Refinarias superfaturadas

Foster diz que fugiu de perguntas incômodas porque ‘tinha pressa’

acessibilidade:

A presidente da Petrobras, Graça Foster, se recusou nesta segunda-feira a comentar as declarações do ex-diretor de abastecimento da estatal, Paulo Roberto Costa, sobre falhas no planejamento da construção da Refinaria Abreu e Lima (Rnest), em Pernambuco. “Não é que não queira (falar), eu não posso falar”, disse a presidente Graça Foster, ao deixar um seminário sobre energia na manhã de hoje. A declaração suscitou várias interpretações, inclusive a de que Foster estaria preocupada em preservar o governo. Após a ampla repercussão, a assessoria de imprensa da estatal encontrou uma versão no mínimo engaçada para o silêncio da executiva: ela estaria atrasada para outro compromisso e por isso não poderia responder às perguntas naquele momento.

Acusado de participar de um esquema de desvio de recursos da petroleira, Paulo Roberto afirmou, em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, no domingo, que a estatal fez “conta de padaria” para definir o orçamento da obra. A refinaria foi orçada em US$ 2,5 bilhões, ainda em 2005, quando foi aprovada pela diretoria executiva da estatal. Nove anos depois e com as obras atrasadas, o orçamento explodiu para mais de US$ 18,5 bilhões.

Segundo o ex-diretor da empresa, a Petrobras errou ao divulgar o valor inicial “sem saber quanto a refinaria iria custar, sem ter projeto”. Costa também negou que tivesse envolvimento com o negócio, que seria de responsabilidade da área de serviços da estatal. O ex-diretor disse apenas que “era dono do orçamento, mas não comandava a obra”.

Paulo Roberto Costa deixou o cargo de diretor de abastecimento da Petrobras em abril de 2012, pouco mais de dois meses após a posse de Graça Foster como presidente da estatal. Naquele mesmo ano, a presidente criticou duramente a escalada de preços da refinaria. Graça classificou o caso como “uma lição a aprender” e foi taxativa ao dizer que os projetos de novas refinarias seriam revistos para “não repetir o que ocorreu na refinaria no Nordeste brasileiro”.

Reportar Erro