Indicado por Lula

Ministro Benedito Gonçalves proíbe lives de Bolsonaro

Ministro do TSE atendeu pedido feito pela campanha de Ciro Gomes para proibir tradicionais lives feitas da residência do presidente

acessibilidade:
O relator do caso, ministro Benedito Gonçalves, destacou que as alegações nas ações não conseguiram comprovar tais abusos. (Foto: Sandra Fado/STJ).

O ministro Benedito Gonçalves, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), proibiu o presidente da República, Jair Bolsonaro, de realizar suas tradicionais lives.

Segundo Gonçalves, “o acesso a bens e serviços públicos, assegurado a Jair Messias Bolsonaro por força do cargo de Chefe de Governo, foi utilizado em proveito de sua campanha e de candidatos por ele apoiados”.

O ministro atendeu pedido feito pela campanha de Ciro Gomes, e também censurou o vídeo publicado na quarta (21), em que Bolsonaro afirma que faria pronunciamentos diários sobre os candidatos a deputados e senadores, determinando ao Youtube que exclua o conteúdo da plataforma.

De acordo com a legislação, candidatos a reeleição como prefeito, governador e presidente podem usar as residências oficiais para atos não públicos. No caso de Bolsonaro, a transmissão via celular, na área íntima do Palácio da Alvorada, foi considerada um ato público.

Indicado por Lula para vaga no Superior Tribunal de Justiça (STJ), Benedito Gonçalves ficou conhecido como o “ministro dos tapinhas” depois que foi cumprimentado por Lula, adversário de Bolsonaro na disputa presidencial, com tapinhas no rosto.

Nos bastidores da posse de Moraes no TSE, Lula reagiu com tapinhas carinhosos à abordagem de Benedito Gonçalves, ministro que nomeou no STJ.