Festa clandestina

Fernández é indiciado por festa com aglomeração e sem máscara

Ele, a primeira-dama e mais cinco pessoas que estavam na festa foram notificados pelo Ministério Público

acessibilidade:
A Justiça argentina determinou na noite desta terça-feira (09) o bloqueio de bens e a quebra do sigilo bancário do ex-presidente Alberto Fernández. (Foto: Gonzalo Fuentes/Reuters

Alberto Fernández, presidente da Argentina, foi indiciado por participar de festa clandestina, desrespeitando as regras de isolamento social impostas pelo seu governo.

Nas últimas semanas, o governo publicou fotos e vídeos do aniversário da primeira-dama do país, Fabiola Yañez, ocorrido em 14 de julho de 2020. A estratégia da divulgação era esgotar o assunto rapidamente, pois as eleições para o Legislativo aproximavam-se.

Fernández participou de uma audiência, nesta quinta (26), e ofertou metade de salário ao Instituto Malbrán durante quatro meses, além do pagamento de multa.

O promotor Ramiro González, responsável pelo caso, determinou a notificação de Fernández, sua esposa, a primeira-dama, e mais cinco pessoas que participaram do festejo.