Sem mordomias

Promotor marcado para morrer paga passagem, ministros usam jatinhos

“PCC” decretou a morte de Lincoln Gakiya, que avalia sair do Brasil

acessibilidade:
Promotor de Justiça Lincoln Garkiya, do Ministério Público Estadual de São Paulo - (Foto: reprodução Rádio Bandeirantes/TV BandNews.)

No País onde ministros do governo e outros figurões abusam de jatinhos da FAB, como a ministra deslumbrada Anielle Franco (Igualdade Racial), que se utilizou da mordomia para viajar de Brasília para São Paulo a fim torcer pelo Flamengo, um servidor de carreira cuja morte foi sentenciada pelo PCC não dispõe do mesmo privilégio. Em suas viagens, o promotor de Justiça Lincoln Gakiya, do Ministério Público de São Paulo, utiliza voos comerciais, mesmo cercado de forte esquema de segurança. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Condenado à morte pelo “tribunal” do “PCC”, há mais de dez anos, Gakiya e familiares vivem sob a tensão de iminente ataque criminoso.

Com traficantes sendo soltos e foragidos recuperando “bens” apreendidos, Gakiya jogou a toalha: deixará o País tão logo se aposente.

Neste ano, autoridades fizeram 1624 viagens em jatos da FAB. Só Flávio Dino (Justiça) fez 75, incluindo sua ida a Salvador, nesta quarta (4).

Reportar Erro