Alerta

Mercado desconfia que proposta da J&F por Braskem é blefe

Endividamento crescente da holding dos irmãos Batista – e prejuízo de sua principal receita, a JBS – indica que não há fôlego para novas aquisições

acessibilidade:
Irmãos Wesley e Joesley Batista. Fotos: Agência Senado
Irmãos Wesley e Joesley Batista (foto) Fotos: Agência Senado

Holding de Joesley e Wesley Batista, dona da JBS, a J&F ofereceu recentemente R$10 bilhões para ficar com a dívida da Braskem junto a bancos, mas foi criticada pela pouca transparência sobre quais serão os passos para assumir a participação acionária da petroquímica. Analistas desconfiam da oferta, já que a holding não informou como se dará a compra da participação acionária, de acordo com destaque da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

“A J&F não tem caixa suficiente hoje para arcar com suas atuais dívidas bilionárias e também não esclarece sobre a procedência dos recursos para realizar a aquisição”, diz um executivo de um banco credor da Novonor, acionista da Braskem.

Em apenas um ano, a dívida da J&F dobrou, saltando de R$3,2 bilhões em 2021 para R$6,5 bilhões em 2022 – valores bem superiores aos R$ 1,6 bilhão que a empresa possui em caixa. De acordo com suas demonstrações financeiras, o custo da dívida também cresceu, com a taxa média de juros chegando a 18,3%. Segundo um analista de mercado consultado pela reportagem, a situação tende a ficar ainda mais complicada uma vez que a principal fonte de receita da J&F, a JBS, deixou de dar lucro este ano. “Isso deve pressionar ainda mais o grupo da família Batista, que deixará de receber gordos dividendos”, avalia.

A J&F recebeu da JBS  R$ 500 milhões em dividendos em 2020, R$ 2,8 bilhões em 2021 e R$ 1,8 bilhões em 2022. Porém, com os prejuízos líquidos da JBS em 2023 – R$ 1,5 bilhão e R$ 263,6 milhões, respectivamente no 1º e no 2º trimestre – e uma dívida líquida 4,15 vezes o Ebitda, dificilmente a holding seguirá recebendo o mesmo volume de recursos de sua investida para fazer frente às despesas financeiras.

A queda no preço da carne, somada à inflação global e aos riscos associados à gripe aviária indicam um cenário desfavorável para os próximos meses e alimentam uma dose extra de preocupação para a multinacional. A dívida da produtora de carnes atingiu o patamar recorde de nada menos que R$ 80,3 bilhões, quase R$ 1 bilhão a mais que no ano anterior.

Sem os bilionários dividendos da JBS, J&F precisará encontrar outra maneira de superar o rombo financeiro para arcar, entre outros compromissos, com a multa de seu acordo de leniência firmado em 2017, de R$ 10,3 bilhões. Embora o procurador do Ministério Público Federal (MPF), Ronaldo Albo, tenha surpreendentemente acatado no último mês de agosto um pedido da holding de reduzir a multa a ser paga para R$ 3,5 bilhões (um desconto de 65,7%), o procurador da República responsável pelo processo, Carlos Henrique Martins Lima, os fundos de pensão que receberiam parte dos recursos e os sindicatos dos trabalhadores pretendem recorrer para reverter a decisão e manter o valor da multa original.

Sem desembolso de dinheiro

Para piorar, a J&F não consegue extrair receitas de seu segundo melhor ativo, a Eldorado Brasil. Em razão da disputa com a Paper Excellence pelo controle acionário, a empresa de celulose situada em Três Lagoas (MS) não vem distribuindo dividendos aos seus acionistas. Além disso, as principais operações financeiras da holding atravessam um momento desfavorável. Nos últimos dois anos, a J&F amargou perdas de R$ 4,3 bilhões com as operações do banco Original e do PicPay, conforme mostram os resultados financeiros das instituições. No último mês de julho, a J&F anunciou um aporte de R$ 500 milhões para tentar reorganizar seu banco digital.

A complicada situação financeira da J&F explica o formato da proposta que a holding da família Batista fez pela Braskem. Ao contrário dos outros interessados (Unipar e o consórcio formado pelo fundo Apollo e a petroleira Abu Dhabi), que fizeram uma oferta clara de compra das ações da Braskem, a J&F propôs assumir a dívida dos bancos credores da Novonor, que tem as ações em garantia. Ou seja, não há desembolso de dinheiro.

Além disso, segundo registrado inicialmente pelo Pipeline, do Valor Econômico, e confirmado pelo Diário do Poder, os R$ 10 bilhões oferecidos pela J&F não cobre o total da dívida da Novonor com as instituições financeiras que tem ações da Braskem em garantia – cerca de R$ 15 bilhões no total. O formato da proposta da J&F envolve ainda um desconto maior no pagamento da dívida (haircut) com o BNDES do que com os outros bancos credores da Novonor.

Em busca de capital mais barato

Na tentativa de se capitalizar, a J&F vem tentando listar ações da JBS na bolsa de Nova York, mas o processo não deve ser simples. Segundo analistas, há um tom de ceticismo no mercado se a empresa realmente conseguirá fazer esse movimento, uma vez que a emissão de ações na bolsa americana estaria condicionada a rígidas regras de compliance, o que exigiria padrões de governança mais rigorosos.

Ativistas internacionais já estão pressionando o órgão regulador de valores mobiliários dos Estados Unidos (SEC) para impedir a listagem de ações da produtora de carnes na bolsa americana devido ao seu envolvimento com desmatamento. Grupos ambientalistas como a Rainforest Action Network, Mighty Earth e World Animal Protection enviaram este mês cartas à SEC pedindo ao regulador que se oponha à listagem nos EUA e investigue as informações contidas no prospecto da JBS. A World Animal Protection disse à SEC que a JBS, que compra grãos para alimentação de rebanhos comerciais, não identificou adequadamente a agricultura como um fator de risco relevante para o desmatamento em seu prospecto.

Nos últimos anos, JBS vem sendo acusada de ameaçar o meio ambiente e explorar trabalhadores. No ano passado, uma auditoria de procuradores descobriu que quase 17% do gado comprado pela JBS no Estado do Pará, na Amazônia, de julho de 2019 a junho de 2020, supostamente vinha de fazendas com “irregularidades”, como desmatamento ilegal.

Veja abaixo as demonstrações financeiras da J&F e da JBS:

https://jfinvest.com.br/wp-content/uploads/2023/04/DF-JF-2022-Portugues-final-com-parecer_compressed-1.pdf.
https://api.mziq.com/mzfilemanager/v2/d/043a77e1-0127-4502-bc5b-21427b991b22/5e3a5568-1b07-b645-524e-c17f47da9bcc?origin=2

Reportar Erro