhão na conta de Queiroz de janeiro de 2016 a janeiro de 2017. Além do volume movimentado, chamou a atenção a forma com que as operações se davam: saques e depósitos em dinheiro vivo. As transações ocorriam em data próxima do pagamento de servidores da Assembleia Legislativa do Rio. O ex-assessor de Flávio reconheceu ter recolhido parte do salário de servidores do gabinete do então deputado estadual, de 2007 a 2018, na Assembleia Legislativa do Rio. O objetivo, disse Queiroz, era contratar assessores informais para o então deputado e ampliar a base eleitoral do filho do presidente da República. Segundo o Ministério Público do Rio, há indícios robustos dos crimes de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa no gabinete de Flávio. Foi com base nesses indícios que a Promotoria solicitou a quebra dos sigilos bancário e fiscal de 86 pessoas e nove empresas, inclusive do filho do presidente da República. (Com informações da FolhaPress)
23/05/2019

STM solta nove envolvidos em caso de músico morto no Rio de Janeiro

80 tiros de fuzil

STM solta nove envolvidos em caso de músico morto no Rio de Janeiro

Carro em que estava Evaldo Rosa dos Santos e sua família recebeu 80 tiros de fuzil; eles iriam a um batizado

O plenário do Superior Tribunal Militar (STM) decidiu hoje (23), por 12 votos a 2, soltar nove militares do Exército que estavam presos preventivamente por terem disparado tiros contra o carro em que estava o músico Evaldo Rosa dos Santos, em Guadalupe, na zona oeste do Rio de Janeiro e sua família. Eles iriam a um batizado. O veículo foi atingido por mais de 80 tiros e Evaldo, de 51 anos, morreu na hora. Também baleado, o catador Luciano Macedo, que passava pelo local, morreu dias depois. Os nove militares do Exército estão presos desde 8 de abril, dia seguinte ao ocorrido. Após a Justiça Militar ter confirmado a prisão preventiva, eles entraram com um habeas corpus no STM, no qual pediram para ser soltos. Desde então, eles se tornaram réus no caso, junto com mais 3 militares soldados. Todos os 12 vão responder por homicídio qualificado, tentativa qualificada de homicídio e omissão de socorro. A denúncia foi aceita em 11 de maio pela juíza federal substituta da Justiça Militar, Mariana Queiroz Aquino Campos. Pela decisão do STM, nenhuma medida alternativa à prisão deve ser imposta enquanto eles aguardam em liberdade o desfecho da ação penal militar. Os ministros ressalvaram, porém, que a juíza de primeira instância pode voltar a decretar a prisão deles caso constate alguma tentativa de obstruir a instrução do processo, por exemplo. Os militares que devem ser soltos são: o segundo-tenente Ítalo da Silva Nunes, o terceiro-sargento Fabio Henrique Souza Braz da Silva, o cabo Leonardo Oliveira de Souza, e os soldados Gabriel Christian Honorato, Matheus Sant’Anna Claudino, Marlon Conceição da Silva, João Lucas da Costa Gonçalo, Gabriel da Silva de Barros Lins e Vitor Borges de Oliveira. Julgamento Nesta quinta-feira, o relator do caso no STM, ministro Lúcio Mário de Barro Góes, reforçou argumentos pela soltura dos militares. Ele entendeu que os corréus não têm antecedentes, possuem endereço fixo e estão em pleno exercício de suas funções nas Forças Armadas, além de não haver provas de que possam tentar atrapalhar as investigações. Diante disso, “qualquer argumento no sentido de que manutenção da prisão cautelar se faz necessária para preservar o processo penal ou a ordem pública não passa de mera suposição”, disse Góes. “Nada leva a crer que a concessão da liberdade provisória possa trazer algum risco no seio da sociedade”, concordou o ministro Francisco Joseli Parente. Votaram com o relator os ministros Carlos Augusto de Souza, Álvaro Luis Pinto, Luis Carlos Gomes Mattos, Odilson Sampaio Benzi, Marco Antônio de Farias, William de Oliveira Barros, Cleonilson Nicácio Silva, Artur Vidigal de Oliveira e Péricles Aurélio Lima de Queiroz. O ministro José Barroso Filho divergiu em parte. Para ele, o segundo-tenente Ítalo da Silva Nunes deveria permanecer preso, devido à sua condição de oficial, que em tese teria capacidade de prejudicar as investigações. Ele também havia opinado pela imposição de medidas alternativas à prisão, como recolhimento domiciliar noturno, mas ficou vencido nesse ponto. A única a divergir totalmente foi a ministra Maria Elizabeth Rocha, que votou pela manutenção de todas as prisões preventivas. Ela destacou a desproporcionalidade da ação dos militares, que segundo apurações preliminares fizeram, no total, mais de 240 disparos de fuzil. A ministra ainda ressaltou que os envolvidos em um primeiro momento “mentiram para o comando e venderam para o comando a versão de que foram atacados”, o que não teria se confirmado posteriormente.  (ABr)
23/05/2019

Fachin rejeita pedidos de liberdade de deputados estaduais do Rio

Operação Furna da Onça

Fachin rejeita pedidos de liberdade de deputados estaduais do Rio

André Corrêa, Martins, Neskau e Chiquinho da Mangueira perderam recurso

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou quatro pedidos de liberdade que haviam sido feitos por deputados estaduais do Rio de Janeiro presos preventivamente desde o ano passado no âmbito da operação Furna da Onça, que investiga a relação dos parlamentares estaduais com corrupção e loteamento de cargos públicos. São eles: André Corrêa (DEM), Luiz Antônio Martins (PDT), Marcos Vinícius de Vasconcelos Ferreira, o Neskau (PTB), e Chiquinho da Mangueira (PSC). Fachin negou os pedidos por questões processuais. O ministro entendeu que os políticos não escolheram “a via processual adequada”. Isso porque as petições foram protocoladas dentro da ação direta de inconstitucionalidade em que o Supremo decidiu, em 8 de maio, que qualquer prisão de paramentares estaduais precisa receber o crivo das respectivas assembleias. Nas petições, os deputados argumentavam, entre outras razões, que seus decretos de prisão perderam a validade após o julgamento no Supremo, uma vez que eles possuem mandato vigente, mas suas prisões não foram submetidas a aprovação da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). Fachin afirmou não ser possível fazer pedidos individuais dentro de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade. “Assim, os pedidos individualmente veiculados na presente ação não encontram fundamento legal, razão pela qual deles não conheço”, escreveu o ministro. (ABr)
23/05/2019

Justiça autoriza transferência de Eduardo Cunha para o Rio de Janeiro

Lava Jato

Justiça autoriza transferência de Eduardo Cunha para o Rio de Janeiro

Condenado na Lava jato, o ex-deputado federal está preso desde 2016 no Complexo Médico Penal de São José dos Pinhais, no Paraná

A Vara de Execuções Penais da Justiça fluminense aceitou o pedido de transferência de Eduardo Cunha para o Rio de Janeiro. O ex-deputado federal está preso desde 2016 no Complexo Médico Penal de São José dos Pinhais, no Paraná, por causa de investigações da Operação Lava Jato. Em 2017, o ex-presidente da Câmara dos Deputados foi condenado a 15 anos e quatro meses de prisão pela 13ª Vara Federal de Curitiba, sob a acusação de ter solicitado propina para exploração da Petrobras em um campo de petróleo na África e ter recebido o valor em uma conta na Suíça. A pena foi reduzida para 14 anos e seis meses de prisão por decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF). (ABr)
Mais Rio de Janeiro
24/05/2019

Ministro se reúne com vencedores do Prêmio Professores do Brasil 2018

Café da manhã

Ministro se reúne com vencedores do Prêmio Professores do Brasil 2018

O grupo formado por cerca de 30 professores seguirá rumo às cidades de Quebec e Ottawa, no Canadá

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, se reunirá em um café da manhã com docentes de todo o País, vencedores do Prêmio Professores do Brasil de 2018, no próximo sábado, 25, em São Paulo, às 9 horas. O grupo formado por cerca de 30 professores seguirá rumo às cidades de Quebec e Ottawa, no Canadá. A oportunidade é fruto de uma parceria do Prêmio com o colégio Colleges and Institutes Canada (CICan), na qual os docentes vão trocar experiências e fazer uma imersão na educação e na cultura local. A viagem e todos os custos serão por conta da instituição parceira. Prêmio O Prêmio Professores do Brasil é uma iniciativa do Ministério da Educação com instituições parceiras para valorizar, reconhecer, divulgar e premiar o trabalho de professores de escolas públicas que contribuam para a melhoria dos processos de ensino e aprendizagem desenvolvidos nas salas de aula.
24/05/2019

Casos de estupro e furto aumentam no estado de São Paulo em abril

Insegurança pública

Casos de estupro e furto aumentam no estado de São Paulo em abril

O trabalho realizado pelas três polícias estaduais resultou em 17.522 prisões realizadas ao longo do quarto mês deste ano

Os furtos no estado de São Paulo aumentaram 8,4% em abril, chegando a 44.596 casos registrados. Já os furtos de veículos caíram 7,8%, passando de 8.436 para 7.780, de acordo com os dados divulgados mensalmente pela Secretaria de Segurança Pública do estado. Houve aumento ainda nos casos de estupro (6,4%), que passaram de 957 para 1.018. A quantidade de casos de homicídios dolosos subiu 1,2%, passando de 252 para 255 boletins de ocorrência na comparação mensal. Apesar da alta nos casos, o indicador de vítimas recuou 3,3%, passando 271 para 262. Os dados divulgados hoje (24) também indicam redução de 8,8% dos roubos em geral em relação ao mês de abril de 2018, quando o total foi de 22.772. Em abril deste ano, foram 20.788. Os roubos de carga recuaram 20,6% em abril, passando de 768 para 610. Os roubos a banco reduziram de três para um na comparação do quarto mês (66,7%). Os casos de roubos de veículos apresentaram redução de 17,6%, de 4.941 para 4.069. O total de latrocínios caiu 40,7% em abril, passando de 27 para 16 casos. Já o indicador de vítimas recuou 42,9%, de 28 para 16. As extorsões mediante sequestro caíram 33,3%, passando de três para dois. O trabalho realizado pelas três polícias estaduais resultou em 17.522 prisões realizadas ao longo do quarto mês deste ano. No mesmo período, 1.156 armas de fogos foram retiradas das ruas e 4.082 flagrantes de tráfico de drogas foram registrados. (ABr)
23/05/2019

Governo de São Paulo cria 11 polos para incentivar produção industrial

Desenvolvimento

Governo de São Paulo cria 11 polos para incentivar produção industrial

A intenção é melhorar a infraestrutura nas regiões que receberão os incentivos, dar acesso diferenciado a crédito, entre outros

O governo de São Paulo vai criar 11 polos de desenvolvimento industrial no estado. Segundo o governador João Doria, a intenção é melhorar a infraestrutura nas regiões que receberão os incentivos, dar acesso diferenciado a crédito, simplificar licenças e melhorar as condições fiscais e tributárias. As ações vão beneficiar os setores farmacêutico metalúrgico; de máquinas e equipamentos; automotivo; químico, borracha e plástico; petroquímico; de biocombustíveis; de alimentos e bebidas; têxtil; de vestuário; de couro e calçados; de tecnologia; ecoflorestal. Os polos estão distribuídos por diversas regiões do estado, como Campinas, Bauru, Piracicaba, Alto Tietê, Presidente Prudente, Grande ABC, Baixada Santista e Vale do Paraíba. Segundo a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen, os locais escolhidos já concentram as empresas ligadas aos setores que se pretende desenvolver. “A atuação dos polos é para identificar falhas de mercado e atuar nas falhas de governo, O nosso trabalho aqui é alavancar a produtividade do setor privado impulsionando e melhorando as políticas públicas nas regiões onde as cadeias produtivas estão”, enfatizou Ellen. O programa conta ainda, segundo Doria, com uma parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para oferecer crédito às empresas beneficiadas. O governo também vai capacitar a mão de obra a partir do Centro Paula Souza, responsável pela gestão das escolas técnicas do governo estadual. Guerra fiscal Doria enfatizou que não pretende competir com outros estados, mas melhorar as condições para as empresas que já estão instaladas em São Paulo. “Nós não fazemos e não admitimos guerra fiscal. Todo o incentivo que fazemos aqui nesse conjunto de valores é, fundamentalmente, para apoiar quem está em São Paulo”, acrescentou. Não há previsão, segundo o governo estadual, de gastos adicionais para colocar o programa em prática. O secretário estadual da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que os benefícios tendem a aumentar os investimentos e a produtividade das empresas, se refletindo em aumento de arrecadação para o estado. “Uma companhia que anuncia um investimento de R$ 1,4 bilhão, por exemplo, com o resultado das vendas e com a [condição] de criação de empregos, vai ter desconto de 2,5% do valor do ICMS [Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços] resultantes daquele investimento. O que significa que vai haver aumento de arrecadação, porque vai gerar aumento de venda”, exemplificou. Em março, o governador já havia concedido incentivos fiscais a montadoras que fizerem novos investimentos no estado. São concedidos descontos de até 25% no valor do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para empresas que apresentarem planos de construção ou ampliação de plantas industriais em valores superiores a R$ 1 bilhão. Para se beneficiarem das reduções tributárias, as companhias deverão gerar pelo menos 400 novos postos de trabalho. (ABr)
20/05/2019

Janaina Paschoal sinaliza saída do PSL e questiona ‘faculdades mentais’ de Bolsonaro

Deputados 'estão cegos'

Janaina Paschoal sinaliza saída do PSL e questiona ‘faculdades mentais’ de Bolsonaro

Autora do pedido de impeachment de Dilma, deputada estadual disse que colegas de partido 'estão cegos'

A deputada estadual Janaina Paschoal (PSL) afirmou nesta segunda-feira (20) que os colegas de partido dela “estão cegos” e que quer deixar a bancada da legenda na Assembleia Legislativa de São Paulo. Eleita com mais de 2 milhões de votos, a maior votação na história recebida para o cargo no país, a advogada que se notabilizou com o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) fez críticas nos últimos dias à manifestação que está sendo convocada para domingo (26) em apoio ao presidente Jair Bolsonaro (PSL). “Amigos, vocês estão ​cegos. Estou saindo do grupo, vou ver como faço para sair da bancada. Acho que os ajudei na eleição, mas preciso pensar no país. Isso tudo é responsabilidade”, escreveu ela no grupo de WhatsApp dos deputados estaduais da legenda. Em seguida, Janaina saiu do grupo. Ela também mandou um áudio aos colegas questionando um vídeo postado por Bolsonaro em que um pastor o defende como um político “estabelecido por Deus” para guiar o Brasil. “Eu peço que vocês assistam e me respondam se um presidente da República, na plenitude das suas faculdades mentais, publicaria um vídeo desses. Por favor”, disse ela na gravação. Um rompimento imediato com o PSL seria delicado para a parlamentar por causa da regra de fidelidade partidária. Ela não indicou estar disposta a abrir mão do mandato, e a legenda não pretende expulsá-la. Uma eventual troca de legenda só poderia ocorrer durante a chamada janela partidária. A parlamentar disse que não está abandonando o presidente. “Eu estou tentando salvar um governo no qual eu votei e trabalhei muito para eleger, mas para governar nas regras do Estado democrático de Direito. Não consigo ver lógica em um governo convocar manifestações.” PSL Líder da bancada do PSL na Assembleia, o deputado Gil Diniz diz defender a permanência da advogada na sigla. “Ninguém no partido defende a expulsão dela. Mas que ela fique se quiser. Não posso obrigá-la a ficar”, afirmou. “Agora, eu discordo do que ela falou de cegueira. Não tem ninguém cego ali não, pelo contrário. Nem os deputados nem os milhões de brasileiros que querem se manifestar estão cegos”, segue o parlamentar, que diz estar se programando para ir aos atos. (Com Folhapress)
Mais São Paulo
24/05/2019

MPF acusa ex-prefeito alagoano de peculato, lavar dinheiro e desviar R$ 186 mil

Condenado na Taturana

MPF acusa ex-prefeito alagoano de peculato, lavar dinheiro e desviar R$ 186 mil

Fábio Jatobá é acusado de usar empresa de seu primo e servidores de Roteiro como laranjas

Conhecido da Justiça e do alagoano pela condenação no âmbito da Operação Taturana, quando dirigia a Assembleia Legislativa de Alagoas, o ex-prefeito do município de Roteiro (AL), Fábio César Jatobá, voltou a ser denunciado, desta vez por crimes de peculato e lavagem de dinheiro, em razão do desvio de mais de R$ 186 mil de uma conta pública municipal que recebia recursos federais, nos anos de 2011 e 2012. A ação penal foi ajuizada pelo Núcleo de Combate à Corrupção (NCC) do Ministério Público Federal (MPF) e tramita na 3ª Vara Federal em Alagoas. Além de Fábio Jatobá, os procuradores da República em Alagoas denunciaram também João Luiz César Jatobá, primo do ex-prefeito, pelo crime de lavagem de dinheiro de valor superior a R$ 59 mil. A partir das informações colhidas pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF), o MPF em Alagoas afirma que obteve provas de irregularidades financeiras em movimentações, junto à instituição bancária das contas do prefeito e da Prefeitura Municipal, nos anos de 2011 e 2012. A conta pública municipal era destinatária de recursos federais provenientes do antigo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (FUNDEF) e do Fundo Nacional de Saúde (FNS) do Ministério da Saúde. Favorecimento pessoal As investigações levaram a documentos bancários que provam que Fábio Jatobá utilizava servidores municipais  como “laranjas”, para desviar para si próprio valores da conta do município; em dez operações identificadas com as mesmas características. Servidores municipais beneficiários de cheques bancários da Prefeitura tiveram os valores descontados pessoalmente pelo ex-prefeito e, em seguida, o dinheiro foi depositado “pelo próprio favorecido” em sua conta pessoal ou na conta da empresa JLC Jatobá-ME, de propriedade do primo do prefeito. Nos dois anos investigados, as movimentações somam o valor de R$ 186.324,67. Todas as movimentações foram realizadas pelo próprio ex-prefeito, sendo que deste total, quatro operações no valor de R$ 59.347,22 passaram efetivamente pela conta da empresa do primo, que era a todo tempo movimentada diretamente pelo ex-prefeito, que destinou parte desse valor, posteriormente, a sua própria conta pessoal. Conhecido da Taturana O MPF lembrou que Fábio Jatobá já foi condenado em ação de improbidade administrativa pela prática de crimes semelhantes quando exerceu o cargo de diretor financeiro da Assembleia Legislativa do Estado de Alagoas (ALE). No ano de 2007, a operação Taturana expôs prática ilícita de uso de servidores fantasmas da ALE para desvio de recursos públicos. Na denúncia ofertada à Justiça Federal, os procuradores afirmam que a contumácia do denunciado demonstra “inequívoco descaso com os órgãos e instrumentos da persecução penal, tais circunstâncias devem repercutir numa futura dosimetria da pena a ser imposta”. Condenado em novembro de 2017, Fábio Jatobá foi responsabilizado de forma solidária por todo dano de R$ 729.923,31 causado aos cofres públicos da ALE, por pagar empréstimos pessoais com recursos públicos da Assembleia Legislativa. E também teve a suspensão temporária dos direitos políticos pelo prazo de oito anos, na sentença  que ainda condenou o agora deputado federal Isnaldo Bulhões Barros Júnior (MDB-AL), e os ex-parlamentares Cícero Ferro (PMN); Edwilson Fábio de Melo Barros, o “Dudu Albuquerque”; Gervásio Raimundo dos Santos; Cosme Alves Cordeiro, o “Alves Correia”. O processo tramita sob o nº 0804134-53.2019.4.05.8000. O Diário do Poder não conseguiu contato com os denunciados. (Com informações da Ascom do MPF em Alagoas)
24/05/2019

Órgãos alertam prefeitos a não comprometer serviços com festas juninas, em Alagoas

Festas x obrigações

Órgãos alertam prefeitos a não comprometer serviços com festas juninas, em Alagoas

Documento alerta que gastos com festividades não podem comprometer despesas relevantes

Órgãos de controle do Estado de Alagoas expediram recomendação conjunta para que prefeitos e gestores municipais alagoanos não realizem despesas com festividades juninas, especialmente shows, quando houver o comprometimento de recursos imprescindíveis aos interesses da coletividade, comprometendo assim a manutenção essencial dos direitos fundamentais. O documento é assinado pelo Ministério Público de Contas de Alagoas (MPC/AL), juntamente com o Tribunal de Contas do Estado de Alagoas (TCE/AL) e o Ministério Público Estadual (MP/AL), com o argumento da defesa da ordem jurídica e dos interesses sociais e individuais indisponíveis. Os órgãos alertam que a realização de gastos com festividades não podem comprometer as despesas relevantes como: pagamento dos salários dos servidores públicos, despesas com a saúde, despesas com a educação, manutenção da limpeza urbana, dívidas com o INSS ou com o sistema de previdência local, o que atentaria contra a moralidade administrativa a qual se impõe aos gestores públicos de qualquer nível ou hierarquia. “O direcionamento de receitas públicas para o custeio de festividades em detrimento do cumprimento das obrigações legais que recaem sobre os gestores públicos, notadamente aquelas de cunho essencial constitui violação a preceito fundamental”, pontua a Recomendação Conjunta, assinada pelo presidente do TCE, conselheiro Otávio Lessa; pelo procurador-geral do MP de Contas, Gustavo Santos; e pelo chefe do MP Estadual, o procurador-geral de Justiça Alfredo Gaspar de Mendonça. Os gestores municipais que descumprirem a recomendação serão responsabilizados pela infração cometida, uma vez que os três órgãos, cada uma em sua competência constitucional, tomarão  as medidas cabíveis, onde os gestores podem ter suas prestações de contas julgadas como rejeitadas e ainda responderem a ações por atos de improbidade administrativa, tudo isso sem poder alegar o desconhecimento das consequências jurídicas de seu descumprimento em procedimentos administrativos e/ou judiciais futuros. A recomendação orienta os municípios com dificuldades financeiras que sofrem com a carência de recursos públicos que impõe-se ao administrador o dever de otimizar a alocação de tais recursos na satisfação das necessidades mais prementes da população. “A liberdade do administrador não é absoluta, pois as políticas públicas se submetem ao controle de constitucionalidade e legalidade, quando delas não decorrem benefícios para a população, diversos do entretenimento fugaz e passageiro, tal como o propiciado pelos festejos juninos”, diz o documento. O Procurador-geral do MP de Contas de Alagoas, Gustavo Santos, ressaltou que os gestores municipais devem optar sempre pelo pagamento das despesas consideras essenciais para os municípios. E disse que essa é a primeira atuação conjunta entre os órgãos com a finalidade de alertar aos gestores que eles serão responsabilizados se optarem por efetuar gastos com festividades juninas, em detrimento de despesas essenciais. “O gestor, doravante, não poderá arguir o desconhecimento de sua responsabilidade em caso de descumprimento da recomendação. Obviamente que a recomendação não impede a realização de festividades, apenas condiciona sua realização à demonstração de que o município encontra-se adimplente com suas obrigações fundamentais”, esclareceu Gustavo Santos. (Com informações da Ascom MPC/AL)
Mais Alagoas
24/05/2019

Acidente com carro oficial complica a vida dos moradores da saída norte do DF

Caos na Br 020

Acidente com carro oficial complica a vida dos moradores da saída norte do DF

Por dois dias consecutivos, moradores da região sofrem com enormes congestionamentos

Um acidente na manhã desta sexta-feira (22), envolvendo um carro oficial, atrapalhou a rotina dos moradores das cidades de Sobradinho, condomínios de Sobradinho, Planaltina e Formosa, da saída norte do Distrito Federal. Não houve vítimas, porém por ser um veículo oficial foi necessário esperar a perícia, o que causou quilômetros e quilômetros de congestionamento. Na tarde desta quinta (23), por volta das 16h, outro acidente causou horas de engavetamentos na volta pra casa dos moradores dessa região. O trecho da Br 020, onde houve o choque entre uma carreta e um veículo, ficou mais de 10 horas interditado, devido ao grande risco de explosão, por causa do combustível que ficou na rodovia. A carreta carregava  25 mil litros de combustível. Foi necessário que a equipe de Produtos Perigosos do Corpo de Bombeiros do DF retirasse o do líquido inflamável. Pela manhã, também na Br 020, um acidente tirou a vida de um motociclista, o que acarretou em outro congestionamento. É normal, ocorrendo qualquer acidente, ou incidente, o trânsito na saída norte do Distrito Federal é gravemente prejudicado. Na região, uma obra de expansão da rodovia e redirecionamento do tráfego está sendo feita. Objetivo do Governo do Distrito Federal  com a obra é livrar a população da região, dos intermináveis engarrafamentos que ocorrem todos os dias nos horários de pico. Segundo o DER por dia passam pela DF 003 cerca de 100 mil veículos pelo local de pessoas que moram nas cidades de Sobradinho I e II, condomínios do Grande Colorado e da DF 150. Além das cidades de Planaltina de Goiás e Formosa. A expectativa do Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER-DF) é de que a cada mês seja entregue uma parte da obra, até sua finalização prevista para segunda quinzena de julho. Essa obra começou em maio de 2014. Trevo de Triagem Norte e Torto-Colorado O Trevo de Triagem Norte é composto por 16 obras, entre viadutos, pontes e túneis. Somadas às passagens da Ligação Torto-Colorado, construção de pista marginal à DF 003 e de novos acessos aos condomínios, são ao todo 28 intervenções. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ As benfeitorias somam R$ 207 milhões, R$ 146 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), R$ 51 milhões de contrapartida do governo de Brasília e R$ 10 milhões da Agência de Desenvolvimento do DF (Terracap). Ponte Sobradinho-Lago Norte Porém outra alternativa ajudaria muito no trânsito na região. Existe um projeto, de autoria do arquiteto Oscar Niemeyer, da construção de uma nova saída norte, que está em discussão há 9 anos e previsto no Plano Diretor de Transporte Urbano e Mobilidade do Distrito Federal (PDTU-DF), pela lei distrital 4566/11. Assista o vídeo e veja como seria.
24/05/2019

Kelly Bolsonaro é diplomada como deputada distrital, em Brasília

No TRE-DF

Kelly Bolsonaro é diplomada como deputada distrital, em Brasília

Ela assume a cadeira cujo titular é o deputado Daniel Donizet (PSDB)

Kelly Cristina Pereira dos Santos, 32 anos, mais conhecida como Kelly Bolsonaro (Patriota) foi diplomada na noite desta quinta-feira (23) como deputada distrital. O evento ocorreu na Sala de Reuniões da desembargadora Carmelita Brasil, presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF). Ela assume a cadeira na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) que era do distrital Daniel Donizet (PSDB), que foi nomeado pelo governador Ibaneis Rocha para o cargo de administrador regional do Gama. Em fevereiro de 2016, Kelly Bolsonaro interrompeu um jogo Flamengo x Fluminente para divulgar a manifestação favorável ao impeachment que seria realizada em 13 de março daquele: ela invadiu o gramado do Estádio Mané Garrincha para exibir um cartaz “Fora Dilma”.
Mais Distrito Federal
24/05/2019

Não há como afirmar quando talude em Barão de Cocais cederá, diz Defesa Civil

Vida em aflição

Não há como afirmar quando talude em Barão de Cocais cederá, diz Defesa Civil

Cidade mineira vive tensão com risco de rompimento de barragem

O coordenador adjunto da Defesa Civil de Minas Gerais, tenente-coronel Flávio Godinho, disse hoje (23), em Barão de Cocais (MG), que não há como prever, com total segurança, quando o talude da mina de Gongo Soco cederá e, principalmente, se o desmoronamento do paredão causará o rompimento da barragem Sul Superior da mina. “O talude pode ceder amanhã? Pode. Como também pode não se romper. Ele pode ceder depois de amanhã, daqui a uma semana”, disse Godinho. Segundo ele, as informações contidas nos documentos da própria Vale, empresa mineradora dona da mina de Gongo Soco, que o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) tornou pública no último dia 16 são “projeções” que apontam para a possibilidade de o talude ceder até amanhã (25) e a barragem se romper. “Amanhã (25), acho que todo mundo vai ficar vendo se o talude cairá. E se não acontecer? Já falamos qual é a situação, que o talude corre risco, que não há certeza de que a barragem vá se romper e que todas as ações para mitigar o problema já foram adotadas. Não há um estudo técnico para dizer quando ele vai ceder. A projeção é que até amanhã ele venha a se romper, mas acreditamos que, se o talude se romper, o carreamento [do material] pode se deslocar para o interior da cava e se integrar ao ambiente”, disse. Taludes são planos de terreno inclinados, espécies de paredões que cercam a chamada cava da mina a fim de garantir a estabilidade do terreno escavado, e cuja queda pode provocar o rompimento de uma barragem, seja por atingi-la, seja por vibração no terreno. No caso da mina de Gongo Soco, a barragem Sul Superior está a pouco mais de 1 quilômetro de distância do talude que ameaça ruir. De acordo com Godinho, o monitoramento da movimentação do talude indica que, só esta manhã (24), ela se movimentou mais 12 centímetros. Este deslocamento do talude vem sendo observado desde abril. “Continuamos o monitorando, mas vale lembrar que não há nenhum estudo técnico que afirme que, caso o talude ceda, a barragem vá se romper”, enfatizou o coordenador adjunto da Defesa Civil. Pior cenário No último dia 17, ao anunciar a interdição e a suspensão das atividades do complexo minerário, o diretor da Agência Nacional de Mineração (ANM), Eduardo Leão, declarou que o talude de Gongo Soco certamente desmoronará. “Isso é um fato”, disse Leão, ao explicar que, até que o talude ceda, apenas operações seguras para tentar recuperar a estabilidade das estruturas poderiam ser realizadas. “O que estamos fazendo agora é minimizando os riscos, evitando que pessoas transitem dentro da cava ou que sejam atingidas.” Já o coordenador adjunto da Defesa Civil de Minas Gerais, Flávio Godinho, afirmou, hoje (24), que, ao traçar os planos de emergência e realizar simulados com a população, a Defesa Civil procura imaginar o pior cenário possível a fim de tentar prevenir todas as situações e, assim, fazer um trabalho preventivo que permita às pessoas saberem exatamente o que fazer e para onde se dirigir em caso de acidentes. Segundo o coordenador, isto acaba estressando os moradores da cidade, que tendem a esperar o pior. “Sabemos que este é um momento de tristeza e angústia. E a cada vez que as informações ruins são potencializadas, isto traz uma certa angústia e temor para a comunidade”, disse Godinho. “Estamos aqui com todo efetivo e ações para dar segurança à população. Desde o primeiro momento, a Defesa Civil vem trabalhando com o pior cenário possível para poder fazer um trabalho preventivo que permita a todas as pessoas poderem saber quais os locais de risco”, acrescentou, garantindo que o plano de emergência prevê ações para, se necessário, remover pessoas idosas e com necessidades especiais, além de ações para garantir o abastecimento de água e o fornecimento de energia elétrica. De acordo com Godinho, no pior cenário imaginável, que seria o rompimento da barragem e o vazamento de todo o material armazenado na cava, a massa de rejeitos percorreria cerca de 40 quilômetros, demorando aproximadamente 1 hora e 12 minutos para atingir a primeira casa em Barão de Cocais; 2 horas e 36 minutos a área rural da vizinha Santa Bárbara, e 8 horas para chegar ao município de São Gonçalo do Rio Abaixo. A literatura técnica, no entanto, aponta que, em caso de rompimento de barragem, o volume de material que vaza da barragem não ultrapassa 73% do volume total, o que reduz a distância que os rejeitos atingem e a velocidade com que a percorrem. “Se o talude cair no interior da cava e não houver nenhuma consequência para a comunidade, não será preciso falar em acionamento do plano de emergência. Já se o talude cair dentro da cava e gerar uma vibração e o rompimento da barragem, todos os órgãos serão imediatamente acionados para dar todo o apoio à população”, garantiu Godinho. (ABr)
22/05/2019

PGR é contra progressão de regime de Marcos Valério, operador do Mensalão

Continua preso

PGR é contra progressão de regime de Marcos Valério, operador do Mensalão

Segundo manifestação enviada ao STF, Valério cometeu faltas graves que impedem o benefício

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, se manifestou contra a progressão de regime do operador do Mensalão, Marcos Valério. Condenado a mais de 37 anos de prisão na Ação Penal 470 (Mensalão), o empresário está preso desde 2013 e tenta passar para o semiaberto. Segundo documento enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), existem indícios que o empresário cometeu faltas graves, recebeu tratamento diferenciado e regalias na Associação de Proteção e Assitência ao Condenado (Apac) de Sete Lagoas (MG), o que inviabiliza a concessão do benefício. A PGR afirma que desde o início de 2018, as irregularidades verificadas no cumprimento da pena de Valério são alvo de investigação do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), além de terem resultado na instauração de um Processo Administrativo Disciplinar (PAD). Embora o resultado da apuração interna tenha absolvido o detento, a PGR enfatiza que o procedimento reuniu relatos segundo os quais, Marcos Valério recebeu tratamento diferenciado, com a anuência do então presidente do estabelecimento, que, em decorrência das suspeitas, acabou sendo afastado do cargo por decisão judicial. Relatos colhidos na investigação evidenciam, segundo a PGR, que Valério era o único preso a não usar algemas em saídas da instituição, como idas ao ao dentista. Há relatos também de encontros entre o condenado e sua mulher no consultório odontológico, onde ele teria usado um telefone celular, cedido pelo próprio dentista. Valério se diz vítima de extorsões consistentes com pagamentos de R$ 100 a R$ 200 mil. Segundo a defesa, as demandas por repasses ilícitos ocorreram de novembro de 2017 a maio de 2018 e foram feitas por 13 pessoas, entre detentos e trabalhadores da unidade prisional. Entretanto, Raquel Dodge cita várias inconsistências na documentação apresentada e afirma que, para a elucidação dos fatos, é necessário obter informações da Secretaria de Segurança Pública de Minas Gerais sobre a autenticidade desses documentos e para saber se foram tomadas providências para se investigar os crimes de que Valério teria sido vítima. “De toda sorte, sobre esse aspecto da defesa de Marcos Valério, compartilho da percepção da juíza da Vara de Execuções Penais de Sete Lagoas/MG, no sentido de que ‘não é crível e tampouco factível que todos os funcionários da Apac, assim como os apenados ouvidos pelo MP tenham problemas e queiram, todos, prejudicar Marcos Valério’”, afirma Raquel Dodge.
Mais Minas Gerais
24/05/2019

Queiroz pagou R$ 64 mil em dinheiro vivo por cirurgia no Hospital Albert Eistein

Ex-assessor

Queiroz pagou R$ 64 mil em dinheiro vivo por cirurgia no Hospital Albert Eistein

Ex-assessor de Flávio Bolsonaro é alvo de investigação do Ministério Público

Fabrício Queiroz, ex-motorista de senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), pagou R$ 64,6 mil em dinheiro vivo sua cirurgia e internação no Hospital Albert Einstein, de 30 de dezembro a 8 de janeiro para retirada de um câncer no cólon. O pagamento foi feito em 14 de fevereiro. O atendimento custou R$ 70 mil, de acordo com a nota fiscal em nome de Queiroz. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (24) pelo jornal O Globo. O ex-motorista alegou que o montante quitado em dinheiro vivo estava guardado em sua casa para amortizar o financiamento de um apartamento na Taquara, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. O dinheiro foi entregue à tesouraria do hospital pela mulher de Queiroz, Márcia Oliveira de Aguiar. O PM aposentado é pivô da investigação do Ministério Público do Rio de Janeiro contra o senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente. A apuração começou após um relatório do governo federal ter apontado a movimentação suspeita de R$ 1,2 milhão na conta de Queiroz de janeiro de 2016 a janeiro de 2017. Além do volume movimentado, chamou a atenção a forma com que as operações se davam: saques e depósitos em dinheiro vivo. As transações ocorriam em data próxima do pagamento de servidores da Assembleia Legislativa do Rio. O ex-assessor de Flávio reconheceu ter recolhido parte do salário de servidores do gabinete do então deputado estadual, de 2007 a 2018, na Assembleia Legislativa do Rio. O objetivo, disse Queiroz, era contratar assessores informais para o então deputado e ampliar a base eleitoral do filho do presidente da República. Segundo o Ministério Público do Rio, há indícios robustos dos crimes de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa no gabinete de Flávio. Foi com base nesses indícios que a Promotoria solicitou a quebra dos sigilos bancário e fiscal de 86 pessoas e nove empresas, inclusive do filho do presidente da República. (Com informações da FolhaPress)
23/05/2019

STM solta nove envolvidos em caso de músico morto no Rio de Janeiro

80 tiros de fuzil

STM solta nove envolvidos em caso de músico morto no Rio de Janeiro

Carro em que estava Evaldo Rosa dos Santos e sua família recebeu 80 tiros de fuzil; eles iriam a um batizado

O plenário do Superior Tribunal Militar (STM) decidiu hoje (23), por 12 votos a 2, soltar nove militares do Exército que estavam presos preventivamente por terem disparado tiros contra o carro em que estava o músico Evaldo Rosa dos Santos, em Guadalupe, na zona oeste do Rio de Janeiro e sua família. Eles iriam a um batizado. O veículo foi atingido por mais de 80 tiros e Evaldo, de 51 anos, morreu na hora. Também baleado, o catador Luciano Macedo, que passava pelo local, morreu dias depois. Os nove militares do Exército estão presos desde 8 de abril, dia seguinte ao ocorrido. Após a Justiça Militar ter confirmado a prisão preventiva, eles entraram com um habeas corpus no STM, no qual pediram para ser soltos. Desde então, eles se tornaram réus no caso, junto com mais 3 militares soldados. Todos os 12 vão responder por homicídio qualificado, tentativa qualificada de homicídio e omissão de socorro. A denúncia foi aceita em 11 de maio pela juíza federal substituta da Justiça Militar, Mariana Queiroz Aquino Campos. Pela decisão do STM, nenhuma medida alternativa à prisão deve ser imposta enquanto eles aguardam em liberdade o desfecho da ação penal militar. Os ministros ressalvaram, porém, que a juíza de primeira instância pode voltar a decretar a prisão deles caso constate alguma tentativa de obstruir a instrução do processo, por exemplo. Os militares que devem ser soltos são: o segundo-tenente Ítalo da Silva Nunes, o terceiro-sargento Fabio Henrique Souza Braz da Silva, o cabo Leonardo Oliveira de Souza, e os soldados Gabriel Christian Honorato, Matheus Sant’Anna Claudino, Marlon Conceição da Silva, João Lucas da Costa Gonçalo, Gabriel da Silva de Barros Lins e Vitor Borges de Oliveira. Julgamento Nesta quinta-feira, o relator do caso no STM, ministro Lúcio Mário de Barro Góes, reforçou argumentos pela soltura dos militares. Ele entendeu que os corréus não têm antecedentes, possuem endereço fixo e estão em pleno exercício de suas funções nas Forças Armadas, além de não haver provas de que possam tentar atrapalhar as investigações. Diante disso, “qualquer argumento no sentido de que manutenção da prisão cautelar se faz necessária para preservar o processo penal ou a ordem pública não passa de mera suposição”, disse Góes. “Nada leva a crer que a concessão da liberdade provisória possa trazer algum risco no seio da sociedade”, concordou o ministro Francisco Joseli Parente. Votaram com o relator os ministros Carlos Augusto de Souza, Álvaro Luis Pinto, Luis Carlos Gomes Mattos, Odilson Sampaio Benzi, Marco Antônio de Farias, William de Oliveira Barros, Cleonilson Nicácio Silva, Artur Vidigal de Oliveira e Péricles Aurélio Lima de Queiroz. O ministro José Barroso Filho divergiu em parte. Para ele, o segundo-tenente Ítalo da Silva Nunes deveria permanecer preso, devido à sua condição de oficial, que em tese teria capacidade de prejudicar as investigações. Ele também havia opinado pela imposição de medidas alternativas à prisão, como recolhimento domiciliar noturno, mas ficou vencido nesse ponto. A única a divergir totalmente foi a ministra Maria Elizabeth Rocha, que votou pela manutenção de todas as prisões preventivas. Ela destacou a desproporcionalidade da ação dos militares, que segundo apurações preliminares fizeram, no total, mais de 240 disparos de fuzil. A ministra ainda ressaltou que os envolvidos em um primeiro momento “mentiram para o comando e venderam para o comando a versão de que foram atacados”, o que não teria se confirmado posteriormente.  (ABr)
Mais Rio de Janeiro
24/05/2019

Ministro se reúne com vencedores do Prêmio Professores do Brasil 2018

Café da manhã

Ministro se reúne com vencedores do Prêmio Professores do Brasil 2018

O grupo formado por cerca de 30 professores seguirá rumo às cidades de Quebec e Ottawa, no Canadá

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, se reunirá em um café da manhã com docentes de todo o País, vencedores do Prêmio Professores do Brasil de 2018, no próximo sábado, 25, em São Paulo, às 9 horas. O grupo formado por cerca de 30 professores seguirá rumo às cidades de Quebec e Ottawa, no Canadá. A oportunidade é fruto de uma parceria do Prêmio com o colégio Colleges and Institutes Canada (CICan), na qual os docentes vão trocar experiências e fazer uma imersão na educação e na cultura local. A viagem e todos os custos serão por conta da instituição parceira. Prêmio O Prêmio Professores do Brasil é uma iniciativa do Ministério da Educação com instituições parceiras para valorizar, reconhecer, divulgar e premiar o trabalho de professores de escolas públicas que contribuam para a melhoria dos processos de ensino e aprendizagem desenvolvidos nas salas de aula.
24/05/2019

Casos de estupro e furto aumentam no estado de São Paulo em abril

Insegurança pública

Casos de estupro e furto aumentam no estado de São Paulo em abril

O trabalho realizado pelas três polícias estaduais resultou em 17.522 prisões realizadas ao longo do quarto mês deste ano

Os furtos no estado de São Paulo aumentaram 8,4% em abril, chegando a 44.596 casos registrados. Já os furtos de veículos caíram 7,8%, passando de 8.436 para 7.780, de acordo com os dados divulgados mensalmente pela Secretaria de Segurança Pública do estado. Houve aumento ainda nos casos de estupro (6,4%), que passaram de 957 para 1.018. A quantidade de casos de homicídios dolosos subiu 1,2%, passando de 252 para 255 boletins de ocorrência na comparação mensal. Apesar da alta nos casos, o indicador de vítimas recuou 3,3%, passando 271 para 262. Os dados divulgados hoje (24) também indicam redução de 8,8% dos roubos em geral em relação ao mês de abril de 2018, quando o total foi de 22.772. Em abril deste ano, foram 20.788. Os roubos de carga recuaram 20,6% em abril, passando de 768 para 610. Os roubos a banco reduziram de três para um na comparação do quarto mês (66,7%). Os casos de roubos de veículos apresentaram redução de 17,6%, de 4.941 para 4.069. O total de latrocínios caiu 40,7% em abril, passando de 27 para 16 casos. Já o indicador de vítimas recuou 42,9%, de 28 para 16. As extorsões mediante sequestro caíram 33,3%, passando de três para dois. O trabalho realizado pelas três polícias estaduais resultou em 17.522 prisões realizadas ao longo do quarto mês deste ano. No mesmo período, 1.156 armas de fogos foram retiradas das ruas e 4.082 flagrantes de tráfico de drogas foram registrados. (ABr)
Mais São Paulo
24/05/2019

BMW Motorrad selecionará brasileiros para participar de competição internacional

Diário Motor

BMW Motorrad selecionará brasileiros para participar de competição internacional

A 7ª edição da GS Trophy International será realizada em 2020 na Nova Zelândia

A BMW Motorrad fará quatro qualificatórias para a sétima edição do GS Trophy International, competição voltada para pilotos amadores, clientes e entusiastas da marca. A etapa final será realizada em fevereiro de 2020 na Nova Zelândia. As provas avaliarão as habilidades individuais e em grupo dos competidores e a capacidade off-road de pilotagem. A fase classificatória brasileira será disputada em quatro etapas, sendo a primeira em Cabreúva (SP), entre os dias 15 e 16 de junho. A segunda ocorre nos dias 3 e 4 de agosto em Pirenópolis (GO). A terceira está marcada para 24 e 25, também de agosto, em Urubici, interior de Santa Catarina. A última, e mais importante, etapa será realizada em nos dias 14 e 15 de setembro em Socorro, interior de São Paulo. Os 30 competidores que obtiverem as maiores pontuações de cada etapa estarão automaticamente classificados para a fase final. Nela será definida a equipe que representará o Brasil na sétima edição do BMW Motorrad GS Trophy. Para participar, não é necessário ser cliente da BMW, mas é preciso ter uma motocicleta para uso off-road. O participante irá utilizar a própria moto. Será cobrado uma taxa de inscrição, ainda a ser definida. Quem tiver interesse, poderá se cadastrar para receber as informações da competição no site da GS Trophy. A fase qualificatória nacional também prevê uma equipe formada exclusivamente por mulheres. As três melhores de cada etapa, independentemente do resultado geral, participarão da etapa classificatória final, em setembro. E, as duas mais bem classificadas, competirão na classificatória feminina internacional, a ser realizada no último trimestre deste ano, na Espanha.
24/05/2019

Peugeot projeta veleiro de luxo Tofinou 9.7 em parceria com o estaleiro Latitude 46

Diário Motor

Peugeot projeta veleiro de luxo Tofinou 9.7 em parceria com o estaleiro Latitude 46

A embarcação mede 9,75 metros e será apresentada no fim do ano

A Peugeot foi convidada pelo estaleiro Latitude 46 para auxiliar na renovação da linha de veleiros de luxo da marca, a Tofinou 9.7. Segundo a empresa, a ideia é modernizar e revitalizar o estilo das novas embarcações, mas sem descaracterizar o espírito da linha. Com isso, o estilo clássico do estaleiro foi mantido nas linhas externas. O Tofinou 9.7 tem um desenho elegante e conta com materiais de alta qualidade, como mogno envernizado, aço inox e carbono. O veleiro será apresentado ao público em setembro durante o Grand Pavois, em La Rochelle, salão náutico realizado no litoral oeste da França. A Peugeot ficou responsável pelo desenvolvimento do convés do Tofinou 9.7. A montadora francesa propôs um desenho estruturado, preciso e dinâmico, responsável para dar uma nova cara ao veleiro. Segundo a marca, as linhas são simples e elegantes.
24/05/2019

Paulo Guedes afirma que renunciará se Previdência virar ‘reforminha’

'Tenho idade para aposentar'

Paulo Guedes afirma que renunciará se Previdência virar ‘reforminha’

"Pego um avião e vou morar lá fora", disse o ministro em entrevista à revista Veja

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que renunciará ao cargo se a reforma da Previdência virar uma “reforminha”. A afirmação foi feita em entrevista à revista Veja nesta sexta-feira, 24. Guedes alertou ainda que o Brasil pode quebrar já em 2020. “Pego um avião e vou morar lá fora. Já tenho idade para me aposentar”, disse ele, segundo a reportagem. “Se não fizermos a reforma, o Brasil pega fogo. Vai ser o caos no setor público, tanto no governo federal como nos estados e municípios”. Segundo o ministro da Economia, o Brasil “pega fogo” se a reforma não for feita. “Vai ser o caos no setor público, tanto no governo federal como nos Estados e municípios”. “Eu não sou irresponsável. Eu não sou inconsequente. Ah, não aprovou a reforma, vou embora no dia seguinte. Não existe isso. Agora, posso perfeitamente dizer assim: ‘Olha, já fiz o que tinha de ter sido feito. Não estou com vontade de ficar, vou dar uns meses, justamente para não criar problemas, mas não dá para permanecer no cargo’. Se só eu quero a reforma, vou embora para casa”, disse Guedes na entrevista. De acordo com a Veja, Guedes afirmou que o presidente Jair Bolsonaro está totalmente empenhado em aprovar a reforma nos moldes em que o projeto foi enviado pelo governo ao Congresso, com expectativa de economia de até R$ 1,2 trilhão nos próximos dez anos. Guedes reconhece que há uma margem de negociação, que pode no máximo ir a R$ 800 bilhões, e destacou ainda que a reforma previdenciária não está sendo apresentada apenas para equilibrar as contas públicas, mas que também se propõe a corrigir enormes desigualdades, de acordo com a revista. O ministro reafirmou sua confiança nas convicções de Bolsonaro, e acredita em uma união política em torno da agenda econômica do governo. “Eu confio na confiança que o presidente tem em mim.” Não é a primeira vez que Guedes sinaliza que pode deixar o ministério, caso a agenda econômica não seja prioritária. Em março, o ministro afirmou não ter apego ao cargo, durante audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE).

Charge

banner-brasilcti (1)
24/05/2019

Expansão desordenada aumenta risco de falta de água na macrometrópole paulista

ABASTECIMENTO E CAOS URBANO

Expansão desordenada aumenta risco de falta de água na macrometrópole paulista

Aglomerados urbanos precários avançam em São Paulo, Campinas e na Baixada Santista

Do total de 33 milhões de habitantes da macrometrópole paulista, 3,8 milhões vivem hoje em condições precárias. Essas pessoas estão distribuídas em 113 dos 174 municípios da área, que engloba as regiões metropolitanas de São Paulo, Campinas, Baixada Santista, Sorocaba, Vale do Paraíba e Litoral Norte, além das aglomerações urbanas de Jundiaí, Piracicaba e Bragança Paulista. Estima-se que o território ocupado por essa parcela da população vivendo em condições precárias totalize 31,5 mil quilômetros e que esteja se expandindo em direção a áreas de mananciais e de preservação ambiental. Essa ocupação urbana desordenada tem aumentado na região – que concentra 20% do patrimônio natural protegido do Estado de São Paulo – os riscos de escassez hídrica e as vulnerabilidades sociais e ambientais às mudanças climáticas. A avaliação foi feita por pesquisadores participantes do “Fórum de Governança Ambiental da Macrometrópole Paulista”, realizado em abril no Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo (IEE-USP). Organizado no âmbito de um projeto apoiado pela FAPESP, o evento reuniu professores, pesquisadores e estudantes de pós-graduação com projetos em andamento sobre questões ambientais relacionadas à macrometrópole paulista. “Ao analisar a distribuição populacional na região, é possível identificar um padrão de ocupação disperso e descontrolado associado à renda”, disse Angélica Benatti Alvim, professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie. “Há uma concentração de residências de pessoas de alta e média renda próximas aos principais centros urbanos, onde há disponibilidade de empregos e atividades de comércio, serviços, polos de alta tecnologia e infraestrutura de transporte. Já as moradias da população de baixa renda situam-se em assentamentos precários localizados, de modo espraiado, em áreas de maior fragilidade e de preservação ambiental”, disse. De acordo com a pesquisadora, as principais regiões em que tem sido observado o avanço de aglomerados urbanos precários em áreas de preservação ambiental são as metropolitanas de São Paulo, Campinas e Baixada Santista. A ocupação desordenada dos mananciais contribui para maior escassez da água nas regiões mais populosas, especialmente na Região Metropolitana de São Paulo, e coloca também em risco a sustentabilidade de regiões vizinhas à macrometrópole, como é o caso da região do Vale do Ribeira. Segundo estudos da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), as áreas mais populosas dessas regiões provavelmente vão intensificar o empréstimo de água de outras regiões em um futuro próximo, afirmou Alvim. “Também percebemos que áreas próximas à Serra do Japi, em Jundiaí, no Vale do Paraíba e no litoral norte de São Paulo têm sido pressionadas pela ocupação desordenada”, disse. Números subestimados O último Censo Demográfico realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indicou que havia 2,1 milhões de pessoas morando em aglomerados subnormais (favelas) na Região Metropolitana de São Paulo. Já na Região Metropolitana da Baixada Santista havia 297 mil e, na de Campinas, pouco mais de 234 mil. Esses 2,1 milhões de pessoas vivendo em condições precárias na Região Metropolitana de São Paulo estariam distribuídos em 596 mil domicílios. Desse total, 148 mil estariam situados às margens de córregos, rios e áreas de proteção permanente (APPs), 10 mil em áreas de preservação ambiental e quase 2 mil em aterros sanitários, lixões e outras áreas contaminadas, ainda de acordo com dados do IBGE. Porém, esses números podem estar subestimados. Um estudo feito por pesquisadores do Centro de Estudos da Metrópole (CEM) – um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) apoiados pela FAPESP, revelou que há 1,1 milhão de pessoas a mais em situação de precariedade do que registraram os dados do último Censo Demográfico do IBGE. Com isso, o total ajustado passou a ser de 3,8 milhões de pessoas (leia mais em http://agencia.fapesp.br/19263). “Essa disparidade nos dados censitários indicada pelo Centro de Estudos da Metrópole aponta para o surgimento de pequenos núcleos de favela na macrometrópole paulista”, disse Lúcia Maria Machado Bógus, professora da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e coordenadora do Observatório das Metrópoles. No município de São Paulo, por exemplo, o processo de favelização tinha revertido e, nos últimos anos, devido ao desemprego e à deterioração das condições de vida da população de baixa renda, tem se observado uma piora, disse a pesquisadora. “Isso também tem sido notado em outros municípios da macrometrópole paulista.” De acordo com Bógus, outro fenômeno de ocupação urbana recentemente observado na macrometrópole paulista é a interligação das periferias de municípios vizinhos. “Hoje já não é mais possível se referir à periferia de São José dos Campos, por exemplo, sem lembrar que se vincula à expansão periférica de municípios vizinhos”, disse. “Outro caso que merece destaque é o da cidade de Jundiaí, onde o processo de expansão das periferias, ligando municípios limítrofes, também é bastante evidente.” (Agência FAPESP)   Leia mais sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em BRASIL CTI.
24/05/2019

Definida equipe que representará o Brasil na Olimpíada de Matemática

OLIMPÍADA DE MATEMÁTICA

Definida equipe que representará o Brasil na Olimpíada de Matemática

Estudantes de mais de cem países são esperados para a disputa

A equipe que representará o Brasil na 60ª Olimpíada Internacional de Matemática (IMO) já está formada. Os integrantes foram anunciados, nesta quarta-feira (22), pela Comissão Nacional de Olimpíadas de Matemática da SBM. A competição ocorrerá este ano entre 11 e 22 de julho, na cidade de Bath, no Reino Unido. Estudantes de mais de 100 países são esperados para a disputa. O time do Brasil será composto por Bernardo Peruzzo Trevizan, de Canoas (RS); Felipe Chen Wu, do Rio de Janeiro (RJ); Guilherme Zeus Dantas e Moura, de Maricá (RJ); Pedro Gomes Cabral, de Recife (PE); Pedro Lucas Lanaro Sponchiado, de Santa Cruz do Rio Pardo (SP); e Samuel Prieto Lima, de Goiânia (GO).  A equipe conta com três jovens que tiveram sucesso na IMO 2018: Sponchiado (medalha de ouro), Cabral e Trevisan (medalhas de bronze). Premiados na OBM 2018, os estudantes foram selecionados após uma bateria de quatro provas seletivas. Eles serão liderados pelos professores Edmilson Rodrigues Motta e Carlos Yuzo Shine, ambos de São Paulo (SP). Brasil na IMO O Brasil participou da IMO pela primeira vez em 1979. Desde então, obteve 130 medalhas, o que o torna o país latino-americano mais premiado da competição. No ano passado, a equipe brasileira ganhou cinco medalhas – um ouro e quatro bronzes. Em 2017, foi organizada, no Rio de Janeiro (RJ), a 58ª Olimpíada Internacional de Matemática (IMO), com recorde de participantes, totalizando 623 estudantes de 111 países. (IMPA) Leia mais sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em BRASIL CTI.
24/05/2019

Pesquisa pode dar origem a colírio inovador para tratamento de retinopatia diabética

ESPERANÇA NO OLHAR

Pesquisa pode dar origem a colírio inovador para tratamento de retinopatia diabética

Fármaco deve chegar à população nos próximos anos

Atualmente, 13 milhões de brasileiros convivem com o diabetes, número que representa 6,9% da população do país, de acordo com dados da Sociedade Brasileira de Diabetes. Uma das complicações da doença é a chamada retinopatia diabética, que pode comprometer a visão de pacientes e, em estágios mais avançados, levar à perda total e irreversível da visão. O quadro é consequência de alterações neurais e vasculares na retina, ocasionadas pelo efeito da alta taxa glicêmica (glicose no soro). Mas, se de um lado há a doença e seus desafios, de outro, pesquisadoras da Faculdade de Engenharia Química (FEQ) e da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp podem ter a solução: um colírio que trata e previne a doença. A tecnologia deve chegar à população nos próximos anos. Atualmente, já é possível encontrar outras opções terapêuticas para doença, como a fotocoagulação com laser, as injeções intravítreas e até mesmo cirurgias. Contudo, ao contrário da composição farmacêutica obtida na Universidade, todos estes métodos são invasivos, conforme destaca a pesquisadora Jacqueline Mendonça Lopes de Faria, responsável pelos estudos. “A formulação farmacêutica contida no colírio permeia as barreiras oculares, carreando o princípio ativo até a retina. O colírio que desenvolvemos, por ser em apresentação tópica, não oferece riscos ao paciente”, conta a pesquisadora, que se afastou de suas funções na Unicamp para criar a SIGHT, braço P&D da M. Lopes De Faria Oftamologistas Associados, empresa que licenciou, no ano passado e em caráter não-exclusivo, a tecnologia. Amplamente noticiado em jornais e noticiários locais e nacionais, em 2016, a tecnologia despertou o interesse da população e de empresas e laboratórios farmacêuticos. A tecnologia, que conquistou recentemente também o Prêmio Empreenda Saúde, é um exemplo claro de como o investimento em pesquisa é capaz de gerar benefícios à sociedade. Entretanto, Jacqueline destaca que a composição ainda se trata de uma tecnologia embrionária e que demanda desenvolvimento tecnológico complementar até se tornar, de fato, um produto e poder se utilizado em larga escala. “Apesar de várias grandes empresas da indústria farmacêutica terem mostrado interesse na tecnologia, o desenvolvimento de um novo colírio ainda é precoce e depende de novas pesquisas por parte das inventoras”, avalia Jacqueline. E foi aí que surgiu a ideia do licenciamento para sua própria empresa. “A ideia é que, após novas pesquisas e desenvolvimento tecnológico, grandes empresas farmacêuticas realizem os testes clínicos em humanos e a comercialização do colírio”, completa. Ou seja, a M. Lopes De Faria vai atuar no modelo B2B, Business to Business, fornecendo a tecnologia para que outra empresa passe a comercializá-la e levá-la até os pacientes. “Nosso cliente é a empresa e não o consumidor final”, ressalta. A expectativa é que o colírio possa ser utilizado em pacientes – tanto na prevenção, quando no tratamento da retinopatia diabética – nos próximos anos. Contudo, ainda há um longo caminho a ser percorrido, como lembra a pesquisadora e empreendedora. “Precisamos de recursos para realizar testes de segurança aqui no Brasil e no exterior e, depois, montar um dossiê que será encaminhado aos órgãos reguladores para dar início às fases de testes, que envolvem desde segurança até eficiência”, frisa Jacqueline. Um dos desafios da pesquisa está na produção em maior escala para a indústria farmacêutica. “As pesquisas devem convergir para o uso de matérias primas de alto grau de pureza, estabilidade do produto, escalonamento da produção para testes em uma maior população de animais e, posteriormente, em humanos”, complementa a professora Maria Helena Andrade Santana, da FEQ, e que também participou do desenvolvimento da composição. Vale lembrar que o uso da tecnologia já foi testado em ratos de laboratório experimentalmente diabéticos, obtendo resultados promissores. A composição se mostrou eficiente ainda ao promover efeitos protetores na retina funcional. No estudo in vivo conduzido na Unicamp, não foram observados efeitos colaterais adversos. “Nos experimentos, o uso do colírio possibilitou importantes efeitos neuroprotetores da retina em animais diabéticos, o que pudemos observar pelo eletroretinograma”, corrobora Jacqueline. A responsável pelo desenvolvimento da composição destaca, ainda, o potencial do uso do colírio para tratar e prevenir outras doenças oculares. Ou seja, trata-se de uma formulação farmacêutica altamente promissora para a oftalmologia. “A utilização do colírio é um facilitador na administração do fármaco, não apresentando os riscos de um procedimento intraocular ou dos danos irreversíveis da fotocoagulação a laser na retina do paciente”, avalia. Também atuaram no desenvolvimento da formulação farmacêutica a doutora Mariana Aparecida Brunini Rosales e Aline Borelli Alonso, mestranda na Engenharia Química. Os estudos contaram com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). (Jornal da Unicamp)   Leia mais sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em BRASIL CTI.
24/05/2019

Reconstrução de crânios em 3D esclarece evolução de macacos do Novo Mundo

CABEÇA DE PRIMATA

Reconstrução de crânios em 3D esclarece evolução de macacos do Novo Mundo

Foram usados no trabalho fósseis encontrados no fundo de uma gruta no norte da Bahia

Crânios de duas espécies de primatas já extintas – Caipora bambuiorum e Cartelles coimbrafilhoi – foram examinados por tomografia computadorizada e reconstruídos em imagens tridimensionais por um grupo que reúne cientistas de diversos países. Foram usados no trabalho fósseis encontrados há quase 30 anos no fundo de uma gruta da Caatinga, no norte da Bahia. As imagens foram comparadas com as de outros 14 primatas do Novo Mundo ainda viventes, o que permitiu descobrir adaptações e inferir relações até então desconhecidas daquelas duas espécies extintas com os macacos que atualmente habitam as matas das Américas do Sul e Central, além do Caribe. “Pela primeira vez, foi conduzido um estudo da morfologia endocraniana [formato do interior de um crânio, considerado um reflexo direto da forma externa do cérebro] de platirrinos fósseis, os primatas do Novo Mundo”, disse André Menezes Strauss, professor do Museu de Arqueologia e Etnologia (MAE) e pesquisador colaborador do Laboratório de Arqueologia e Antropologia Ambiental e Evolutiva (LAAAE) do Instituto de Biociências (IB) da Universidade de São Paulo (USP). Os resultados da pesquisa, apoiada pela FAPESP, foram divulgados em artigo publicado no American Journal of Physical Anthropology. O trabalho descreve a variação na forma do crânio e do endocrânio de 14 espécies de bugios (gênero Alouatta), macacos-aranha (Ateles), monos-carvoeiros (Brachyteles) e macacos-barrigudos (Lagothrix), além dos outros dois táxons extintos, Cartelles e Caipora. Das cerca de 350 espécies de primatas viventes em todo o mundo, os platirrinos formam o maior contingente, com pouco mais de 200 espécies. O artigo é resultado de uma pesquisa liderada pelo antropólogo argentino Ivan Perez, do Museu de La Plata, da qual participou Cástor Cartelle (que dá nome à espécie Cartelles coimbrafilhoi), da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), além de pesquisadores da USP, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e de instituições da Alemanha, Bélgica, Estados Unidos e França. Além da FAPESP, apoiaram a investigação o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o Fondo para la Investigación Científica y Tecnológica (FonCyT) e o Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas (Conicet). Os fósseis de Cartelles e Caipora estão depositados no Museu de História Natural da PUC-MG, em Belo Horizonte. Os 14 crânios de platirrinos viventes saíram das coleções do Museu de La Plata, do Museu Nacional (Rio de Janeiro), do Museu Argentino de Ciências Naturais (Buenos Aires) e do Museu Nacional de História Natural (Washington). “Os 16 espécimes foram digitalizados usando um scanner médico de tomografia computadorizada. Um modelo virtual tridimensional do endocrânio foi gerado para cada amostra e os modelos de superfície 3D dos crânios foram extraídos dos dados tomográficos”, explicou Strauss à Agência FAPESP. Como os espécimes fósseis (Cartelles e Caipora) apresentam alguns danos, particularmente na região dos arcos zigomáticos – que formam a proeminência da bochecha, parte da parede lateral e assoalho da órbita e partes das fossas temporal e infratemporal –, duas estratégias foram adotadas para poder analisá-los. Segundo Strauss, no caso de Caipora, o arco zigomático direito está ausente, mas o lado esquerdo está intacto. “Assim, no modelo 3D, refletimos o lado não danificado, aproveitando a simetria bilateral, para o lado danificado. Dessa forma, obtivemos um espécime completo, virtualmente reparado”, disse. “No caso de Cartelles, dado que ambos os lados estão ausentes, recorremos a um método de imputação para estimar a posição das partes em falta”, disse. Perez digitalizou 26 marcos anatômicos e 373 marcos secundários ao longo das curvas e superfícies de cada endocrânio, bem como 64 referências anatômicas e 196 marcos secundários em cada crânio. “Esses dados serviram de base a análises multivariadas para a comparação de todos os 16 espécimes nas suas mais variadas características, buscando similaridades e diferenças que indicassem padrões morfológicos [portanto, padrões adaptativos] entre todos eles”, disse Strauss. Em outras palavras, uma vez que entre os espécimes viventes de macacos atelídeos – os maiores primatas do Novo Mundo, que hoje congrega bugios, monos-carvoeiros, macacos-aranha e macacos-barrigudos – havia crânios de bugios, de macacos-aranha, de monos-carvoeiros e de macacos-barrigudos, a comparação dos dados de todos esses com os de Cartelles e de Caipora serviu para indicar a qual ou quais daqueles gêneros da família dos atelídeos os dois fósseis seriam mais assemelhados e, portanto, mais aparentados. Crânios em 3D Strauss conta que os dados de Caipora se agruparam claramente próximos aos dados de macacos-aranha, monos-carvoeiros e macacos-barrigudos, que são em seu conjunto distanciados dos dados dos bugios. Ou seja, os bugios possuem um ancestral comum com os outros gêneros de atelídeos e com Caipora, que é mais antigo do que o ancestral comum de macacos-aranha, monos-carvoeiros e macacos-barrigudos. “Agora, quando se analisa a posição de Caipora unicamente com relação aos macacos-aranha, monos-carvoeiros e macacos-barrigudos, verifica-se que o fóssil se posiciona claramente próximo aos monos-carvoeiros”, disse Strauss. “A hipótese inicial feita por Cástor Cartelle há 20 anos de que Caipora seria semelhante a um macaco-aranha gigante não se verifica, pois os nossos dados indicam que esse macaco extinto se assemelharia, na verdade, muito mais a um mono-carvoeiro ‘gigante’”, disse Strauss. No caso do fóssil de Cartelles, os resultados das análises multivariadas revelaram surpresas. Em primeiro lugar, os dados não se agruparam claramente a nenhum dos quatro gêneros viventes de atelídeos, mas se posicionaram consistentemente preenchendo o espaço morfológico, antes vazio, que separa os bugios de macacos-aranha, monos-carvoeiros e macacos-barrigudos. “Em relação às espécies fósseis, mostramos que a espécie Caipora bambuiorum se posiciona dentro da faixa observada de variação entre os monos-carvoeiros. Já Cartelles coimbrafilhoi ocupa uma região de formato endocranial que não se sobrepõe com a faixa de variação observada em nenhum dos atelídeos viventes. Dos quatro gêneros, Cartelles está mais próximo dos bugios [Alouatta] no que diz respeito ao espaço do interior do crânio [endocrânio], porém mais próximo dos macacos-barrigudos [Lagothrix] no que diz respeito ao formato de seu crânio”, disse Strauss. “Verificamos que, quando removido o fator tamanho, Cartelles era um primata com características intermediárias entre bugios, de um lado, e macacos-aranha, monos-carvoeiros e macacos-barrigudos, de outro”, disse Strauss. “Nossos resultados sugerem que dentro do clado atelídeo, a extinção de Caipora bambuiorum e de Cartelles coimbrafilhoi levou a uma perda de significativa variação biológica que não poderia ser antecipada sem a descoberta desses fósseis”, concluíram os autores no artigo. Peter Lund e Cástor Cartelle Toda a linhagem dos primatas do Novo Mundo, espalhados desde o norte da Argentina até o México e o Caribe, descende de um único bando de fundadores, formado por pequenos macacos africanos que, há cerca de 45 milhões de anos, teriam feito a travessia do antigo Atlântico Sul (que tinha um terço da extensão atual) em balsas formadas por vegetação flutuante. A pesquisa de macacos fósseis nas Américas começou no Brasil há 183 anos, quando o naturalista dinamarquês Peter Wilhelm Lund, em 1836, descobriu em uma caverna da região de Lagoa Santa (MG) os restos de um primata de dimensões muito maiores do que todos os platirrinos viventes. Àquele macaco extinto há mais de 10 mil anos Lund deu o nome de Protopithecus brasiliensis, o “macaco ancestral brasileiro”, um parente próximo – porém com o dobro do tamanho – do mono-carvoeiro, o maior platirrino vivente. Desde então, foram sendo achados fósseis (quase sempre dentes isolados e fragmentos de mandíbulas, porém pouquíssimos crânios) de platirrinos muito mais antigos, extintos há milhões ou dezenas de milhões de anos, na Patagônia argentina, no alto da cordilheira chilena, no altiplano boliviano, na selva amazônica peruana e em diversas ilhas caribenhas. Apesar das mais de 30 espécies de platirrinos extintas descritas, Protopithecus nunca perdeu seu posto de gigante, muito maior que todos os demais. Existem apenas duas exceções. Em 1992, foram encontrados em uma câmara recuada no interior da Toca da Boa Vista (BA), a maior caverna brasileira, os esqueletos quase completos de dois outros platirrinos gigantes, que viveram no final da Idade do Gelo, portanto há mais de 10 mil anos. Ambos os fósseis foram estudados na PUC-MG por Cartelle, que descreveu um dos indivíduos como um macaco-aranha gigante de uma nova espécie, Caipora bambuiorum. No caso do segundo indivíduo, Cartelle identificou-o como sendo membro da espécie Protopithecus descrita por Lund. Caipora e Protopithecus pertenciam à família dos atelídeos. O maior de todos é o mono-carvoeiro, que chega a 15 quilos, seguido pelos bugios, com no máximo 10 quilos. Caipora e Protopithecus, no entanto, eram 60% maiores. Em vida, deveriam superar os 25 quilos. Ou seja, tinham o tamanho de um babuíno africano. Em 2013, graças ao trabalho de antropólogos norte-americanos, veio a se saber que aquele indivíduo achado na Toca da Boa Vista e identificado originalmente como Protopithecus pertencia, na verdade, a uma nova espécie: Cartelles coimbrafilhoi, nome que homenageia Cartelle. Os pesquisadores identificaram Cartelles como aparentado dos bugios (gênero Alouatta), e não mais do mono-carvoeiro (Brachyteles), como havia sido proposto por Cartelle. Agora, em 2019, o emprego de novas técnicas de investigação científica forneceu uma nova interpretação para os fósseis de Caipora e, especialmente, de Cartelles. A construção de um modelo tridimensional do crânio de Cartelles permitiu concluir que o animal tinha adaptações morfológicas cranianas diferentes de qualquer outro primata do Novo Mundo, vivente ou extinto. “Hoje, graças ao uso da tomografia computadorizada, Cartelles pode contar com uma nova análise, com novas conclusões. Nem tanto bugio nem tanto mono-carvoeiro, acredita-se agora que Cartelles, aquele macaco gigante do Pleistoceno encontrado na Bahia, possuía características cranianas únicas, que não são mais encontradas em nenhum outro primata do Novo Mundo”, disse Strauss. O Protopithecus descrito por Lund não fez parte do estudo de Aristide, Strauss e colegas pela ausência de um crânio que pudesse ser tomografado. Os fósseis já encontrados apresentam elevado grau de fragmentação. O artigo Cranial and endocranial diversity in extant and fossil atelids (Platyrrhini: Atelidae): A geometric morphometric study (doi: 10.1002/ajpa.23837), de Leandro Aristide, André Strauss, Lauren B. Halenar-Price, Emmanuel Gilissen, Francisco W. Cruz, Castor Cartelle, Alfred L. Rosenberger, Ricardo T. Lopes, Sergio F. dos Reis e S. Ivan Perez, está publicado em https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1002/ajpa.23837. (Agência FAPESP)   Leia mais sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em BRASIL CTI.
24/05/2019

Atividade física na adolescência pode reduzir risco de câncer colorretal no adulto

PREVENÇÃO NECESSÁRIA

Atividade física na adolescência pode reduzir risco de câncer colorretal no adulto

Os dados são de um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Harvard e da Faculdade de Medicina da USP

Pessoas que se mantiveram ativas durante a adolescência possuem menos chance de desenvolver adenoma colorretal (pólipos que podem evoluir para câncer colorretal) na vida adulta. A redução chega a 10% na comparação com aqueles que praticaram pouca ou nenhuma atividade física nesta faixa etária. O resultado foi publicado no dia 22 de maio na British Journal of Cancer, um dos periódicos mais importantes da área de Oncologia, a partir de dados obtidos na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, e na Faculdade de Medicina (FM) da USP. O estudo é pioneiro na demonstração da potencial contribuição da atividade física durante a adolescência para a redução de adenomas colorretais (principalmente os mais avançados) na vida adulta, relata Leandro Rezende, professor visitante do Departamento de Nutrição da Harvard T.H Chan School of Public Health e pesquisador do Departamento de Medicina Preventiva da FM. Todas as pesquisas realizados até o momento focaram na vida adulta, particularmente após os 40 anos. A pesquisa foi baseada em dados do Nurses’ Health Study II, uma coorte (estudo de seguimento) de dezenas de milhares de enfermeiras americanas. Incluiu informações de 28.250 mulheres que responderam a um questionário em 1997 sobre fatores de risco e proteção para doenças crônicas, incluindo atividade física, alimentação e obesidade, quando elas eram adolescentes (entre 12 e 22 anos). Para participar do estudo, as enfermeiras também tiveram que ter realizado ao menos uma sigmoidoscopia ou colonoscopia, exames usados para detectar pólipos no intestino que, frequentemente, não apresentam sintomas. As participantes foram acompanhadas até 2011 e a probabilidade de desenvolver adenoma colorretal foi comparada segundo a prática de atividade física durante a adolescência. Segundo os autores do trabalho, os resultados precisam ser replicados em estudos futuros, mas apresentam evidências de que a atividade física durante a adolescência pode reduzir o risco de câncer colorretal, particularmente em estágios iniciais da carcinogênese, o que pode ter implicações importantes para prevenção da doença. Segundo Rezende, embora haja necessidade de se fazer estudos específicos que confirmem estes resultados para o sexo masculino, há indícios que eles possam também servir como parâmetros para homens que se mantiveram ativos desde a adolescência. Resultados As participantes ativas durante a adolescência apresentaram redução de 10% no risco de desenvolver adenoma colorretal comparadas às que praticaram pouca ou nenhuma atividade física. Segundo Rezende, essa associação se mostrou independente de outros fatores de risco para câncer colorretal, incluindo histórico familiar, alimentação (consumo de carne vermelha e carne processada), tabagismo, uso de álcool, dentre outros. Leandro Rezende, professor visitante do Departamento de Nutrição da Harvard T.H Chan School of Public Health e pesquisador do Departamento de Medicina Preventiva da FM – crédito: arquivo pessoal do pesquisador O estudo apresentou outro resultado bastante animador ao coletar dados de atividade física não apenas durante a adolescência, mas também em toda fase adulta (dos 23 aos 64 anos de idade), diz o pesquisador. Foi observado menor risco de adenomas em mulheres ativas apenas durante a adolescência (redução de 7% no risco de adenoma), bem como naquelas ativas apenas durante a fase adulta (redução de 9% no risco de adenoma), em comparação às mulheres com baixo nível de atividade física na adolescência e na fase adulta. No entanto, mulheres que se mantiveram ativas durante toda a vida (adolescência e fase adulta), apresentam redução de 24% no risco de adenomas. Essa redução foi ainda maior, de 39%, para adenomas avançados (aqueles que apresentavam mais de 1 centímetro (cm) ou os do subtipo mais agressivo de adenoma, chamado adenoma viloso). Sobre o câncer colorretal Ilustração: Indolences / Domínio público via Wikimedia Commons No mundo, o câncer colorretal é o quarto tipo mais incidente, com 19,7 casos para cada 100 mil habitantes. Fica atrás apenas do de pulmão, mama e próstata. É também o terceiro tipo de câncer com maior mortalidade, ou seja, dez mortes para cada 100 mil habitantes ou 880.792 mortes por ano, atrás do de pulmão e o de mama. Já no Brasil, o câncer colorretal é o terceiro mais incidente, com 19,6 casos para cada 100 mil, atrás do de próstata e o de mama, e o quarto com maior mortalidade, nove mortes para cada 100 mil habitantes, atrás do de próstata, mama e pulmão. O artigo Physical activity during adolescence and risk of colorectal adenoma later in life: results from the Nurses’ Health Study II, de Leandro Fórnias Machado de Rezende e colaboradores, pode ser lido na British Journal of Cancer. Rezende atuou na universidade americana com bolsa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). (Jornal da USP) Mais informações: (11) 3061-7285 ou e-mail leandrofmrezende@gmail.com, com Leandro Fórnias Machado de Rezende   Leia mais sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em BRASIL CTI.
23/05/2019

Pesquisa do Ceará é destaque em importante publicação na área de materiais carbonosos

DESTAQUE INTERNACIONAL

Pesquisa do Ceará é destaque em importante publicação na área de materiais carbonosos

Estudo propõe novo tipo de material à base de carbono, bidimensional como o grafeno

Pesquisadores da Universidade Federal do Ceará são autores de artigo científico emplacado na capa de uma das mais importantes revistas internacionais do campo de materiais e nanomateriais carbonosos, a Carbon. A revista tem fator de impacto 7,08 e é enquadrada como Qualis A1, a classificação máxima da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). O estudo intitulado “Structural and electronic properties of nanotubes constructed from fragmented fullerenes” (na tradução, “Propriedades estruturais e eletrônicas de nanotubos construídos a partir de fulerenos fragmentados”) tem autoria do Prof. Antonio Gomes, pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da UFC e docente do Departamento de Física, da doutoranda em Física da UFC Paloma Vieira Silva e do Prof. Eduardo Costa Girão, ex-doutorando em Física da UFC e docente da Universidade Federal do Piauí (UFPI). O trabalho faz parte da tese de doutorado de Paloma Vieira e propõe um novo tipo de material à base de carbono que é bidimensional, como o grafeno, e pode gerar estruturas nanométricas chamadas de nanotubos. “Foi mostrado que um novo arranjo de átomos, tendo como base fragmentos de fulereno (bolas simétricas com 60 átomos de carbono), podem gerar materiais com propriedades semelhantes às de um metal (condutor de eletricidade) ou de um semicondutor, dependendo de sua estrutura”, explica o Prof. Gomes. As pesquisas sobre o desenvolvimento de materiais são de grande relevância na ciência, pois podem estabelecer novos paradigmas para futuros avanços tecnológicos, a exemplo do que ocorreu com o silício. Segundo o Prof. Eduardo, a pesquisa publicada na Carbon apresenta bons resultados nesse sentido. “Graças a tais propriedades, esses tubos podem ser blocos básicos de futuros nanodispositivos eletrônicos”, exemplifica. Conforme acrescenta Paloma Vieira, os resultados do artigo, o primeiro a compor sua tese, são de grande interesse para a comunidade que estuda materiais 2-D. “Contribui para avaliar as potenciais aplicações desses nanotubos”, diz. O artigo foi desenvolvido em colaboração com a UFPI por meio do Prof. Eduardo Girão (egresso do Programa de Pós-Graduação em Física da UFC) e com o Prof. Vincent Meunier, do Rensselaer Polytechnic Institute (EUA). “Importante ser destacado o papel da CAPES no financiamento dessas parcerias no âmbito nacional, através do Programa Nacional de Cooperação Acadêmica (PROCAD), e internacional, pelo Programa Institucional de Internacionalização (PRINT)”, disse Gomes. IMPACTO ‒ A UFC é destaque nacional pelo impacto de suas pesquisas publicadas em periódicos mundo afora. O fato foi atestado recentemente pelo Leiden Ranking, publicado em 2018 com dados referentes ao período 2013-2016. A Universidade está entre as 10 melhores do Brasil no quesito relativo à proporção de artigos produzidos na Instituição que estão entre os 10% mais citados do mundo em sua respectiva área, tendo a mesma pontuação (5,9%) da Universidade Federal Fluminense (UFF), da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). (UFC)   Leia mais sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em BRASIL CTI.

Poder em Números


02/05/2019

Percurso de Jair Bolsonaro em seus últimos 20 anos no congresso

Política

Percurso de Jair Bolsonaro em seus últimos 20 anos no congresso

Fique por dentro do percurso de Bolsonaro com deputado e senador

Se é importante acompanhar os deputados e senadores que elegemos, imagina o nosso presidente. Existem vários meios de ficar de olho no que os parlamentares decidem e fazem depois de serem eleitos, o App Poder do Voto, entre muitos outros, que você pode conferir aqui. Mas não podemos olhar só para o futuro de quem escolhemos, mas sim analizar seu passado. Por isso fizemos uma análise do percurso do presidente Jair Bolsonaro, desde 1998, do governo de Fernando Henrique Cardoso, até 2018 e a curta gestão de Michel Temer. Colocamos dois partidos importantes durante o período para comparação.  
16/04/2019

Saiba quais são os países que cobram visto dos brasileiros e de quem o Brasil cobra

Viagens

Saiba quais são os países que cobram visto dos brasileiros e de quem o Brasil cobra

Viajantes com passaporte brasileiro precisam de visto para entrar em 43 de 199 países

É sempre bom viajar e curtir as férias, mas nem sempre este ato está livre das burocracias necessárias para conhecer um país diferente do nosso. Por isso é sempre bom estar de olho em quais países cobram visto dos brasileiros, e de quem o nosso país cobra. Algumas coisas podem mudar com o Programa de Isenção de Visto, então fique por dentro e confira como pode ficar depois do acordo dos presidentes Jair Bolsonaro e Donald Trump. As informações contidas neste infográfico leva em conta as informações presentes no próprio Itamaraty. Para conferir o infográfico animado, basta clicar no link aqui embaixo: Neon Maps Infogram
14/03/2019

A presença feminina em Câmaras no mundo

Mês das mulheres

A presença feminina em Câmaras no mundo

Desde 2014 o Brasil subiu cerca de 20 posições no Ranking mundial

Neste mês das mulheres aproveitamos para dar uma olhada nas Casas Baixas ou Câmaras pelo mundo afora. Desde 2014 o Brasil subiu cerca de 20 posições no Ranking mundial de mulheres eleitas. Ainda assim, o Brasil está com a posição bem baixa. Para a lista com 193 países classificados em ordem decrescente de porcentagem de mulheres nas Câmaras, basta clicar aqui. Confira abaixo os dados sobre o Brasil e o resto do mundo.
26/02/2019

Saiba como funcionam as regras de transição

Reforma da Previdência

Saiba como funcionam as regras de transição

Por idade mínima, por pontos e por tempo contribuição

Finalmente foi entregue ao Congresso Nacional a proposta de Reforma da Previdência. O texto estabelece pontos como idade mínima e tempo de contribuição. Para saber mais detalhes sobre os principais pontos de mudança da proposta, clique aqui! Mas para quem já está no mercado de trabalho, serão oferecidas regras de transição. Confira abaixo, para entender melhor cada uma delas.