18/01/2019

Pesquisa na Antártica é tema de exposição do Museu Nacional

CONTINENTE GELADO

Pesquisa na Antártica é tema de exposição do Museu Nacional

Exposição fica no Centro Cultural Museu Casa da Moeda do Brasil, no Centro do Rio de Janeiro

O Museu Nacional inaugurou, durante coletiva nessa quarta-feira, 16, a exposição Quando Nem Tudo era Gelo – Novas Descobertas no Continente Antártico, no Centro Cultural Museu Casa da Moeda do Brasil, no Centro do Rio. A exposição, a primeira após o incêndio, no dia 2 de setembro do ano passado, vai apresentar as novas descobertas do Projeto PALEOANTAR, vinculado ao Programa Antártico Brasileiro (Proantar), que conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). A exposição tem curadoria da paleontóloga Juliana Sayão, bolsista de Produtividade em Pesquisa (PQ) do CNPq, que, junto com o diretor do Museu Nacional, Alexander Kellner, também bolsista PQ, coordenou o projeto. A pesquisadora Juliana Sayão fala, ao lado de Alexander Keller, durante a coletiva de abertura da exposição. Foto: Maurício Salles Durante três anos, Juliana liderou as equipes em campo. A pesquisadora destaca a importância dos achados do projeto para contar uma história do continente antártico ainda desconhecida para muitas pessoas. “Nem sempre a Antártica foi congelada. Ela era mais quente e tinha uma fauna e flora completamente diferentes daquelas que a gente encontra hoje. Através dos fósseis resgatados pelo projeto Paleoantar a gente consegue contar essa historia e trazer essa informação para a população”, aponta. Juliana ressalta que as pesquisas são responsáveis, também pela formação de recursos humanos, já tendo levado dois alunos de doutorado cujo foco da tese é entender a paleontologia da Antártica e alunos da iniciação científica. Além disso, estagiários e alunos de graduação, mestrado e doutorado estão envolvidos nas análises dos materiais coletados pelo projeto nos laboratórios da universidade. Para Kellner, o apoio do Governo Federal, por meio da Marinha, com o apoio logístico; e do CNPq, com o financiamento das pesquisas, é essencial para a pesquisa naquela região, que tem uma importância geopolítica, segundo o pesquisador. “A sociedade brasileira tem que entender que somente quem está fazendo pesquisa científica na região antártica vai definir o futuro do continente. Então, é fundamental que o governo brasileiro continue incentivando o Proantar nas mais diversas áreas do saber”, complementa. A exposição A exposição permite que crianças e adultos entendam, de forma didática, através de vídeos, imagens, amostras, réplicas e fósseis, o que acontece na Antártica. Ela tem entrada gratuita a partir desta quinta-feira, 17, e poderá ser visitada até maio. “Essa exposição, aberta pouco mais de quatro meses depois da tragédia que se abateu sobre a nossa instituição, tem inúmeros significados: é a primeira realizada desde o incêndio, acontece no prédio que foi a primeira sede do Museu Nacional e será uma oportunidade incomparável para o público conhecer uma Antártica apresentada de forma única e surpreendente. Uma experiência inesquecível que inclui os equipamentos originais usados pelos pesquisadores brasileiros”, destaca Kellner. A curadora acrescenta que estão apresentadas na exposição as mais recentes descobertas das expedições realizadas entre 2015 e 2018. “Nesse período, nossos pesquisadores trabalharam na região mais ao sul da Antártica na prospecção e coleta de fósseis para fins de reconstrução paleoclimática, paleoambiental e paleobiogeográfica da fauna e flora do Cretáceo no continente. O objetivo é convidar o público a acompanhar de perto esta missão”, destaca a curadora. Segundo Juliana, a exposição Quando Nem Tudo era Gelo – Novas Descobertas no Continente Antártico foi pensada para estimular o diálogo com o grande público e, assim, gerar conhecimento e reforçar a importância das expedições realizadas ao continente gelado. “É uma forma de facilitar o entendimento das pessoas sobre questões que afetam as vidas de todos nós e entender, por exemplo, porque os dias no Rio de Janeiro estão cada vez mais quentes. Afinal, as correntes que chegam ao Brasil, no verão, saem justamente da Antártica. E qual a origem das massas polares que trazem chuva e, ao se encontrarem com massas quentes, geram tantos alagamentos? Ou seja, é fundamental conhecer esses fenômenos para que possamos trabalhar em pesquisas que contribuam para manter as pessoas vivas”, explica. Os visitantes vão se surpreender logo na entrada, onde chama a atenção a réplica de um mosassauro, com impressionantes cinco metros de comprimento, semelhante ao que aparece no filme Jurassic World (2015). O espécime pertence a um grupo extinto de criaturas marinhas que habitaram os mares do final do período Cretáceo. Considerados grandes predadores, os mosassauros chegavam a medir 17 metros e pesar seis toneladas. A curadoria da exposição convida o visitante a percorrer diferentes momentos da história do continente gelado. O percurso começa pela sala que apresenta a situação atual, com direito à réplica de um navio da marinha do Brasil e a reconstituição do trajeto percorrido pelos pesquisadores, com detalhes sobre a vida nos acampamentos e laboratórios. Em outra sala, o público terá contato com detalhes do trabalho realizado pelos paleontólogos e saber como trabalham esses pesquisadores, que equipamentos usam e como eles encontram fósseis e amostras de rochas. A sala seguinte é a da Antártica de 90 milhões de anos atrás, completamente diferente da atual. Um continente quente, coberto por uma floresta tropical e com uma fauna exuberante. A proposta é justamente gerar a curiosidade e os questionamentos do público: por que essa Antártica era tão diferente? Por que mudou? O que aconteceu? Essa mudança pode acontecer em outros continentes no futuro? O Proantar O Proantar é um programa de Estado que tem como objetivo a produção de conhecimento científico sobre a Antártica e suas relações com o restante do sistema climático global. Ele garante a presença da comunidade científica brasileira na Antártica desde o verão de 1982/83. De acordo com o artigo IX do Tratado da Antártica, os países que se tornaram membros por adesão, como é o caso do Brasil, devem manter na região um programa científico de excelência, de forma que possam participar das reuniões consultivas que decidem o futuro da região com direito a voz e voto, inclusive com atuação no Scientific Committee on Antarctic Research (SCAR) órgão interdisciplinar do Conselho Internacional para a Ciência (ICSU), responsável por promover, desenvolver e coordenar a investigação científica internacional de alta qualidade na região Antártica, inclusive o Oceano Antártico. O CNPq participa da realização dos objetivos científicos do programa desde 1991, sendo responsável pelo financiamento das pesquisas científicas na Antártica. Junto com o MCTIC é responsável pelo fomento e pela coordenação da execução das pesquisas científicas realizadas pelas Instituições Científicas e Tecnológicas (ICTs). A implementação logística do PROANTAR está a cargo da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar (CIRM), vinculada ao Comando da Marinha (Ministério da Defesa – MD). Também são parceiros na execução do Programa o Ministério do Meio Ambiente (MMA), o Ministério das Relações Exteriores (MRE), entre outros atores do setor público (PETROBRAS) e privado. Sobre o Centro Cultural Museu Casa da Moeda do Brasil Com cerca de 200 anos de idade, o Palacete da Casa da Moeda é uma edificação de grande valor histórico, especialmente para a memória da pesquisa científica do país. O Palacete abrigou a primeira instituição de pesquisa do país, a Casa de História Natural e foi nesse imóvel que Dom João VI abrigou o primeiro museu do país, o Museu Real, criado por decreto em 6 de junho de 1818. Tombado pelo IPHAN em 2016, o Palacete é uma construção eclética, de traços neoclássicos. SERVIÇO Quando Nem Tudo era Gelo – Novas Descobertas no Continente Antártico Período da exposição: de 17 de janeiro a 17 de maio Local: Centro Cultural Museu Casa da Moeda do Brasil (Praça da República ¿ nº26 – Centro) Horário de funcionamento: de terça a sábado, das 10h às 16h e domingo, das 10h às 15h Entrada franca Com informações da Asssessoria de Imprensa do Museu Nacional    Leia mais sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em BRASIL CTI.
18/01/2019

Partidos não sabem o que é crise: levaram R$880 milhões em 2018

Farra interminável

Partidos não sabem o que é crise: levaram R$880 milhões em 2018

É quanto embolsaram com o fundo partidário em 2018

A crise nas contas públicas não afetou partidos políticos. Somados, os 35 partidos brasileiros embolsaram em 2018 mais de R$ 880 milhões só com o Fundo Partidário. Trio de legendas políticas que governou o país desde a redemocratização, PT, PSDB e MDB faturaram um terço do fundo que sustenta partidos: R$103 milhões, R$85 milhões e R$83 milhões, respectivamente. O PSL de Bolsonaro recebeu cerca de R$8 milhões. E os valores não contemplam R$1,7 bilhão do fundo eleitoral. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder. O fundo eleitoral de R$1,7 bilhão que banca campanhas soma-se a R$780 milhões do fundo partidário e mais de R$100 milhões de multas. PCB, PCO, PMB, PRTB e PSTU não elegeram deputados suficientes e não terão dinheiro do fundo e nem tempo de TV gratuito. Rede, Patri, PCdoB, PHS, PRP, PMN, PTC, PPL e DC têm deputados, mas, sem desempenho mínimo, precisam se unir para receber dinheiro. Juntos, partidos barrados pela cláusula de desempenho receberam R$70,6 milhões. Mas o valor não deixa de ser gasto; será redistribuído.
18/01/2019

É iminente a melhoria da nota do Brasil nas agências de risco, diz especialista

Classificação de risco

É iminente a melhoria da nota do Brasil nas agências de risco, diz especialista

Ex-diretor do BC acha que ações do governo melhorarão nota de risco

A eleição do presidente Jair Bolsonaro causou alvoroço no mercado financeiro e o otimismo com os caminhos da equipe econômica fez analistas preverem “melhora iminente” na classificação de risco da economia brasileira junto a agências internacionais. Ex-diretor do Banco Central, Carlos Eduardo Freitas partilha do otimismo e acredita que “equilíbrio e estabilidade interna” serão fundamentais para que agências de risco melhorem as notas atribuídas à economia brasileira. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder. Atualmente, o risco Brasil está em torno dos 180 pontos-base, mesmo nível de países como México e Rússia, que têm o grau de investimento. Freitas define as ações para acelerar a decisão das agências de risco: “reforma da Previdência/Assistência Social e a dívida dos estados”. Para analistas, o governo Bolsonaro adotará medidas de curto e médio prazo para garantir a estabilidade fiscal, econômica e melhora da nota.
17/01/2019

STF suspende investigação de filho de Bolsonaro por transação de ex-assessor

Novela suspensa

STF suspende investigação de filho de Bolsonaro por transação de ex-assessor

Decisão, já enviada ao MPF/RJ, foi do ministro do STF Luiz Fux

O ministro Luiz Fux, do STF (Supremo Tribunal Federal), suspendeu a investigação criminal envolvendo o deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL), filho do presidente Jair Bolsonaro e eleito senador, e movimentação financeira atípica em seu gabinete. O pivô da investigação é um ex-assessor de Flávio, Fabrício Queiroz, que movimentou R$ 1,2 milhão em um ano, segundo relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras). Mas a defesa do senador eleito diz ter identificado que seu cliente também é investigado desde a instauração de procedimento criminal sobre o caso, em 18 de julho de 2018. Vice-presidente da corte, de plantão durante o recesso dos demais ministros, Fux atendeu, em caráter liminar (provisório), ao pedido da defesa do filho do presidente para sustar o caso até que se decida em que instância do Judiciário deve tramitar. O senador eleito também tenta anular as provas já obtidas, o que ainda será analisado. Se essa solicitação prosperar, as apurações param em definitivo. Na mesma data em que determinou a suspensão, Fux remeteu sua decisão ao Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, responsável pela investigação. A petição de Flávio Bolsonaro foi apresentada dois dias após o procurador-geral de Justiça do Rio, Eduardo Gussem, declarar que poderia oferecer denúncia contra Queiroz e outros envolvidos mesmo sem a realização de oitivas. Tanto o ex-assessor quanto o senador eleito têm faltado a depoimentos. Flávio Bolsonaro argumentou que o Supremo tem de analisar se cabe assumir o caso, pois ele foi eleito e diplomado senador, tendo direito a foro especial em algumas investigações criminais. Além disso, sustentou que o Ministério Público produziu provas ilegalmente, pois requereu ao Coaf seus dados bancários depois de confirmada sua eleição e sem autorização judicial. Responsável por comunicar transações financeiras atípicas, o órgão, ligado ao Ministério da Justiça, foi acionado em 14 de dezembro. Segundo a petição ao Supremo, os promotores fluminenses pedem informações de 2007 até a atualidade. A defesa do futuro congressista reclama que houve ilegalidade na instauração do caso, passível de configurar “constrangimento ilegal”, pois ela se baseia em informações do Coaf que estão protegidas por sigilo fiscal e bancário e que vêm sendo requeridas diretamente ao órgão. O documento cita precedente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), segundo o qual a obtenção e o uso de dados do Coaf dependeriam de ordem judicial. Também menciona entendimento do Supremo de que só informações não protegidas por sigilo bancário podem ser diretamente solicitadas ao órgão. “O MP [Ministério Público] utilizou-se do Coaf para criar ‘atalho’ e se furtar ao controle do Poder Judiciário, realizando verdadeira burla às regras constitucionais de quebra de sigilo bancário e fiscal”, diz a defesa de Flávio Bolsonaro. Os advogados do senador eleito alegaram também que a investigação não foi enviada ao Tribunal de Justiça do Rio e estaria, portanto, sem supervisão adequada. Fux determinou a suspensão da investigação até que o relator do processo, ministro Marco Aurélio Mello, volte do recesso da corte e decida, a partir de 1º de fevereiro, sobre qual instância analisará o caso e também se concede habeas corpus considerando ilegais as provas do processo e todas as diligências delas decorrentes. Fux entendeu haver elementos suficientes para a concessão da liminar, sem prejuízo de reanálise por Marco Aurélio. Em maio do ano passado, o plenário do Supremo restringiu o foro especial de políticos aos atos cometidos durante o mandato e em razão do cargo. Os casos que não se enquadram nesses critérios -como é, em tese, o relativo a Flávio Bolsonaro- são agora remetidos às instâncias inferiores. Contudo, a corte manteve o entendimento de que cabe a ela própria a palavra final sobre a remessa (ou não) de cada processo às outras esferas. O Supremo também poderá enfrentar discussão a respeito de investigação sobre o próprio presidente, Jair Bolsonaro, pois, entre as movimentações sob investigação, consta repasse de R$ 24 mil para a primeira-dama, Michelle. Bolsonaro diz que a transferência foi a devolução de parte de um empréstimo feito a Queiroz. Em nota, o Ministério Público do Rio confirmou nesta quinta a suspensão do procedimento investigatório “até que o relator da reclamação se pronuncie”. O órgão não se manifestou sobre o mérito da decisão. Na semana passada, familiares de Queiroz e o próprio Flávio Bolsonaro não compareceram para prestar depoimentos. O ex-assessor já faltou a duas oitivas, alegando estar em tratamento de um câncer O senador eleito pediu cópia da investigação e, nas redes sociais, se comprometeu a agendar novo dia e horário para prestar esclarecimentos. “Nesse caso específico, a prova documental é muito consistente”, afirmou Gussem na segunda (14), após cerimônia de recondução ao cargo de procurador-geral de Justiça.
17/01/2019

Autódromo de Brasília recebe propostas de parcerias para sua revitalização

Parceria Público Privada

Autódromo de Brasília recebe propostas de parcerias para sua revitalização

Para ganhar concessão por 35 anos terá que investir R$73 milhões

Um empresa e um consórcio apresentaram, nesta quinta-feira (17), propostas para administrar o Autódromo Internacional Nelson Piquet, de Brasília, por meio da Parceria Público Privado (PPP), pelos próximos 35 anos. O GDF pretende reabrir o local em agosto. As empresas que têm interesse em administrar o local são, a Comercial Calbox Serviços Comércio Importação e Exportação, e o consórcio Autódromo BSB, formado pelas empresas RNGD Consultoria de Negócios e a Rígido Engenharia. O presidente da Agência de desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap), Gilberto Occhi, ressalta a importância para o Distrito Federal da revitalização de um espaço tão importante. “É um marco importante. “É a primeira PPP do governo Ibaneis e esperamos que tenhamos muito mais outras oportunidades de negócio para os empresários de Brasília e do Brasil e até mesmo estrangeiros, para que possamos cumprir com o que a a Terracap tem como principal objetivo: desenvolvimento de Brasília”. O resultado será divulgado em 30 dias, vence a licitação quem pedir o menor aporte público para a revitalização do autódromo. A vencedora ficará responsável pelas obras de reforma da pista, dos boxes, e das arquibancadas e a criação de um centro de excelência. A estimativa é que o investimento para a revitalização dos 726.822 metros é de R$ 73.17 milhões, sendo que, a Terracap vai disponibilizar R$ 14 milhões.
17/01/2019

Nova scooter da Honda, a Elite 125, já está disponível nas lojas da marca

Diário Motor

Nova scooter da Honda, a Elite 125, já está disponível nas lojas da marca

Com preço inicial de R$ 8.250, a motinho tem autonomia de mais de 250km

Atualmente, a Honda detém cerca de 80% do mercado de motocicletas do Brasil. Mesmo com o amplo domínio, a marca não se acomoda e continua apresentando novos modelos. A japonesa deve lançar oito motocicletas neste ano. Mas a ofensiva começou ainda no fim de 2018, com a apresentação da Elite 125, mais nova integrante da família de scooters da montadora. Com a proposta de ser o modelo de entrada das scooters, a Elite 125 chega a baixo da PCX 150 e custará R$ 8.250. A motinho chegou essa semana às concessionárias da marca. Com proposta totalmente urbana, a Honda garante que a Elite faz, em média, 40 quilômetros por litro de gasolina. Como uma boa scooter, a Elite conta com transmissão automática do tipo CVT. Com isso, o motociclista não precisa se preocupar com a embreagem, basta acelerar e frear. O motor, de 124,9 cilindradas cúbicas, gera 9,4 cavalos e 1.05kgfm de torque. O tanque de combustível tem capacidade de 6,4 litros, com isso, a autonomia passa dos 250 quilômetros. Visual moderno Um dos grandes diferenciais da Elite 125 é o design. O visual da scooter é bem moderno, com cortes agressivos no desenho e linhas retas e angulares. Ela conta com uma carenagem que cobre praticamente toda a área do motor. As rodas são de aro 12 na dianteira e 10 na traseira, o que deve gerar um certo cuidado por parte do motociclista, principalmente em vias de asfalto ruim. A japonesa tem painel de instrumentos totalmente digital, que conta com velocímetro, relógio, hodômetros total e parcial, conta-giros e luz-espia, além de marcar o nível de combustível e registrar o consumo médio e instantâneo. O conjunto óptico da scooter é todo em LED. O porta-objetos tem 20 litros de capacidade. Uma novidade é o gancho na área dos pés, onde é possível pendurar bolsas e mochilas, o que permite uma maior comodidade na hora de levar alguma coisa.  
17/01/2019

Almoço de Moro em restaurante-escola do Senac é visto como aval ao Sistema S

Bom e barato

Almoço de Moro em restaurante-escola do Senac é visto como aval ao Sistema S

Presença do ministro reforça qualidade do serviços prestados

O restaurante-escola do Senac no Ministério da Justiça tem recebido um visitante ilustre desde o início do ano, o próprio ministro Sérgio Moro. Ele foi fotografado com bandeja na mão, sem furar fila por alguns clientes e elogiado por escolher o restaurante-escola em vez dos caríssimos estabelecimentos utilizados por ex-comandantes da pasta. Para o Senac, a presença do ministro no restaurante-escola confirma o reconhecimento da qualidade da comida e do serviço prestado no local. O restaurante-escola do Senac recebe dezenas de alunos que aprendem, na prática, como lidar com o público. “A credibilidade desse trabalho é tão grande e a carência por mão de obra qualificada é tamanha que quase todos os estudantes já saem do curso empregados pelo mercado”, diz o órgão.
17/01/2019

Governador do DF envia projetos emergenciais para a Câmara Legislativa

Pacotes emergenciais

Governador do DF envia projetos emergenciais para a Câmara Legislativa

O governador do DF também esteve reunido com distritais da base aliada para tratar da convocação de emergência

O governador Ibaneis Rocha enviou dois projetos de lei para a Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), um sobre a saúde pública e outro em relação à segurança pública. Logo após, houve reunião com a base aliada no Palácio do Buriti, para que os “pacotes emergenciais” venham a ser analisados antes da volta do recesso parlamentar. O texto que busca melhoras na saúde pública, prevê que as Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs), o Samu e os hospitais regionais passem a ser geridos pelo Instituto Hospital de Base, que começaria a se chamar Organização Hospitalar do DF. Ibaneis quer devolver para a população, o quanto antes, os leitos que estão fechados. Para o governador com ajuda do Poder Legislativo será possível a contratação de mil profissionais para a saúde. “É isso que eu quero fazer. Eu quero dar um atendimento imediato para desafogar de vez as filas dos hospitais do Distrito Federal. E a partir daí fazer de forma organizada a gestão de todos os recursos da saúde”. A ideia é que a Secretaria de Saúde fique com a responsabilidade da gerência das menores unidades de saúde, como os postos de saúde e os Centros de Atenção Psicossocial (CAPs). Já o projeto de lei sobre a segurança, cria o “serviço voluntário gratificado” para policiais civis trabalharem durante a folga, já que na PMDF já existe esse tipo de gratificação. Ibaneis acredita que com aumento do número de agentes da PCDF, será possível reabrir as delegacias. “A população está sofrendo com a violência. Nós estamos tratando de vidas. São pessoas que estão morrendo por falta de segurança no Distrito Federal. É um projeto que eu tenho certeza que tanto a base quanto a oposição vão querer aprovar”. Base aliada Com a maioria dos distritais na sua base aliada, o governador  convocou os parlamentares em busca de apoio na mobilização dos deputados, para a votação dos textos já na semana que vem. O recesso parlamentar vai até o dia 1º de fevereiro. Outras pautas estiveram na reunião desta tarde, entre elas, a renegociação e conciliação de R$ 32 bilhões em débitos, para isso o governador pretende trabalhar em parceria com o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT). “Nós estamos com bastante dificuldade financeira, com carência na grande maioria dos serviços – que precisam ser supridos –, e se eu tiver esse instrumento em mãos já a partir de 1º de fevereiro a gente começa a convocar para negociar esses débitos, entrando recursos no caixa para melhorar a vida da nossa população”. O chefe do Executivo disse ter ficado otimista com o encontro. “Eu senti um clima positivo. Eles entenderam e sabem que estão tratando de vidas. Temos condições sim (de aprovar) e eles (deputados) estão bastante convencidos dessa necessidade dessa convocação.” Estiveram no Palácio do Buriti, nesta quinta os distritais: o presidente da Câmara Legislativa do DF, Rafael Prudente (MDB), o líder do GDF na Casa, Cláudio Abrantes (PDT), e Hermeto (PHS), Jorge Viana (Podemos), José Gomes (PSB), Telma Rufino (PROS), Valdelino Barcelos (PP).
17/01/2019

Em recuperação judicial, Avianca cancela voos internacionais

Dívidas de R$ 500 milhões

Em recuperação judicial, Avianca cancela voos internacionais

Medida deve afetar cerca de 40 mil passageiros

A Avianca informou hoje (17) que realizará o reembolso para os passageiros que compraram bilhetes de viagem para Santiago, no Chile, Miami e Nova York, nos Estados Unidos, em voos com saída de Guarulhos, São Paulo. A empresa, que se encontra em processo de recuperação judicial, anunciou o fim das operações para esses destinos a partir de 31 de março.  A medida deve afetar cerca de 40 mil passageiros. Os clientes podem optar ainda por tentar viajar por outras companhias. A empresa disse que entrará em contato com os clientes que compraram voos posteriores à data mencionada para resolver cada caso individualmente. Apenas Bogotá permanece como destino internacional atendido pela Avianca. Em nota, a empresa anunciou que os outros destinos contemplados continuam em operação normal. “A empresa segue focada em garantir a sustentabilidade do negócio e em manter a excelência do atendimento, que está em seu DNA. Reforça que todos os demais 26 destinos estão preservados e que continua operando normalmente, com mais de 240 voos diários”, explicou. Se as tentativas de solução do problema pela empresa não apresentarem resultado, o passageiros poderá registrar sua reclamação por meio da plataforma www.consumidor.gov.br. Pela ferramenta o consumidor pode se comunicar diretamente com as empresas, que têm o compromisso de receber, analisar e responder as reclamações em até dez dias. Dívidas que somam quase R$ 500 milhões Quarta maior companhia aérea do país, a Avianca tem dívidas que somam quase R$ 500 milhões, chegando a devolver em dezembro do ano passado duas aeronaves Airbus A330 para as empresas de arrendamento. Na segunda-feira, o processo de recuperação judicial, que tramita na 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo, foi suspenso após uma audiência de conciliação entre representantes da companhia aérea e arrendadores de aeronaves. Na ocasião, foi definida a suspensão das ações de reintegração de posse até o próximo dia 1º de fevereiro. Até o dia 31 de janeiro, a empresa deve apresentar proposta para o pagamento de dívidas vencidas até essa data. Durante a audiência, a empresa também disse que realizará o pagamento das parcelas do leasing das aeronaves que vão vencer a partir de 1º de fevereiro. Anac A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que está acompanhando a situação operacional da companhia aérea Avianca. “A Anac continua acompanhando com atenção a situação operacional da empresa, sempre em constante vigilância quanto ao cumprimento dos requisitos de segurança exigidos nos Regulamentos Brasileiros de Aviação Aeronáutica (RBAC) e os deveres de prestação de serviço aos passageiros”, informou a agência reguladora. (ABr)
17/01/2019

Safra de café deve ser menor em 2019 e atingir no máximo 54,4 milhões de sacas

Conab

Safra de café deve ser menor em 2019 e atingir no máximo 54,4 milhões de sacas

Produção este ano deve ficar entre 50,48 e 54,48 milhões de sacas, contra recorde de 61,65 milhões em 2018

A safra brasileira de café neste ano deve ser menor, entre 18,1 e 11,6 por cento, do que em 2018, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A previsão é que o volume em 2019 fique entre 50,48 milhões e 54,48 milhões de sacas, ante o recorde de 61,65 milhões de sacas no ano passado. A Conab destaca que a redução já era esperada devido à bienalidade baixa nos cafezais, uma característica natural da cultura. A espécie arábica produz em ciclos: em um determinado ano tem rendimento alto e, no seguinte, se recupera dessa frutificação intensa. No entanto, a colheita deve ser uma das maiores para os anos de bienalidade baixa e o país continuará sendo o maior produtor da commodity, de acordo com a Conab. Por enquanto, o recorde para anos de baixa produção é de 2017, 45 milhões de toneladas. A área plantada deve chegar a 1,842 milhões de hectares em 2019, redução de 1,2% frente à última safra. Apesar da esperada queda na produção, o Conselho dos Exportadores de Café (Cecafé) prevê aumento nas exportações do grão em 2019, em torno de 33 a 34 milhões de sacas. Os preços do café estão em baixa no mercado internacional, por conta no recorde da produção brasileira na safra passada. Segundo a Conab, “é bem possível” que haja um ajuste nas cotações em 2019 em função da redução de oferta.
17/01/2019

Bovespa supera 95 mil pontos e renova máxima histórica

Dólar sobe

Bovespa supera 95 mil pontos e renova máxima histórica

Dólar sobe e fecha cotado a R$ 3,7480, em meio a cautela com exterior

O Ibovespa, principal indicador da bolsa brasileira, a B3, subiu 0,94% e e atingiu os 95.284 pontos nesta quinta-feira, 17, renovando máxima histórica, em meio a otimismo de investidores com a reforma da Previdência e notícias de que outras pautas liberais do governo Bolsonaro seguirão no debate. Uma melhora no cenário externo ao longo do pregão também ajuda o mercado local. Ações de Petrobras, Vale e do setor financeiro puxam a alta do índice. O governo afirma que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) embarcará para o Fórum Econômico Mundial, em Davos, já com um texto para analisar. O evento ocorre na próxima semana. No meio da tarde, a agência de notícias Bloomberg noticiou também que Paulo Guedes apresentará, no mesmo evento, o plano de privatizações do governo. No ano, a bolsa de valores já acumula alta de 8,49%. O dólar, que avançou quase 1% ante o real nesta quinta-feira, perdeu força e fechou cotado a R$ 3,7480 (+0,32%). O dia foi negativo para emergentes, com a maioria das moedas perdendo valor para a moeda norte-americana.
18/01/2019

Duelo eleitoral

Duelo eleitoral

Certa vez, candidato contra João Cleofas em Pernambuco, Agamenon Magalhães encontrou o adversário e foi logo provocando: – Desta vez, vou te derrotar. – Nunca. Nem agora nem em qualquer outra eleição. – Por que? – Porque você tem usinas. Pensa dois terços do tempo em suas usinas e um terço em política. Eu, não. Penso em política 24 horas por dia. Só perdeu para a morte.
18/01/2019

Duelo eleitoral

Duelo eleitoral

Certa vez, candidato contra João Cleofas em Pernambuco, Agamenon Magalhães encontrou o adversário e foi logo provocando: – Desta vez, vou te derrotar. – Nunca. Nem agora nem em qualquer outra eleição. – Por que? – Porque você tem usinas. Pensa dois terços do tempo em suas usinas e um terço em política. Eu, não. Penso em política 24 horas por dia. Só perdeu para a morte.
27/12/2018

Cláudio Humberto comenta os destaques da política desta quinta-feira (27/12/18)

Bastidores do Poder (AO VIVO)

Cláudio Humberto comenta os destaques da política desta quinta-feira (27/12/18)

O programa Bastidores do Poder é apresentado por Fábio Pannunzio, Thays Freitas, Pedro Campos e por Cláudio Humberto, que fala direto de Brasília. Os colunistas Luís Paulo Rosenberg e Gesner Oliveira fazem a análise dos fatos econômicos que mais influencia a vida do brasileiro. De segunda a sexta, às 17h.
26/12/2018

Cláudio Humberto comenta os destaques da política desta quarta-feira (26/12/18)

Bastidores do Poder (AO VIVO)

Cláudio Humberto comenta os destaques da política desta quarta-feira (26/12/18)

O programa Bastidores do Poder é apresentado por Fábio Pannunzio, Thays Freitas, Pedro Campos e por Cláudio Humberto, que fala direto de Brasília. Os colunistas Luís Paulo Rosenberg e Gesner Oliveira fazem a análise dos fatos econômicos que mais influencia a vida do brasileiro. De segunda a sexta, às 17h.
17/01/2019

Finger do Aeroporto de Maceió dá defeito e Infraero alega que a Latam evitou usá-lo

Novo com defeito

Finger do Aeroporto de Maceió dá defeito e Infraero alega que a Latam evitou usá-lo

Operadora confirma defeito em ponte e diz que buscou desembarque seguro

Cerca de dois anos depois de serem instaladas quatro novas pontes de embarque, após uma longa pela troca dos equipamentos quebrados, ao menos um dos fingers já apresenta defeito e força passageiros a desembarcar de forma desconfortável e menos segura, no Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares. O flagrante da quebra em uma das pontes foi feito no dia 6 de janeiro, mas a Infraero culpou a Latam por optar pelo desembarque remoto. Além de alegar que tudo não passou de uma opção da Latam pelo desconforto de seus clientes no aeroporto da região metropolitana de Maceió (AL), a Infraero disse ao Diário do Poder que as quatro pontes disponíveis estão funcionando normalmente e não houve problemas com nenhum dos fingers neste ano. A troca das antigas pontes aéreas quebradas foi feita no final de 2016, após anos de espera e uma mobilização da classe política de Alagoas. Um passageiro que se queixou com o desembarque em solo, mesmo havendo fingers à disposição, relatou que um comissário de bordo justificou ao microfone a não utilização do finger, sob a alegação de que ele estava defeituoso. O desembarque do voo de Brasília a Maceió ocorreu normalmente, mas de forma menos confortável e com maiores riscos desnecessários. A Latam deu a seguinte resposta ao Diário do Poder, quando informada sobre a alegação da Infraero e a reclamação do passageiro: A LATAM Airlines Brasil informa que o voo LA3540 (Brasília – Maceió)  pousou em completa segurança no Aeroporto de Maceió, no dia 6 de janeiro. No entanto, devido a um problema momentâneo em um dos fingers do aeroporto, foi necessário realizar o desembarque remoto dos passageiros. A companhia esclarece que o desembarque remoto é uma situação normal e reitera que a segurança é um valor imprescindível e, sobretudo, todas as suas decisões visam garantir uma operação segura.  
17/01/2019

Seca leva Estado a decretar situação de emergência em 38 municípios de Alagoas

Estiagem em Alagoas

Seca leva Estado a decretar situação de emergência em 38 municípios de Alagoas

Decreto facilita liberação de recursos para ações emergenciais durante 180 dias

A estiagem que atinge o semiárido de Alagoas levou o Estado a decretar situação de emergência, por 180 dias, em 38 municípios alagoanos. O Decreto nº 63.536 foi publicado na edição desta quinta-feira (17) do Diário Oficial do Estado (DOE). E facilita liberação de recursos para ações emergenciais nos próximos seis meses. O decreto visa preservar o bem estar da população e das atividades socioeconômicas das regiões atingidas pelo evento adverso, bem como a adotar medidas imediatas necessárias para, em regime de cooperação, combater a situação emergencial. E considerou os níveis sensivelmente inferiores de chuvas nos municípios onde houve queda intensificada das reservas hídricas de superfície, com impactos em perdas significativas na agricultura e agropecuária da região. Também foi levado em consideração o alto comprometimento dos reservatórios hídricos locais, ocasionando grandes dificuldades da população no abastecimento d´água para o consumo humano e animal. E considerou ainda que os habitantes dos Municípios afetados não superaram os danos e prejuízos provocados, haja vista a situação socioeconômica desfavorável da região e o agravamento da situação em virtude da falta de chuvas. Veja a lista dos municípios em situação e emergência: Água Branca, Arapiraca, Batalha, Belo Monte, Cacimbinhas, Canapi, Carneiros, Craíbas, Coité do Nóia, Delmiro Gouveia, Dois Riachos, Estrela de Alagoas, Girau do Ponciano, Inhapi, Igaci, Jacaré dos Homens, Jaramataia, Lagoa da Canoa, Major Izidoro, Maravilha, Mata Grande, Minador do Negrão, Monteirópolis, Olho D’Água das Flores, Olho D’Água do Casado, Olivença, Ouro Branco, Palestina, Palmeira dos Índios, Pão de Açúcar, Pariconha, Piranhas, Poço das Trincheiras, Quebrangulo, Santana do Ipanema, São José da Tapera, Senador Rui Palmeira e Traipu. A situação de anormalidade é válida apenas para as áreas dos municípios listados, comprovadamente afetadas pelo desastre, conforme prova documental estabelecida pelos respectivos Formulários de Informação de Danos (FIDE). E os órgãos estaduais localizados nas áreas atingidas, competentes para a atuação específica, adotarão as medidas necessárias para o combate à Situação de Emergência, em conjunto com os órgãos municipais. O decreto foi assinado pelo governador Renan Filho (MDB).
17/01/2019

Collor mantém proximidade com Bolsonaro e amplia rumores sobre presidir o Senado

Relação política

Collor mantém proximidade com Bolsonaro e amplia rumores sobre presidir o Senado

Senador já foi elogiado e divulga nas redes sociais imagens com presidente

De partido novo e sem se manifestar sobre especulações de que ingressaria na disputa pela Presidência do Senado, o ex-presidente Fernando Collor de Mello (PROS-AL) voltou a divulgar ontem (16) em suas redes sociais fotos ao lado do presidente da República Jair Bolsonaro (PSL) e reforçou hoje (17) referências à sua proximidade com o novo governo, na busca por soluções para esclarecer as causas de rachaduras e erosões que levaram aflição à vida de milhares de moradores do bairro do Pinheiro, em Maceió (AL). As fotos divulgadas ontem mostram Collor conversando com Bolsonaro e ouvindo seu discurso, durante o almoço em homenagem ao presidente da Argentina, Maurício Macri, no Itamaraty, em Brasília. O evento também reuniu o ex-presidente José Sarney (MDB). Mas não é fato isolado, porque Bolsonaro foi fotografado em conversa descontraída com o senador alagoano, e pelo histórico de sintonia em eventos anteriores, desde a posse no início do mês. Bolsonaro já fez elogios a Collor, durante a transmissão de cargo ao novo ministro da Defesa, o general da reserva Fernando Azevedo e Silva, no Clube do Exército. Na ocasião, o presidente se dirigiu a Collor durante o discurso, para agradecer pela lei que o senador sancionou como Presidente da República, beneficiando militares com a Lei delegada nº 12, que estruturou a carreira militar, criando gratificação pela atividade. Desde o dia da posse presidencial, em 1º de janeiro, Collor vem repercutido nas redes sociais sua proximidade e “troca de ideias” com Jair Bolsonaro. O general Augusto Heleno, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional do governo Bolsonaro também teve registro destacado nos perfis do senador. Hoje, Collor expôs fotos de uma assembleia de moradores do bairro do Pinheiro, e citou o empenho próprio e do presidente da República em apoiar as vítimas do fenômeno estudado pelo Serviço Geológico do Brasil. “Oi, pessoal! Sobre o drama enfrentado pelas famílias do Pinheiro e das áreas adjacentes, daqui do Senado Federal venho adotando gestões para apressar o diagnóstico a ser feito pelos especialistas. O presidente Jair Bolsonaro já determinou a seus ministros que hajam no sentido de esclarecer as causas desse fenômeno que atormenta a vida de milhares de pessoas da região atingida. Minha ação parlamentar está à disposição da causa dos moradores. Contem sempre comigo”, disse o senador Collor, no posto ilustrado por imagens de moradores do Pinheiro reunidos na Praça Menino Jesus de Praga. Se for candidato a presidente do Senado, Collor disputará com outro alagoano, o senador Renan Calheiros (MDB-AL). Mas a assessoria de imprensa de Collor disse ao Diário do Poder que o senador não dará declarações sobre os rumores de que disputaria a Presidência do Senado.
17/01/2019

Marx Beltrão quer políticos e Defesa Civil Nacional contra ‘afundamento’ em Maceió

Fissuras no Pinheiro

Marx Beltrão quer políticos e Defesa Civil Nacional contra ‘afundamento’ em Maceió

Deputado se manifesta após o 'afundamento' do Pinheiro repercutir no Jornal Nacional

Quase dez meses depois de a terra tremer em Maceió (AL) e um dia após o Jornal Nacional citar relatório do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) sobre riscos para a população com imóveis atingidos por rachaduras no bairro do Pinheiro, o deputado federal Marx Beltrão (PSD-AL) pediu ontem (16) à Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec) a apresentação das ações e estratégias para garantir a segurança dos maceioenses atingidos pelo fenômeno. Hoje (17), cobrou à classe política alagoana que atue para o ‘afundamento’ do bairro não se tornar uma tragédia. Em ofício enviado ontem ao órgão vinculado ao Ministério do Desenvolvimento Regional, o ex-ministro do Turismo colocou seu gabinete parlamentar à disposição para ajudar e pediu informações detalhadas da linha de atuação da Defesa Civil Nacional, o conjunto de ações a serem implantadas de maneira mais urgente e dados sobre as próximas medidas trabalhadas. No Instagram, na manhã de hoje, Marx Beltrão alertou que a falta de clareza das informações não anula os riscos para a população, ao argumentar a busca oficial por ação rápida e efetiva. “Toda a classe política de Alagoas precisa agir para que esse “afundamento” no Pinheiro não se transforme numa tragédia. As informações ainda são pouco claras, mas há risco à população. Por isso, busquei meios oficiais para garantir ação rápida e efetiva. Propus um plano emergencial entre os órgãos de proteção, com medidas prioritárias para garantir a segurança e apoio aos moradores. A população do Pinheiro pode contar com meu apoio total nesta luta! Esta gente está aflita, apreensiva, e merece respostas e atitudes… Com clareza, dignidade e respeito!”, escreveu o deputado federal reeleito. O ofício encaminhado ao secretário nacional da Defesa Civil Alexandre Lucas Alves foi protocolado no mesmo dia em que autoridades se reuniram com moradores para detalhar ações e os dados preliminares dos estudos iniciados. Marx Beltrão disse que gostaria de que fossem compartilhadas pela Defesa Civil Nacional as orientações e condutas a serem amplamente repassadas aos moradores. E ainda pediu que sejam informados os fatores e causas que levaram o bairro a chegar à situação atual. Também ontem, o deputado estadual, Cabo Bebeto (PSL-AL) defende celeridade na conclusão do laudo que pode diagnosticar as possíveis causas para o fenômeno. O parlamentar disse que enviou ofício ao ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gustavo Bebianno, colocando-se à disposição para ajudar no que for necessário. Até a semana passada, o prefeito Rui Palmeira (PSDB) atuava praticamente sozinho na busca por respostas para os moradores do Pinheiro. Diante dos apelos do prefeito tucano, o presidente da República Jair Bolsonaro (PSL) reuniu parte de seus ministros no último dia 11 e determinou um esforço federal e atenção especial para diagnosticar e solucionar o caso. As rachaduras no solo e em imóveis são relatadas há cerca de uma década por moradores do bairro do Pinheiro. Mas foram agravadas após dois tremores de terra registrados entre fevereiro e março de 2018, após chuvas torrenciais.
Mais Alagoas
17/01/2019

Autódromo de Brasília recebe propostas de parcerias para sua revitalização

Parceria Público Privada

Autódromo de Brasília recebe propostas de parcerias para sua revitalização

Para ganhar concessão por 35 anos terá que investir R$73 milhões

Um empresa e um consórcio apresentaram, nesta quinta-feira (17), propostas para administrar o Autódromo Internacional Nelson Piquet, de Brasília, por meio da Parceria Público Privado (PPP), pelos próximos 35 anos. O GDF pretende reabrir o local em agosto. As empresas que têm interesse em administrar o local são, a Comercial Calbox Serviços Comércio Importação e Exportação, e o consórcio Autódromo BSB, formado pelas empresas RNGD Consultoria de Negócios e a Rígido Engenharia. O presidente da Agência de desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap), Gilberto Occhi, ressalta a importância para o Distrito Federal da revitalização de um espaço tão importante. “É um marco importante. “É a primeira PPP do governo Ibaneis e esperamos que tenhamos muito mais outras oportunidades de negócio para os empresários de Brasília e do Brasil e até mesmo estrangeiros, para que possamos cumprir com o que a a Terracap tem como principal objetivo: desenvolvimento de Brasília”. O resultado será divulgado em 30 dias, vence a licitação quem pedir o menor aporte público para a revitalização do autódromo. A vencedora ficará responsável pelas obras de reforma da pista, dos boxes, e das arquibancadas e a criação de um centro de excelência. A estimativa é que o investimento para a revitalização dos 726.822 metros é de R$ 73.17 milhões, sendo que, a Terracap vai disponibilizar R$ 14 milhões.
17/01/2019

Almoço de Moro em restaurante-escola do Senac é visto como aval ao Sistema S

Bom e barato

Almoço de Moro em restaurante-escola do Senac é visto como aval ao Sistema S

Presença do ministro reforça qualidade do serviços prestados

O restaurante-escola do Senac no Ministério da Justiça tem recebido um visitante ilustre desde o início do ano, o próprio ministro Sérgio Moro. Ele foi fotografado com bandeja na mão, sem furar fila por alguns clientes e elogiado por escolher o restaurante-escola em vez dos caríssimos estabelecimentos utilizados por ex-comandantes da pasta. Para o Senac, a presença do ministro no restaurante-escola confirma o reconhecimento da qualidade da comida e do serviço prestado no local. O restaurante-escola do Senac recebe dezenas de alunos que aprendem, na prática, como lidar com o público. “A credibilidade desse trabalho é tão grande e a carência por mão de obra qualificada é tamanha que quase todos os estudantes já saem do curso empregados pelo mercado”, diz o órgão.
17/01/2019

Governador do DF envia projetos emergenciais para a Câmara Legislativa

Pacotes emergenciais

Governador do DF envia projetos emergenciais para a Câmara Legislativa

O governador do DF também esteve reunido com distritais da base aliada para tratar da convocação de emergência

O governador Ibaneis Rocha enviou dois projetos de lei para a Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), um sobre a saúde pública e outro em relação à segurança pública. Logo após, houve reunião com a base aliada no Palácio do Buriti, para que os “pacotes emergenciais” venham a ser analisados antes da volta do recesso parlamentar. O texto que busca melhoras na saúde pública, prevê que as Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs), o Samu e os hospitais regionais passem a ser geridos pelo Instituto Hospital de Base, que começaria a se chamar Organização Hospitalar do DF. Ibaneis quer devolver para a população, o quanto antes, os leitos que estão fechados. Para o governador com ajuda do Poder Legislativo será possível a contratação de mil profissionais para a saúde. “É isso que eu quero fazer. Eu quero dar um atendimento imediato para desafogar de vez as filas dos hospitais do Distrito Federal. E a partir daí fazer de forma organizada a gestão de todos os recursos da saúde”. A ideia é que a Secretaria de Saúde fique com a responsabilidade da gerência das menores unidades de saúde, como os postos de saúde e os Centros de Atenção Psicossocial (CAPs). Já o projeto de lei sobre a segurança, cria o “serviço voluntário gratificado” para policiais civis trabalharem durante a folga, já que na PMDF já existe esse tipo de gratificação. Ibaneis acredita que com aumento do número de agentes da PCDF, será possível reabrir as delegacias. “A população está sofrendo com a violência. Nós estamos tratando de vidas. São pessoas que estão morrendo por falta de segurança no Distrito Federal. É um projeto que eu tenho certeza que tanto a base quanto a oposição vão querer aprovar”. Base aliada Com a maioria dos distritais na sua base aliada, o governador  convocou os parlamentares em busca de apoio na mobilização dos deputados, para a votação dos textos já na semana que vem. O recesso parlamentar vai até o dia 1º de fevereiro. Outras pautas estiveram na reunião desta tarde, entre elas, a renegociação e conciliação de R$ 32 bilhões em débitos, para isso o governador pretende trabalhar em parceria com o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT). “Nós estamos com bastante dificuldade financeira, com carência na grande maioria dos serviços – que precisam ser supridos –, e se eu tiver esse instrumento em mãos já a partir de 1º de fevereiro a gente começa a convocar para negociar esses débitos, entrando recursos no caixa para melhorar a vida da nossa população”. O chefe do Executivo disse ter ficado otimista com o encontro. “Eu senti um clima positivo. Eles entenderam e sabem que estão tratando de vidas. Temos condições sim (de aprovar) e eles (deputados) estão bastante convencidos dessa necessidade dessa convocação.” Estiveram no Palácio do Buriti, nesta quinta os distritais: o presidente da Câmara Legislativa do DF, Rafael Prudente (MDB), o líder do GDF na Casa, Cláudio Abrantes (PDT), e Hermeto (PHS), Jorge Viana (Podemos), José Gomes (PSB), Telma Rufino (PROS), Valdelino Barcelos (PP).
17/01/2019

Governador do DF faz vistorias nas obras do viaduto do Eixão e da Ponte do Bragueto

Obras em andamento

Governador do DF faz vistorias nas obras do viaduto do Eixão e da Ponte do Bragueto

Outros locais, apontados pelo relatório do Tribunal de Contas do DF também foram visitados

Logo pela manhã desta quinta-feira (17), o governador Ibaneis Rocha começou o dia nas ruas,  para vistoriar todas as obras que estão em andamento, e foram citadas no relatório do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF). O primeiro compromisso ocorreu na saída norte do DF, nas obras do Trevo de Triagem Norte, Ibaneis acompanhou de perto o trabalho que está sendo realizado ao lado da Ponte do Bragueto, onde duas pontes estão sendo levantadas paralelamente. “A condição dos viadutos já é de conhecimento dos engenheiros. Já me passaram a situação, agora é hora de tocar as obras”, afirmou Ibaneis. As pontes Costa e Silva e das Garças, no Lago Sul, também receberam a visita do governador e sua equipe. Durante a manhã, também foram fiscalizadas as tesourinhas do Eixo L e Eixo W na Asa Norte e na Asa sul. O viaduto do Eixão Sul, que desabou em 6 de fevereiro do ano passado, não podia ficar fora das vistorias, o governador também foi a  Galeria dos Estados. “Queremos transformar a galeria em um espaço que a população tenha orgulho e que não seja só um ponto de passagem e acesso ao trabalho, mas que se torne mais um endereço de visitação e lazer da cidade”.     Relatório do TCDF Em dezembro do ano passado, após a queda do viaduto, o Tribunal de Contas do DF fez inspeções nas obras em todo o DF e elaborou um relatório com os pontos mais perigosos, e fez um alerta, das 11 pontes e viadutos vistoriados, somente três tinham sido reformados. Foram diagnosticados problemas como oxidação de estruturas, trincas, marcas de infiltração, nos seguintes pontos: Ponte do Bragueto, passagem subterrânea de pedestres, entre as quadras 15 e 16 norte, – tesourinha do Eixo L, entre as quadras 215/216 norte,  tesourinha do eixo W, entre as quadras 115/116 norte, viaduto sobre a via N2, ao lado do Conjunto Nacional, viaduto da DF-002 (Eixão), saída do Buraco do Tatu, sentido norte/sul, viaduto da DF-002 (Eixão) sobre a via S2,  Galeria dos Estados (os dois trechos, L e W), tesourinha do Eixo L, entre as quadras 203/204 sul, Ponte Costa e Silva,  Ponte das Garças e as tesourinha do Eixo L, entre as quadras 215/216 sul. Distrito Federal vai ganhar mais cinco viadutos As regiões do Sudoeste, Riacho Fundo I, Itapoã, Recanto das Emas e Jardim Botânico vão ganhar viadutos. De acordo com Ibaneis, o governo já prepara o lançamento dos editais. “Designei uma equipe de engenharia para concluir todos os editais. Vamos deixar tudo pronto e, assim que as emendas parlamentares forem liberadas, tocamos a obra”.
Mais Distrito Federal
01/01/2019

Romeu Zema toma posse em Minas como primeiro governador do partido Novo

'Povo quer mudança'

Romeu Zema toma posse em Minas como primeiro governador do partido Novo

Em discurso, o novo governador disse que o povo mineiro quer uma "mudança de cultura"

A cerimônia de posse de Romeu Zema como governador de Minas Gerais começou por volta das 09h e pela primeira vez ocorrre na Assembleia Legislativa. Primeiro governador eleito pelo partido Novo, Zema fez juramento de cumprir a Constituição Federal e do Estado de Minas Gerais, depois assinou o termo de posse e fez um pequeno discurso dizendo que o povo “não manda recado” nas eleições, mas “decide”. “O povo mineiro demonstrou um desejo de mudança de cultura”, disse. Após a cerimônia na ALMG, Zema, e o vice-governador, Paulo Brant, seguem para o Palácio Tiradentes. Lá, está previsto um discurso do novo governador ao público em evento aberto. A estimativa é que cerca de quatro mil pessoas acompanhem a primeira aparição pública de Zema como governador. Zema tem 54 anos, nasceu em Araxá e tem dois filhos. Empresário formado em Administração de Empresas, o governador começou a trabalhar cedo e já foi cobrador, frentista, balconista, estoquista, caixa, comprador, vendedor, analista de marketing, analista comercial e gerente.
29/12/2018

Assembleias estaduais torram R$ 12,4 milhões por ano com auxílio-moradia de deputados

Dinheiro público

Assembleias estaduais torram R$ 12,4 milhões por ano com auxílio-moradia de deputados

Tal como juízes, a grana também vai para o bolso dos deputados com casa na cidade de trabalho

Presidente da Assembleia Legislativa da Bahia entre 2007 e 2016, o deputado estadual Marcelo Nilo (PSB) é dono de cinco apartamentos em Salvador e mora no Horto Florestal, um dos metros quadrados mais caros da cidade. Seu sucessor no comando do Legislativo, o deputado estadual Angelo Coronel(PSD), é dono de uma casa avaliada em R$ 4 milhões em Stella Maris, uma das praias mais badaladas da capital baiana. Adversários na política, os dois deputados estão afinados em relação a benefícios pagos pela Assembleia: ambos, assim como os outros 61 deputados estaduais da Bahia, recebem R$ 4.028 por mês de auxílio-moradia. A situação se replica em outros estados. Ao todo, 9 das 26 Assembleias estaduais pagam benefícios para bancar a moradia de deputados, num custo anual de R$ 12,4 milhões. O auxílio-moradia deve ser mantido na próxima legislatura a despeito de as Assembleias serem beneficiadas pelo efeito-cascata do reajuste concedido ao Poder Judiciário, cujo teto chegou a R$ 39 mil. O mesmo deve acontecer na Câmara dos Deputados, que prevê auxílio-moradia de R$ 4.253 para os deputados que não ocupam apartamentos funcionais, no Senado, que prevê a restituição de até R$5.500 mensais para gastos com moradia em Brasília. Além da Bahia, os estados de Minas Gerais, Santa Catarina, Goiás, Rondônia e Tocantins preveem o pagamento de auxílio-moradia para todos os deputados,independente de eles serem donos de imóveis. Já Rio de Janeiro, Amazonas e São Paulo concedem o benefício, mas com restrições. A Bahia é o estado que mais gasta com o auxílio-moradia de deputados estaduais, com despesa anual de R$ 3 milhões. O benefício deve ser mantido na próxima legislatura mesmo diante do agravamento da situação financeira. As dificuldades serviram como justificativa para aprovação, sob forte protesto dos servidores baianos, de um pacote de austeridade que incluiu extinção e privatização de estatais, além do aumento da alíquota da Previdência paga pelos funcionários. Na contramão do corte de gastos, a própria Assembleia Legislativa pediu uma suplementação de R$ 80 milhões no orçamento este ano. Presidente da Assembleia da Bahia, Coronel,que se elegeu senador em outubro, afirma que o benefício foi instituído no estado há mais de duas décadas e é importante para os deputados que vivem no interior. “É claro que enfrentamos um momento difícil da economia. Acredito que, se os deputados assim quiserem, a Assembleia pode seguir a tendência nacional e extinguir o benefício na próxima gestão”, afirma Coronel. Em Minas, um dos estados em pior situação fiscal do país,o benefício de R$ 4.337 gera custo anual de R$ 2,1 milhões para a Assembleia. Até 2015, o estado pagava o benefício apenas para os deputados que não moravam na região metropolitana de Belo Horizonte. Mas uma lei aprovada no início da atual legislatura estendeu o benefício para todos os deputados que o pleiteassem. Em Santa Catarina,o gasto anual também chega a R$ 2,1 milhões. Dos 40 deputados estaduais, apenas Padre Pedro Baldisserqa (PT) abriu mão do auxílio-moradia mensal de R$ 4.377. Já a Assembleia Legislativa de Rondônia é a que paga maior benefício mensal: são R$ 5.000 por mês para cada um dos 24 deputados estaduais, num custo anual de R$ 1,44 milhão. Dois deles -Aélcio da TV (PP) e Léo Moraes (Podemos)- destinam o montante para entidades beneficentes. Em São Paulo, Amazonas e Rio de Janeiro, recebem benefícios apenas os deputados estaduais que vivem no interior e que não possuem imóvel próprio nas respectivas capitais de seus estados. No Rio, apenas 11 dos 70 deputados recebem o benefício mensal de R$ 3.189. Já no Amazonas, nenhum dos 24 deputados da atual legislatura teve direito ao auxílio moradia -todos os deputados com base eleitoral no interior têm imóveis próprios em Manaus. Em São Paulo, o auxílio-moradia foi substituído em 2013 pelo auxílio-hospedagem de R$ 2.850, que também só é concedido para deputados com base fora da região metropolitana e que não tenham imóveis na capital. Ao contrário do auxílio-moradia, o auxílio-hospedagem demanda que o deputado estadual apresente notas fiscais de gastos com aluguel de imóveis ou diárias de hotéis. Outros estados extinguiram o benefício nos últimos anos, na esteira de medidas de enfrentamento da atual crise fiscal dos estados. É o caso do Maranhão, que acabou com o auxílio-moradia para deputados em fevereiro deste ano, gerando uma economia de R$ 1,5 milhão por ano. (Folhapress)
20/12/2018

Defesa se diz surpresa e indignada com busca na casa da mãe de Aécio

Operação Ross

Defesa se diz surpresa e indignada com busca na casa da mãe de Aécio

O advogado Alberto Toron disse que a busca teria sido motivada por uma “denúncia anônima” por ocultação de provas

A defesa do senador Aécio Neves (PSDB-MG) disse nesta quinta-feira (20) que recebeu com “surpresa e indignação” a notícia de busca na residência da mãe do senador, Inês Maria Neves Cunha, “seja pela completa desnecessidade e descabimento da medida, seja pela total desvinculação de sua mãe com os fatos apurados”. Em nota à imprensa, o advogado Alberto Toron disse que a busca teria sido motivada por uma “denúncia anônima” de que o imóvel teria recebido caixas com documentos no dia da Operação Ross e que esse relato é mentiroso. “É lamentável que a intimidade de uma senhora seja afrontada dessa forma, sem que haja nada que justifique”, protestou Toron. Toron ressaltou que Aécio Neves sempre esteve à disposição de todas as autoridades e que o senador é o maior interessado na elucidação dos fatos. Disse ainda que o político aguarda a finalização célere das investigações para que fiquem provadas que as acusações são falsas. Operação Ross Hoje (20), a Polícia Federal cumpriu três mandados de busca e apreensão em endereços ligados à família do senador tucano. Além das casas da mãe de Aécio, e de seu primo Frederico Pacheco, também foram feitas buscas em uma empresa de comunicação, que seria de Pacheco em sociedade com a jornalista Andrea Neves, irmã de Aécio. Esta é segunda fase da Operação Ross, que investiga suposta propina do Grupo J&F a Aécio entre 2007 e 2014. Os mandados foram expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF), após solicitação da Polícia Federal. A primeira fase da operação, deflagrada no dia 11 de dezembro, fez buscas em endereços ligados ao senador, à Andréa Neves e ao deputado federal Paulinho da Força (SD-SP). (ABr)
25/11/2018

Enade: exame começa no país; candidatos têm 4 horas para fazer a prova

Qualidade da educação

Enade: exame começa no país; candidatos têm 4 horas para fazer a prova

Ao todo 550 mil estudantes de 27 áreas farão a prova que avalia a qualidade dos cursos

O Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) começou às 13h30 (horário de Brasília) deste domingo (25). Os portões dos 1.585 locais de aplicação da prova foram fechados às 13h em todas as unidades da Federação. No país, 550 mil estudantes de cursos de 27 áreas do conhecimento farão o Enade. A prova é voltada para alunos que estão concluindo cursos de graduação. O exame é obrigatório e a situação de regularidade do estudante no exame deve constar em seu histórico escolar. O Enade é o principal componente para o cálculo dos indicadores de qualidade dos cursos e das instituições de ensino superior. A cada ano, o exame avalia um grupo diferente de cursos superiores. A avaliação se repete a cada três anos. Os candidatos terão quatro horas para resolver 40 questões. A prova do Enade é composta por itens de Formação Geral, comum aos cursos de todas as áreas, e de Componente Específico. Em Formação Geral são 10 questões, sendo duas discursivas e oito de múltipla escolha, envolvendo situações-problema e estudos de casos. A de Componente Específico tem 30 questões, sendo três discursivas e 2 de múltipla escolha, com situações-problema e estudo de casos. Brasília Em Brasília, os 14.745 inscritos enfrentam um dia chuvoso para a realização da prova. Para o aluno de Bacharelado em Teologia Reginaldo Azevedo, de 65 anos, o Enade contribui para o aperfeiçoamento do ensino superior no país. Ele disse que o exame é a “coroação” final do seu esforço no curso que durou quatro anos. “Teologia foi um chamado na minha vida. Foi um presente que eu me dei e Deus me permitiu”, disse Azevedo, que tem formação em engenharia agrícola. A estudante de Gestão de Políticas Públicas da Universidade de Brasília (UnB) Mayara Leporace Haddad, de 25 anos, disse estar tranquila para a prova. “Sempre tive um bom suporte da universidade. Acho importante ter uma avaliação porque é assim que a gente pode ter melhorias no ensino superior. Tem que avaliar os cursos para ver o que pode ser mudado, melhorado”. Áreas avaliadas Grau de Bacharel: Administração; Administração Pública; Ciências Contábeis; Ciências Econômicas; Comunicação Social – Jornalismo; Comunicação Social – Publicidade e Propaganda; Design; Direito; Psicologia; Relações Internacionais; Secretariado Executivo; Serviço Social; Teologia; Turismo. Grau de Tecnólogo: Tecnologia em Comércio Exterior; Tecnologia em Design de Interiores; Tecnologia em Design de Moda; Tecnologia em Design Gráfico; Tecnologia em Gastronomia; Tecnologia em Gestão Comercial; Tecnologia em Gestão da Qualidade; Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos; Tecnologia em Gestão Financeira; Tecnologia em Gestão Pública; Tecnologia em Logística; Tecnologia em Marketing; Tecnologia em Processos Gerenciais. (ABr)
Mais Minas Gerais
15/01/2019

Sérgio Cabral e Jorge Picciani são denunciados por lavagem de dinheiro

Compra e venda de gado

Sérgio Cabral e Jorge Picciani são denunciados por lavagem de dinheiro

Ex-governador e presidente afastado da Assembleia do Rio teria comprado e vendido cabeça de gado para lavar dinheiro de propina

O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral e o presidente afastado da Assembleia Legislativa do estado (Alerj) Jorge Picciani (MDB) foram denunciados por lavagem de dinheiro pelo Ministério Público. Segundo a denúncia do MP, Cabral recebeu R$ 1 milhão em propina da Carioca Engenharia, entre 2007 e 2014. O dinheiro teria sido usado para comprar e vender 160 cabeças de gado criados pela família de Picciani, por meio de operações superfaturadas. Em troca, Cabral teria beneficiado a empresa em licitações e contratações dentro do governo do Rio — em obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), como a construção da linha 4 do metrô. O MP pediu a condenação e o bloqueio de bens no valor de R$ 13 milhões de cada um dos denunciados. Cabral está presos desde 2016 e já foi condenado diversas vezes, com penas que somam 198 anos e seis meses de prisão. Picciani foi preso no âmbito da operação Cadeia Velha, que investiga o pagamento de propina a deputados estaduais do Rio de Janeiro por empresários do setor de transporte.
14/01/2019

Corregedor nega que tuíte do juiz Bretas tenha violado norma do CNJ

Mera opinião

Corregedor nega que tuíte do juiz Bretas tenha violado norma do CNJ

Para Humberto Martins, manifestação não constituiu apoio partidário

O corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, disse não identificar nenhuma violação ao Provimento 71 da Corregedoria Nacional de Justiça em tuíte postado no Twitter pelo juiz federal Marcelo Bretas, que julga processos da Operaçao Lava Jato no Rio de Janeiro. Na publicação, postada no último dia 9 de janeiro, o magistrado escreveu que “alguns países estão democraticamente mudando a orientação de seus governos, de esquerda (viés mais populista) para centro-direita (viés mais técnico). Respeitemos a vontade da maioria e aguardemos o cumprimento das propostas. Críticas prematuras são claramente oportunistas”. A manifestação foi vista por alguns jornalistas como apoio político-partidário dado pelo juiz ao novo governo. Questionado pela imprensa, Humberto Martins, no entanto, disse não verificar nenhuma irregularidade na publicação que justificasse a intervenção da corregedoria. “A corregedoria atua com imparcialidade e independência sobre fatos concretos”, disse o ministro. “Ao analisar o pronunciamento do magistrado no Twitter, constatei que não há menção a nome de político ou de partido. Trata-se de uma mera opinião, em tese, inclusive no contexto do cenário mundial, não se verificando afronta ao Provimento 71 da Corregedoria”, acrescentou. Publicado em junho de 2018, o Provimento 71 da Corregedoria Nacional de Justiça dispõe, entre outros pontos, que o magistrado deve agir com reserva, cautela e discrição ao publicar seus pontos de vista nas redes sociais. Também orienta que é vedado aos membros da magistratura a participação em situações que evidenciem apoio público a candidato ou a partido político.
14/01/2019

Helicóptero da Polícia Militar do Rio de Janeiro cai na Baía de Guanabara

Acidente

Helicóptero da Polícia Militar do Rio de Janeiro cai na Baía de Guanabara

Quatro pessoas estavam dentro da aeronave: uma está em estado grave, duas estão fora de risco e não há informações sobre o quarto tripulante

Um helicóptero do Grupamento Aeromóvel da Polícia Militar do Rio de Janeiro caiu na manhã desta segunda (14) nas águas da Baía de Guanabara, na zona norte da cidade do Rio de Janeiro. Segundo a Polícia Militar, havia quatro tripulantes a bordo da aeronave durante o acidente. Os bombeiros informaram que o helicóptero caiu nas proximidades da Cidade Universitária. Homens do quartel da Ilha do Fundão estão trabalhando no resgate das vítimas. Segundo o Corpo de Bombeiros, uma vítima foi resgatada em estado grave e teve que passar por procedimento de reanimação. Não há informações sobre se ele sobreviveu ou não. Dois tripulantes passaram por avaliação médica no local, mas estão fora de risco. Uma quarta vítima foi resgatada por pessoas que passavam pelo local e não há informação sobre o estado de saúde dela. A aeronave Fênix 08 do Grupamento Aeromóvel (GAM) reforçava o patrulhamento da Linha Vermelha, principal via de ligação entre a Baixada Fluminense e o centro da capital. Ainda não se sabe o motivo da queda. A aeronave, de acordo com a corporação, estava com manutenção regularizada. (ABr)
13/01/2019

Carro da deputada estadual Martha Rocha é alvo de tiros no Rio

Neste domingo

Carro da deputada estadual Martha Rocha é alvo de tiros no Rio

Parlamentar não teria se ferido; motorista foi baleado, mas não há informações sobre o estado de saúde dele

O carro onde estava a deputada estadual Martha Rocha (PDT-RJ) foi alvo de tiros na manhã deste domingo (13), no bairro da Penha, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Segundo primeiras informações, a delegada não teria se ferido. O motorista, no entanto, foi baleado na perna e levado a um hospital, mas não se sabe o estado de saúde dele. Um outro veículo teria interceptado o carro onde estava a deputada. Os tiros teriam partido de um homem armado com um fuzil. Ainda não se sabe se o ocorrido se trata de um ataque contra a delegada ou uma tentativa de assalto. O caso está sob responsabilidade da Delegacia de Homicídios da capital. Eleita em 2014 e reeleita nas eleições do ano passado, a delegada tem como prioridade atuação nas áreas de segurança pública e de combate à violência contra as mulheres. Martha Rocha foi a primeira mulher a chefiar a Polícia Civil do Rio de Janeiro, atuando sempre no combate à violência contra mulher.
Mais Rio de Janeiro
15/01/2019

Justiça aceita denúncia contra acusados de fraudar aposentadoria em SP

Operação Barbour

Justiça aceita denúncia contra acusados de fraudar aposentadoria em SP

Vereadora de Santo André foi apontada como chefe de esquema

A Justiça Federal aceitou a denúncia contra quatro acusados de fazer parte de um esquema de fraudes no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) na Grande São Paulo. A denúncia foi oferecida pelo Ministério Público Federal (MPF) a partir de investigações da Operação Barbour, que prendeu quatro pessoas em novembro último. Entre os presos na ocasião, estava a vereadora Elian Santana (SD), de Santo André (SP). O MPF afirma que as negociações para conceder os benefícios irregulares eram feitos dentro do gabinete da parlamentar. Segundo a promotoria, a Justiça aguarda a manifestação de Santana e de outro acusado em relação ao processo, por isso, eles ainda não foram incluídos como réus. Em nota divulgada pelas redes sociais, a vereadora afirma ser inocente. “Não sou líder de nenhuma quadrilha, não me atrelei a pessoas fraudulentas e não desviei nenhum centavo do erário público”, disse. Aposentadorias antecipadas As investigações apontam que, em pouco mais de um ano, entre 2017 e 2018, foram liberadas centenas de aposentadorias fraudulentas. Até agora, o MPF diz ter identificado 26 desses benefícios que geraram pagamentos de R$ 715,5 mil. As fraudes eram feitas a partir de uma agência do INSS em Diadema, também na região metropolitana. O grupo aliciava pessoas interessadas em serviços de assessoria previdenciária com a promessa de acelerar a aposentadoria. A maioria dos que se beneficiaram do esquema era composta por bancários. Os interessados pagavam entre R$ 8 mil e R$ 15 mil. Um servidor do INSS que também integrava a quadrilha inseria informações falsas de periculosidade ou insalubridade nos cadastros, reduzindo o tempo de contribuição necessário. Entre os que se tornaram réus no processo estão dois clientes do esquema, bancários que conseguiram aposentadorias antecipadas de R$ 3 mil e R$ 3,5 mil. O MPF pretende denunciar outros beneficiários. (ABr)
11/01/2019

Presos pintarão 5.500 escolas públicas em SP, afirma Doria

Programa de capacitação

Presos pintarão 5.500 escolas públicas em SP, afirma Doria

Eles vão trabalhar em períodos de férias e nos finais de semana

Presos de São Paulo vão pintar cerca de 5.500 escolas estaduais. O trabalho foi anunciado pelo governador João Doria (PSDB), nesta sexta-feira, 8 e faz parte da ampliação de um programa que capacita presos do regime semiaberto para trabalhar na pintura de prédios públicos no estado. De acordo com a equipe de Doria, o serviço será feito nos períodos de férias escolares e nos finais de semana — dessa maneira, os detentos não terão contato com os estudantes.  ​ Só participarão do projeto os presos interessados e serão abertas 8.000 vagas. Quem participar, terá redução de pena ao incluir esses dias de trabalho. São Paulo tem 225.874 presos, dos quais 39.347 estão em regime semiaberto. “Vamos cadastrar os municípios interessados”, diz o secretário da Administração Penitenciária, Nivaldo Restivo, que é coronel e ex-comandante da Polícia Militar. O transporte dos presos ficará por conta das cidades interessadas, mas a fiscalização do trabalho deles será feito pelo estado.
11/01/2019

Fortes chuvas de ontem ainda atrasam voos previstos para Congonhas

São Paulo

Fortes chuvas de ontem ainda atrasam voos previstos para Congonhas

Dos 92 voos programados para pousar e decolar do terminal a partir das 6h de hoje, seis foram cancelados e 11 sofreram atrasos

Depois das fortes chuvas que atingiram São Paulo na noite de ontem (10), o Aeroporto de Congonhas segue com voos atrasados. Dos 92 voos programados para pousar e decolar do terminal a partir das 6h de hoje (11), seis foram cancelados e 11 sofreram atrasos. O terminal ficou fechado entre 21h15 e 22h de ontem. Segundo a Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária), nesse período 25 voos foram cancelados e 14 alternados para outros aeroportos. O terminal funciona das 6h às 23h. A capital paulista ficou em estado de atenção para alagamentos em vários locais. Foram registrados sete pontos de alagamento, dos quais três transitáveis e quatro intransitáveis. Segundo Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), a Zona Leste foi a região menos atingida na capital. Durante a madrugada, o CGE registrou que o céu seguia nublado, mas sem registro de chuva na cidade, com as temperaturas oscilando em torno dos 21ºC, sem expectativa de chuva forte para as horas seguintes. No momento, a cidade está em estado de observação, mas não são registrados pontos de alagamento. Hoje, o dia começou com sol entre nuvens e os termômetros na casa dos 20°C, com expectativa de mais um dia de muito calor em São Paulo. As temperaturas estão em elevação rápida e a máxima deve chegar aos 33°C nas horas mais quentes. As taxas de umidade do ar um pouco mais elevadas causam sensação de tempo abafado ao longo do dia, variando entre 50% e 95%. Granizo Segundo o CGE, a combinação de calor e entrada da brisa marítima favorece a formação de nuvens carregadas que provocam chuva em forma de pancadas isoladas com forte intensidade e potencial para rajadas de vento. É possível ainda que caia granizo. De acordo com o CGE, a massa de ar quente e úmido continua atuando sobre o estado de São Paulo e assim o sol predomina na maior parte do dia, com chuvas ocorrendo entre a tarde e a noite. “As precipitações terão forte intensidade e potencial para rajadas de vento e eventualmente queda de granizo, condição bastante normal para a época do ano. Portanto, as condições do tempo durante os eventos chuvosos são favoráveis para a formação de alagamentos, bem como transbordamentos de rios e córregos”, informou o CGE. Mais chuvas no fim de semana A previsão para o sábado (12) deve ser uma repetição dos dias anteriores, com sol na parte da manhã e pancadas isoladas de chuva entre a tarde e o início da noite. A temperatura oscilará entre mínima de 21°C durante a madrugada e máxima de 31°C à tarde, com percentuais de umidade do ar entre 52% e 95%. O domingo (13) também terá forte calor  e madrugada com poucas nuvens e termômetros em torno dos 21°C. A máxima prevista é de 32°C. (ABr)
10/01/2019

Em Davos, Bolsonaro defenderá agronegócio, indústria, ciência e tecnologia

Reunião com Doria

Em Davos, Bolsonaro defenderá agronegócio, indústria, ciência e tecnologia

O presidente se reuniu nesta quinta-feira com Doria; decreto sobre armas deve sair amanhã, segundo o governador

O presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto, fará sua estreia internacional no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, que será realizado de 22 a 25 deste mês com representantes do G20, que engloba as maiores economias mundiais, e convidados estrangeiros. Segundo o governador de São Paulo, João Doria, que se reuniu nesta quinta-feira, 10, com Bolsonaro, o presidente vai apresentar as oportunidades de investimento no Brasil nos setores do agronegócio, da indústria, comércio, serviços, ciência, tecnologia e empreendedorismo. “É um grande palco para a apresentação do novo Brasil. O Brasil que acredita numa economia liberal, transformadora, que gera empregos e oportunidades”,disse Doria. No total, líderes de cerca de cem países estarão presentes. Reforma da Previdência Na reunião com Bolsonaro, Doria reafirmou seu apoio à proposta de reforma da Previdência que será enviada pelo governo ao Congresso Nacional. Segundo ele, a bancada paulista do PSDB votará favoravelmente à proposta. Para o tucano, a aprovação da reforma previdenciária terá “efeito transformador” no país, “permitindo que o crescimento possa saltar dos 3% hoje previstos para 5%”. Segundo o governador, a reforma vai atrair investimentos internacionais e aumentar a geração de emprego e renda. Perguntado, Doria disse ser favorável ao regime de capitalização proposto pela equipe econômica, no qual cada trabalhador faz sua poupança individual para a aposentadoria. Decreto sobre armas Doria disse que é favorável à flexibilização da posse de armas e, questionado pelos jornalistas, disse que o decreto sobre a questão deve ser assinado amanhã pelo presidente Jair Bolsonaro.  (ABr)
Mais São Paulo
18/01/2019

Partidos não sabem o que é crise: levaram R$880 milhões em 2018

Farra interminável

Partidos não sabem o que é crise: levaram R$880 milhões em 2018

É quanto embolsaram com o fundo partidário em 2018

A crise nas contas públicas não afetou partidos políticos. Somados, os 35 partidos brasileiros embolsaram em 2018 mais de R$ 880 milhões só com o Fundo Partidário. Trio de legendas políticas que governou o país desde a redemocratização, PT, PSDB e MDB faturaram um terço do fundo que sustenta partidos: R$103 milhões, R$85 milhões e R$83 milhões, respectivamente. O PSL de Bolsonaro recebeu cerca de R$8 milhões. E os valores não contemplam R$1,7 bilhão do fundo eleitoral. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder. O fundo eleitoral de R$1,7 bilhão que banca campanhas soma-se a R$780 milhões do fundo partidário e mais de R$100 milhões de multas. PCB, PCO, PMB, PRTB e PSTU não elegeram deputados suficientes e não terão dinheiro do fundo e nem tempo de TV gratuito. Rede, Patri, PCdoB, PHS, PRP, PMN, PTC, PPL e DC têm deputados, mas, sem desempenho mínimo, precisam se unir para receber dinheiro. Juntos, partidos barrados pela cláusula de desempenho receberam R$70,6 milhões. Mas o valor não deixa de ser gasto; será redistribuído.
18/01/2019

É iminente a melhoria da nota do Brasil nas agências de risco, diz especialista

Classificação de risco

É iminente a melhoria da nota do Brasil nas agências de risco, diz especialista

Ex-diretor do BC acha que ações do governo melhorarão nota de risco

A eleição do presidente Jair Bolsonaro causou alvoroço no mercado financeiro e o otimismo com os caminhos da equipe econômica fez analistas preverem “melhora iminente” na classificação de risco da economia brasileira junto a agências internacionais. Ex-diretor do Banco Central, Carlos Eduardo Freitas partilha do otimismo e acredita que “equilíbrio e estabilidade interna” serão fundamentais para que agências de risco melhorem as notas atribuídas à economia brasileira. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder. Atualmente, o risco Brasil está em torno dos 180 pontos-base, mesmo nível de países como México e Rússia, que têm o grau de investimento. Freitas define as ações para acelerar a decisão das agências de risco: “reforma da Previdência/Assistência Social e a dívida dos estados”. Para analistas, o governo Bolsonaro adotará medidas de curto e médio prazo para garantir a estabilidade fiscal, econômica e melhora da nota.
17/01/2019

Nova scooter da Honda, a Elite 125, já está disponível nas lojas da marca

Diário Motor

Nova scooter da Honda, a Elite 125, já está disponível nas lojas da marca

Com preço inicial de R$ 8.250, a motinho tem autonomia de mais de 250km

Atualmente, a Honda detém cerca de 80% do mercado de motocicletas do Brasil. Mesmo com o amplo domínio, a marca não se acomoda e continua apresentando novos modelos. A japonesa deve lançar oito motocicletas neste ano. Mas a ofensiva começou ainda no fim de 2018, com a apresentação da Elite 125, mais nova integrante da família de scooters da montadora. Com a proposta de ser o modelo de entrada das scooters, a Elite 125 chega a baixo da PCX 150 e custará R$ 8.250. A motinho chegou essa semana às concessionárias da marca. Com proposta totalmente urbana, a Honda garante que a Elite faz, em média, 40 quilômetros por litro de gasolina. Como uma boa scooter, a Elite conta com transmissão automática do tipo CVT. Com isso, o motociclista não precisa se preocupar com a embreagem, basta acelerar e frear. O motor, de 124,9 cilindradas cúbicas, gera 9,4 cavalos e 1.05kgfm de torque. O tanque de combustível tem capacidade de 6,4 litros, com isso, a autonomia passa dos 250 quilômetros. Visual moderno Um dos grandes diferenciais da Elite 125 é o design. O visual da scooter é bem moderno, com cortes agressivos no desenho e linhas retas e angulares. Ela conta com uma carenagem que cobre praticamente toda a área do motor. As rodas são de aro 12 na dianteira e 10 na traseira, o que deve gerar um certo cuidado por parte do motociclista, principalmente em vias de asfalto ruim. A japonesa tem painel de instrumentos totalmente digital, que conta com velocímetro, relógio, hodômetros total e parcial, conta-giros e luz-espia, além de marcar o nível de combustível e registrar o consumo médio e instantâneo. O conjunto óptico da scooter é todo em LED. O porta-objetos tem 20 litros de capacidade. Uma novidade é o gancho na área dos pés, onde é possível pendurar bolsas e mochilas, o que permite uma maior comodidade na hora de levar alguma coisa.  

Charge

banner-brasilcti (1)
18/01/2019

Pesquisa na Antártica é tema de exposição do Museu Nacional

CONTINENTE GELADO

Pesquisa na Antártica é tema de exposição do Museu Nacional

Exposição fica no Centro Cultural Museu Casa da Moeda do Brasil, no Centro do Rio de Janeiro

O Museu Nacional inaugurou, durante coletiva nessa quarta-feira, 16, a exposição Quando Nem Tudo era Gelo – Novas Descobertas no Continente Antártico, no Centro Cultural Museu Casa da Moeda do Brasil, no Centro do Rio. A exposição, a primeira após o incêndio, no dia 2 de setembro do ano passado, vai apresentar as novas descobertas do Projeto PALEOANTAR, vinculado ao Programa Antártico Brasileiro (Proantar), que conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). A exposição tem curadoria da paleontóloga Juliana Sayão, bolsista de Produtividade em Pesquisa (PQ) do CNPq, que, junto com o diretor do Museu Nacional, Alexander Kellner, também bolsista PQ, coordenou o projeto. A pesquisadora Juliana Sayão fala, ao lado de Alexander Keller, durante a coletiva de abertura da exposição. Foto: Maurício Salles Durante três anos, Juliana liderou as equipes em campo. A pesquisadora destaca a importância dos achados do projeto para contar uma história do continente antártico ainda desconhecida para muitas pessoas. “Nem sempre a Antártica foi congelada. Ela era mais quente e tinha uma fauna e flora completamente diferentes daquelas que a gente encontra hoje. Através dos fósseis resgatados pelo projeto Paleoantar a gente consegue contar essa historia e trazer essa informação para a população”, aponta. Juliana ressalta que as pesquisas são responsáveis, também pela formação de recursos humanos, já tendo levado dois alunos de doutorado cujo foco da tese é entender a paleontologia da Antártica e alunos da iniciação científica. Além disso, estagiários e alunos de graduação, mestrado e doutorado estão envolvidos nas análises dos materiais coletados pelo projeto nos laboratórios da universidade. Para Kellner, o apoio do Governo Federal, por meio da Marinha, com o apoio logístico; e do CNPq, com o financiamento das pesquisas, é essencial para a pesquisa naquela região, que tem uma importância geopolítica, segundo o pesquisador. “A sociedade brasileira tem que entender que somente quem está fazendo pesquisa científica na região antártica vai definir o futuro do continente. Então, é fundamental que o governo brasileiro continue incentivando o Proantar nas mais diversas áreas do saber”, complementa. A exposição A exposição permite que crianças e adultos entendam, de forma didática, através de vídeos, imagens, amostras, réplicas e fósseis, o que acontece na Antártica. Ela tem entrada gratuita a partir desta quinta-feira, 17, e poderá ser visitada até maio. “Essa exposição, aberta pouco mais de quatro meses depois da tragédia que se abateu sobre a nossa instituição, tem inúmeros significados: é a primeira realizada desde o incêndio, acontece no prédio que foi a primeira sede do Museu Nacional e será uma oportunidade incomparável para o público conhecer uma Antártica apresentada de forma única e surpreendente. Uma experiência inesquecível que inclui os equipamentos originais usados pelos pesquisadores brasileiros”, destaca Kellner. A curadora acrescenta que estão apresentadas na exposição as mais recentes descobertas das expedições realizadas entre 2015 e 2018. “Nesse período, nossos pesquisadores trabalharam na região mais ao sul da Antártica na prospecção e coleta de fósseis para fins de reconstrução paleoclimática, paleoambiental e paleobiogeográfica da fauna e flora do Cretáceo no continente. O objetivo é convidar o público a acompanhar de perto esta missão”, destaca a curadora. Segundo Juliana, a exposição Quando Nem Tudo era Gelo – Novas Descobertas no Continente Antártico foi pensada para estimular o diálogo com o grande público e, assim, gerar conhecimento e reforçar a importância das expedições realizadas ao continente gelado. “É uma forma de facilitar o entendimento das pessoas sobre questões que afetam as vidas de todos nós e entender, por exemplo, porque os dias no Rio de Janeiro estão cada vez mais quentes. Afinal, as correntes que chegam ao Brasil, no verão, saem justamente da Antártica. E qual a origem das massas polares que trazem chuva e, ao se encontrarem com massas quentes, geram tantos alagamentos? Ou seja, é fundamental conhecer esses fenômenos para que possamos trabalhar em pesquisas que contribuam para manter as pessoas vivas”, explica. Os visitantes vão se surpreender logo na entrada, onde chama a atenção a réplica de um mosassauro, com impressionantes cinco metros de comprimento, semelhante ao que aparece no filme Jurassic World (2015). O espécime pertence a um grupo extinto de criaturas marinhas que habitaram os mares do final do período Cretáceo. Considerados grandes predadores, os mosassauros chegavam a medir 17 metros e pesar seis toneladas. A curadoria da exposição convida o visitante a percorrer diferentes momentos da história do continente gelado. O percurso começa pela sala que apresenta a situação atual, com direito à réplica de um navio da marinha do Brasil e a reconstituição do trajeto percorrido pelos pesquisadores, com detalhes sobre a vida nos acampamentos e laboratórios. Em outra sala, o público terá contato com detalhes do trabalho realizado pelos paleontólogos e saber como trabalham esses pesquisadores, que equipamentos usam e como eles encontram fósseis e amostras de rochas. A sala seguinte é a da Antártica de 90 milhões de anos atrás, completamente diferente da atual. Um continente quente, coberto por uma floresta tropical e com uma fauna exuberante. A proposta é justamente gerar a curiosidade e os questionamentos do público: por que essa Antártica era tão diferente? Por que mudou? O que aconteceu? Essa mudança pode acontecer em outros continentes no futuro? O Proantar O Proantar é um programa de Estado que tem como objetivo a produção de conhecimento científico sobre a Antártica e suas relações com o restante do sistema climático global. Ele garante a presença da comunidade científica brasileira na Antártica desde o verão de 1982/83. De acordo com o artigo IX do Tratado da Antártica, os países que se tornaram membros por adesão, como é o caso do Brasil, devem manter na região um programa científico de excelência, de forma que possam participar das reuniões consultivas que decidem o futuro da região com direito a voz e voto, inclusive com atuação no Scientific Committee on Antarctic Research (SCAR) órgão interdisciplinar do Conselho Internacional para a Ciência (ICSU), responsável por promover, desenvolver e coordenar a investigação científica internacional de alta qualidade na região Antártica, inclusive o Oceano Antártico. O CNPq participa da realização dos objetivos científicos do programa desde 1991, sendo responsável pelo financiamento das pesquisas científicas na Antártica. Junto com o MCTIC é responsável pelo fomento e pela coordenação da execução das pesquisas científicas realizadas pelas Instituições Científicas e Tecnológicas (ICTs). A implementação logística do PROANTAR está a cargo da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar (CIRM), vinculada ao Comando da Marinha (Ministério da Defesa – MD). Também são parceiros na execução do Programa o Ministério do Meio Ambiente (MMA), o Ministério das Relações Exteriores (MRE), entre outros atores do setor público (PETROBRAS) e privado. Sobre o Centro Cultural Museu Casa da Moeda do Brasil Com cerca de 200 anos de idade, o Palacete da Casa da Moeda é uma edificação de grande valor histórico, especialmente para a memória da pesquisa científica do país. O Palacete abrigou a primeira instituição de pesquisa do país, a Casa de História Natural e foi nesse imóvel que Dom João VI abrigou o primeiro museu do país, o Museu Real, criado por decreto em 6 de junho de 1818. Tombado pelo IPHAN em 2016, o Palacete é uma construção eclética, de traços neoclássicos. SERVIÇO Quando Nem Tudo era Gelo – Novas Descobertas no Continente Antártico Período da exposição: de 17 de janeiro a 17 de maio Local: Centro Cultural Museu Casa da Moeda do Brasil (Praça da República ¿ nº26 – Centro) Horário de funcionamento: de terça a sábado, das 10h às 16h e domingo, das 10h às 15h Entrada franca Com informações da Asssessoria de Imprensa do Museu Nacional    Leia mais sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em BRASIL CTI.
17/01/2019

Ferramenta desenvolvida na UnB comprova integridade de gravações de áudio

Gravações sem manipulação

Ferramenta desenvolvida na UnB comprova integridade de gravações de áudio

Em testes pela PF, protótipo mostra-se mais eficiente que métodos anteriores

O nome é longo e pode parecer misterioso para leigos, ainda assim, a dissertação de mestrado Detecção robusta de adulteração em áudio explorando a forma analítica e o subespaço dos sinais interferentes da rede elétrica tem aplicação em um cenário já bem conhecido no noticiário brasileiro. Desenvolvida pelo engenheiro e perito da Polícia Federal (PF) Paulo Max Innocencio, no mestrado profissional do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica (PPGEE) da UnB, a pesquisa propõe um novo método de detecção de adulteração em gravações de áudio digital. Aquelas mesmo, que frequentemente são apresentadas nos jornais como prova em denúncias de crimes. Pela inserção do tema no cotidiano social, o trabalho foi escolhido pela Sociedade Brasileira de Ciências Forenses (SBCF) como o melhor em Ciências Forenses de 2018. O objetivo central do estudo é apresentar uma ferramenta que identifica se há alteração anormal na frequência de oscilação de sinais interferentes da rede elétrica. Esses sinais costumam ser incorporados em registros de áudio, porque nas gravações feitas em ambientes urbanos, o sinal eletromagnético emitido por rede e aparelhos elétricos é captado no arquivo e apresenta uma pequena variação. “É suave, como se fosse um sinal de sirene que aumenta e diminui”, descreve Paulo Max. Quando há edição, contudo, é possível identificar uma variação abrupta, captada pela ferramenta. Do ponto de vista técnico, pericial, a pesquisa é relevante para atestar que uma escuta devidamente autorizada pela autoridade judicial, ou mesmo feita por um indivíduo de forma autônoma, por exemplo, não foi adulterada. Essa verificação pode ser determinante para a decisão de utilizar ou não o material como evidência em alguma investigação. “É muito comum que o acusado tente negar o conteúdo registrado no áudio, alegando que as gravações foram adulteradas”, comenta o professor João Paulo Lustosa, orientador de Paulo Max. Aplicação Existem várias formas de editar um áudio, como a mudança na frequência das palavras registradas, que altera o significado do que foi dito. Uma vez que o áudio esteja com a autenticidade questionada, o perito precisa saber identificar possibilidades de alteração no material. Para tanto, aplica várias ferramentas de identificação de veracidade do áudio. “Algo em torno de dez e 15”, quantifica o professor Lustosa. O produto do estudo de Paulo Max é justamente uma dessas ferramentas de validação. “A pesquisa propõe usar um estimador estatístico, que é um bom parâmetro para identificar anomalias, e, portanto, adulteração”, diz o egresso. “Na Polícia Federal, é frequente recebermos áudios como meio de prova e eu trabalho diretamente com isso. Esse tipo de análise já ocorre, só que de forma assistida, e não de maneira automatizada. Essa mudança é o que proponho”, explica o perito e pesquisador. De acordo com ele, a perícia para esses casos se vale cotidianamente de gráficos, nos quais são buscadas anomalias. Dessa forma, a avaliação está sujeita à subjetividade do analista. Com a ferramenta automática, pode-se obter um resultado com maior acurácia e com tempo de execução mais célere. “O perito pode ter acesso a algo que, em uma situação a olho nu, talvez não captasse”, resume Paulo Max. O protótipo da ferramenta está sendo aplicado no Instituto Nacional de Criminalística, órgão central da Perícia Criminal Federal, localizado em Brasília. Paulo conta que os colegas têm dado retorno positivo sobre a utilização. “Dizem que é uma ferramenta fácil de aplicar no uso corriqueiro, de muita utilidade.” A ideia é ampliar o uso do protótipo dentro da PF. A técnica deve passar a integrar um programa em desenvolvimento na Polícia que agregará outras ferramentas de perícia. A proposta também tem potencial de uso pelo mercado pericial, por assistentes técnicos que fornecem serviços e para perícia em área civil. Mais Eficaz O método proposto teve resultados validados utilizando uma base de dados que contém uma centena de gravações telefônicas autorizadas de áudios não editados, e igual quantidade de gravações telefônicas de áudios editados. Além disso, os resultados obtidos foram comparados com estudos correlatos anteriores. “Os trabalhos que já existiam tinham acurácia inferior àquela da técnica proposta por Paulo”, comenta o professor João Paulo Lustosa. O curso em que a pesquisa foi desenvolvida ocorreu graças a uma parceria da UnB com a PF para oferecer mestrado na área de informática forense e segurança da informação. A finalidade do mestrado profissional é justamente criar soluções com aplicação direta em contribuições para a sociedade.   Leia mais sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em BRASIL CTI.
17/01/2019

Largar a chapinha é mais que uma atitude estética; tornou-se um ato político-social

BELEZA E PRECONCEITO

Largar a chapinha é mais que uma atitude estética; tornou-se um ato político-social

É o que consta em dissertação na Pós-Graduação em Sociologia da UFPE

Cabelos crespos e cacheados nem sempre foram sinônimo de beleza na sociedade, mas processos como o de transição capilar na contemporaneidade ressignificam não só o cabelo, como, também, a estética negra. A partir, principalmente, deste marco, em que cabelos com texturas mais crespas passam a ser assumidos e valorizados, a socióloga Anita Maria Pequeno Soares analisa que, ao largarem as chapinhas e alisamentos, as mulheres negras atuam além de sua autoestima e identidade, e conclui: “Por se tratar de uma expressão, a atitude não pode ser dissociada do seu carátersocial e político, uma vez que o cabelo crespo contempla uma forte dimensão simbólica, como sinal de inferioridade em uma sociedade racista”. Na dissertação “Cabelo importa: os significados do cabelo crespo/cacheado para mulheres negras que passaram pela transição capilar”, defendida no Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFPE (PPGS) e orientada pela professora Liana Lewis, Anita Soares identifica essa relação – cabelo-autoestima-identidade – não só como a valorização de uma negritude ou da descendência africana, mas como uma rejeição direta de beleza feminina, majoritariamente branca. “A negação da beleza negra alude o período da escravidão. E o cabelo foi e continua sendo, juntamente à cor da pele, sinais que destacam a negritude; não acidentalmente, o cabelo surge como uma questão desde a infância para as meninas negras de cabelo crespo, tendo como única alternativa o alisamento”, explica. A dissertação aponta as razões que tornam o cabelo importante na vida das mulheres negras de cabelo crespo. “Os significados do cabelo perpassam a negociação de identidades políticas complexas marcadas pela interseccionalidade entre raça e gênero”. Segundo a autora, a autoestima estava condicionada ao cabelo liso e a assunções de branquitude, que exigiam um grande esforço de manipulação estética. Na pesquisa, Anita relata que a consequência dessa lógica excludente é “interiorizada e marca profundamente a autoestima delas (mulheres negras), pois suas características corporais são subjugadas à condição de menor prestígio e valor estético”. Para entender melhor a dinâmica que coloca o cabelo crespo num status de “ruim” e o significado disso na subjetividade das mulheres negras, Anita faz uma cronologia da história da estética negra desde a colonização até o processo da transição capilar; passando por questões que se relacionam ao movimento “black is beautiful”, o “black power” e também o feminismo negro brasileiro. Segundo a autora, “a escolha de trabalhar sobre um tema contemporâneo e fortemente significativo para a vida de milhares de mulheres negras busca mostrar uma realidade tão negligenciada além de alargar a compreensão e a importância do feminismo negro”. Metodologia A metodologia utilizada neste trabalho foi a entrevista, norteadas por um tópico-guia e pela pergunta “Quais são as suas primeiras lembranças sobre quando começou a alisar o cabelo?”, a fim de compreender o significado do cabelo crespo/cacheado para essas mulheres. A partir desse levantamento, a autora analisou o discurso das entrevistadas buscando compreender também “os efeitos sociais do discurso do racismo na vida das minhas entrevistas”. Baseada nisso, Anita percebeu que o cabelo crespo torna-se uma questão na vida das meninas negras muito cedo, pois a maioria das entrevistadas lembra de alisar os cabelos ainda na infância. Os danos causados por esse ‘ritual de beleza’, como corte no couro cabeludo, feridas e afins, também são comentados pela socióloga. Os sujeitos da pesquisa foram mulheres negras, com média de 25 anos, com exceção de uma entrevistada, que tinha 48 anos e vivenciou outro contexto, que passaram pela transição capilar, em certa medida. De acordo com a pesquisa, escolher apenas mulheres que passaram pela transição direciona o discurso e, segundo um dos autores utilizados para embasar o estudo, “as mulheres que alisam o cabelo tendem a discordar mais do ‘self-hatred’, ideia segundo a qual o alisamento seria reflexo de uma autoestima baixa das mulheres negras e do consequente ‘ódio a si mesmas’; enquanto as mulheres que usam o cabelo ‘natural’ tendem mais a concordar com essa ideia”. Já nos casos de transição capilar, Anita define a transformação como “um processo rumo ao conhecimento de uma parte desconhecida”, pois a maioria das mulheres entrevistadas passaram pelo processo de alisamento sem antes conhecer o cabelo natural. Por fim, a mestranda analisa a importância do “big chop” para essa mulheres. O ato de cortar o cabelo muito curto “significou uma mudança muito além do cabelo”, é uma luta política por reconhecimento. Mais informações Programa de Pós Graduação em Sociologia da UFPE (81) 2126.8285 ppgs.ufpe@gmail.com Anita Maria Pequeno Soares anita.mps@hotmail.com   Leia mais sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em BRASIL CTI.
17/01/2019

Aplicativo desenvolvido por estudantes da UFPA auxilia no aprendizado de idiomas

APP Poliglota

Aplicativo desenvolvido por estudantes da UFPA auxilia no aprendizado de idiomas

Estudantes da Universidade Federal do Pará (UFPA) desenvolveram um aplicativo para auxiliar no aprendizado de idiomas estrangeiros. Chamado Tellou, o aplicativo tem como objetivo conectar pessoas que desejam praticar um determinado idioma com outras pessoas que estão aprendendo ou já dominam esse idioma, priorizando o desenvolvimento das habilidades de conversação. O aplicativo foi desenvolvido pelos estudantes Risonaldo Moura, graduando em Engenharia da Computação pela UFPA, e Weverton Barros, pós-graduando em Gestão Financeira Pessoal (PPGFE/UFPA). A equipe, atualmente, conta também com a estudante Jéssica Carvalho, graduanda em Letras – Língua Inglesa pela Universidade da Amazônia (UNAMA). Segundo Risonaldo Moura, o aplicativo foi idealizado pensando na ineficiência de escolas e de institutos de idiomas no desenvolvimento das habilidades de fala e escuta. “Nestes ambientes, os estudantes aprendem essas habilidades em um cenário ideal, com um tema já pré-definido e sob tutoria de alguém, porém, num cenário real, a situação é bem diferente, e o falante da língua deve dominar a ‘arte do improviso’ para manter uma boa conversa em diversas situações, até mesmo numa entrevista de emprego”, explicou. Tellou No aplicativo, que se encontra em fase de testes, o usuário poderá praticar outros idiomas com outros usuários, por meio de chat ou pessoalmente. Para Risonaldo, o Tellou pretende ser uma ferramenta inovadora no ensino de idiomas, possibilitando que o usuário aprenda o idioma em imersão. “Acreditamos que tornar mais acessível o aprendizado de idiomas é também tornar possível o desenvolvimento profissional, acadêmico e social de aproximadamente 89% da população brasileira, que, por algum motivo, não possui ferramentas necessárias para o domínio de uma segunda língua”, afirmou. O aplicativo conta com o apoio do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Tecnologia da Informação (PPGTI/UFPA) e da INTECELERI, empresa parceira da Google, na Região Norte. Campus Mobile O Tellou está competindo na categoria Educação do Campus Mobile, competição anual do Instituto NetClaroEmbratel, que está na sua sétima edição. Os projetos participantes serão avaliados por uma banca de investidores, empresários e avaliadores. Três projetos de cada uma das quatro categorias serão premiados com um determinado valor, e uma equipe de cada categoria conquistará uma viagem de imersão para o Vale do Silício, em São Francisco, nos Estados Unidos. Para Risonaldo, a expectativa é amadurecer a ideia do aplicativo por meio de feedbacks e opiniões de pessoas com visão global, adquirir conhecimento e experiência em empreendedorismo, além de trocar experiências com outros participantes da competição e trazer essas experiências para o Estado do Pará e para a UFPA.   Leia mais sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em BRASIL CTI.
17/01/2019

Descoberto número primo com quase 25 milhões de dígitos

Conta Gigante

Descoberto número primo com quase 25 milhões de dígitos

O ano começou com uma boa notícia para a ciência. Matemáticos — profissionais e amadores — do projeto de pesquisa mundial Great Internet Mersenne Prime Search (GIMPS) – descobriram o maior número primo conhecido. Com 24.862.048 dígitos, mais de 1,5 milhão do que o número primo recorde descoberto em 2017, ele pode ser expresso como 282,589,933-1. Pertencente à classe especial de números primos raros, conhecidos como primos de Mersenne, este é o 51º primo de Mersenne descoberto e já foi apelidado de M82589933. Os primos de Mersenne, assim nomeados em homenagem ao monge francês Marin Mersenne, que estudou primos há cerca de 350 anos, têm uma fórmula simples: 2n -1. Neste caso, foi achado após o computador calcular dois elevado a 82.589.933, menos um. Criado em 1996, o projeto GIMPS permite que se faça o download de um software especial executado em segundo plano para encontrar números primos. Desde então, descobriu os últimos 17 primos de Mersenne. Desta vez, a novidade saiu do computador de Patrick Laroche, de Ocala (Flórida, EUA). Encontrado em 7 de dezembro, o M82589933 passou duas semanas sendo verificado por matemáticos do projeto e foi oficialmente anunciado em 21 de dezembro. Mais que uma simples descoberta matemática, os primos de Mersenne são úteis na geração de números razoavelmente aleatórios, ideais para a elaboração de algoritmos de criptografia. O pai do M82589933 Patrick Laroche, 35 anos, é um profissional de TI que usava o software GIMPS como um “teste de estresse” gratuito para suas compilações de computador. Há menos de quatro meses, ele começou a caça ao número primo de verdade. Em sua quarta tentativa, Laroche descobriu o novo número primo. A descoberta lhe renderá um prêmio de aproximadamente R$ 11 mil.   Leia mais sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em BRASIL CTI.
17/01/2019

Pesquisa na UFRJ sobre Alzheimer ganha destaque na Nature Medicine

Reconhecimento Internacional

Pesquisa na UFRJ sobre Alzheimer ganha destaque na Nature Medicine

Não há mais dúvida quanto aos benefícios da atividade física para a manutenção da saúde. Médicos de todas as especialidades recomendam exercício como importante mantenedor da saúde e coadjuvante da medicação. O que não se sabia, até agora, são os efeitos positivos desse hábito saudável sobre a Doença de Alzheimer (DA), que atinge mais de 35 milhões de pessoas em todo o mundo, de acordo com Organização Mundial de Saúde, dos quais um milhão no Brasil. Pesquisadores brasileiros, coordenados pela neurocientista do Instituto de Bioquímica Medica da UFRJ Fernanda De Felice, identificaram que a irisina, um hormônio produzido pelos músculos durante a prática de exercícios, protege o cérebro e pode ajudar a prevenir e até mesmo reverter ou estacionar os sintomas da doença em camundongos que são modelos da Doença de Alzheimer. Fernanda recebe apoio da FAPERJ por meio do programa “Cientista do Nosso Estado”. “Evidências apontam que a disfunção da sinalização hormonal no sistema nervoso central pode estar subjacente ao desenvolvimento de condições neurodegenerativas como a DA. Neste sentido, testar o potencial neuroprotetor de hormônios insulina, GLP-1 e irisina abre novos caminhos para o desenvolvimento de terapias eficazes”, explica Fernanda. Com pesquisas focadas nas disfunções metabólicas, há dez anos ela se dedica ao estudo dos efeitos dos hormônios sobre a Doença de Alzheimer. Mas foi após a descrição da irisina pelo pesquisador Bruce Spiegelman, da Universidade Harvard, em 2012, que sua equipe intensificou a investigação sobre sua influência no cérebro e sua deficiência em pacientes. Testes com camundongos confirmaram essa molécula-chave mediando efeitos benéficos sobre a doença. O aumento da irisina, assim como sua proteína precursora FNDC5, reduz o déficit de memória e aprendizagem em roedores com Alzheimer. Em contrapartida, quando essa substância era bloqueada no cérebro dos ratos doentes, os animais perdiam os efeitos cognitivos benéficos trazidos pelo exercício físico. Mas como a doença geralmente acomete idosos e, em alguns casos, deficientes físicos, não há como promover a prática de exercícios entre os enfermos. A possibilidade do desenvolvimento de medicamentos à base da molécula de irisina, um dos próximos passos da pesquisa, motivou a “Nature Medicine”, uma das mais importantes revistas científicas do mundo, a publicar um artigo com o resumo do estudo. Outras questões a serem elucidadas, segundo a pesquisadora, é a identificação dos receptores da irisina e como essa molécula media as melhoras nos pacientes. Fernanda explica que coordenou sua equipe de trabalho em conjunto com o professor do Instituto de Biofísica Sergio Ferreira, e contou com a importante colaboração do Instituto D’or de pesquisa, especialmente da professora Fernanda Tovar-Moll. A equipe ainda não identificou a dose necessária de atividade física para assegurar os benefícios do hormônio, mas diversas pesquisas vêm sugerindo que não importa o tipo de exercício – orientado em academia, caminhada, corrida, pedal, natação – não há dúvida de sua importância para o metabolismo e manutenção do equilíbrio cerebral e como preventivo de doenças. Entretanto, alerta que, além da atividade física, é necessário agregar outros hábitos saudáveis de alimentação, evitando alimentos industrializados, fumo e bebida alcoólica para evitar a Doença de Alzheimer.  A cientista ressalta o fato de a DA ser uma doença silenciosa, de difícil prevenção, com apenas 2% a 5% de fator hereditário e ainda sem terapia efetiva, apesar dos avanços da pesquisa. Sua torcida é para que seu trabalho desperte o interesse de outros pesquisadores, e que num esforço conjunto e complementar, possam ser identificados biomarcadores do cérebro e o desenvolvimento de uma terapia acessível, especialmente à população mais carente. Fernanda De Felice: “Apoio da FAPERJ foi fundamental para a condução do meu trabalho”   Pesquisadora destaca apoio Graduada em Ciências Biológicas pela UFRJ, Fernanda é mestre e doutora em Química Biológica, também pela UFRJ, e fez pós-doutorado em Neurobiologia da Doença de Alzheimer na Northwestern University (EUA). Cientista do Nosso Estado, a pesquisadora vem recebendo apoio do CNPq e da FAPERJ ao longo de sua carreira, desde 2001. “O apoio da FAPERJ sempre foi fundamental para a condução do meu trabalho, sem ele não teria chegado onde cheguei. Se precisei buscar recursos fora do Brasil, foi devido à grave crise que assolou o País. Mas, ainda assim, foi essencial o esforço da diretoria de manter as bolsas na crise. O primeiro autor desse trabalho, Mychael Lourenco, teve bolsa de Doutorado Nota 10 da FAPERJ, e, em seguida, foi Pós-doc Nota 10 da FAPERJ”. Conduzido nos Institutos de Bioquímica Médica e Biofísica do Centro de Ciências da Saúde da UFRJ, e na Queen’s University, em Ontario (Canadá), o estudo “Ações neuroprotetoras do hormônio irisina em modelos da doença de Alzheimer” há dois anos recebeu financiamento da Sociedade Canadense de Alzheimer. À época, entre 200 pesquisadores de ponta, Fernanda foi uma das três bolsistas a receber US$ 150 mil para o desenvolvimento do seu projeto. Patologia neurodegenarativa crônica, a doença de Alzheimer (DA) tende a ter incidência cada vez mais crescente nas próximas décadas, não só devido ao aumento de longevidade das populações como pela adoção de hábitos de vida pouco saudáveis.  Sua denominação é homenagem ao neurologista alemão Alois Alzheimer, que em 1907 primeiro descreveu a patologia, cujos sintomas iniciais são os lapsos de memória recente recorrentes. Estudos comprovam que a idade é o principal fator de risco para a Doença de Alzheimer, embora a obesidade e o diabetes, entre outras disfunções metabólicas, possam contribuir para o seu desenvolvimento em estágios mais tardios da vida. “Cada estágio da doença vai agregando perdas cognitivas, decorrentes da morte dos neurônios e a consequente deterioração das funções cerebrais”, explica a professora da UFRJ. A doença se caracteriza por perda de neurônios em áreas cerebrais responsáveis por memória e aprendizado. Ao longo da evolução da DA, que ocorre, em média, de oito a dez anos, o paciente perde suas habilidades espaciais e visuais, passa a ficar desorientado, com oscilação de humor, tende ao isolamento, chegando à perda da fala e o comprometimento dos movimentos, até a demência e a perda total da autonomia. Para os familiares, geralmente cuidadores dos doentes, lidar com a DA é uma tarefa muito difícil. Quem sabe as pesquisas de Fernanda e sua equipe possam viabilizar uma nova terapia eficaz para atenuar ou reverter a progressão da doença?   Leia mais sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em BRASIL CTI.

Poder em Números


10/12/2018

Saiba quem são os 22 ministros do governo Bolsonaro

7 a menos que do governo Temer

Saiba quem são os 22 ministros do governo Bolsonaro

7 a mais do que havia proposto durante a campanha eleitoral

28/11/2018

Resumo anual da cota parlamentar na Câmara dos Deputados

Cota parlamentar

Resumo anual da cota parlamentar na Câmara dos Deputados

Acompanhe a cota parlamentar na Câmara dos Deputados nos últimos 10 anos

A Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar – CEAP (antiga verba indenizatória) é uma cota única mensal destinada a custear os gastos dos deputados exclusivamente vinculados ao exercício da atividade parlamentar. O valor máximo mensal da cota depende da unidade da federação que o deputado representa. Essa variação ocorre por causa das passagens aéreas e está relacionada ao valor do trecho entre Brasília e o Estado que o deputado representa. Acompanhe agora o resumo anual dos últimos 10 anos da cota parlamentar na Câmara dos Deputados.  
28/11/2018

Resumo anual da cota parlamentar no Senado Federal

Cota Parlamentar

Resumo anual da cota parlamentar no Senado Federal

Acompanhe a cota parlamentar no Senado Federal nos últimos 11 anos

A Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar dos Senadores – CEAPS, é um recurso financeiro público disponibilizado aos senadores para o custeio de seus mandatos, a CEAPS é constituída pela verba de transporte aéreo e pela verba indenizatória. A despesa realizada pela Senadora ou pelo Senador é ressarcida pelo Senado Federal, mediante comprovação e até o valor limite mensal estabelecido. Acompanhe agora o resumo anual dos últimos 11 anos da cota parlamentar no Senado Federal.
28/11/2018

Os campeões de gastos da cota parlamentar

Cota parlamentar

Os campeões de gastos da cota parlamentar

Fique atento e saiba quem são principais parlamentares que mais gastaram dinheiro público na atual legislatura

A cota parlamentar, também conhecida como verba indenizatória é um recurso financeiro público disponibilizado a todos os deputados federais e senadores para o custeio de seus mandatos. Por mês cada um tem direito a restituir até R$ 45.612,53 com sua alimentação, passagens aéreas, combustível, consultoria, entre outros. Acompanhe quem são os principais parlamentares que mais gastaram dinheiro público da verba indenizatória da atual legislatura.