Mais Lidas

Melhorando

Em ritmo acelerado, produção de motocicletas cresce 45% no semestre

Nos seis primeiros meses de 2021, as fabricantes de motos instaladas no Polo Industrial de Manaus produziram mais de meio milhão de unidades

acessibilidade:
Operários atuando na produção de motocicleta em fábrica brasileira.
Em ritmo acelerado, produção de motocicletas cresce 45% no semestre

Nos seis primeiros meses de 2021, as fabricantes de motocicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM) obtiveram o melhor resultado na produção desde 2015. Neste ano, 568.863 unidades saíram das fábricas na capital amazonense. 

De acordo com a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo), este volume é 45% superior às 392.217 motos produzidas no primeiro semestre do ano passado.

Em junho, 105.450 motocicletas saíram das linhas instaladas no PIM, o que representa alta de 1,6% na comparação com maio (103.792 unidades) e de 35% em relação ao mesmo mês de 2020 (78.130 unidades). Na avaliação do presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian, o setor mantém seu ritmo de recuperação de forma consistente. 

“Ainda estamos trabalhando para atender a demanda reprimida resultado da pandemia. Todas as unidades fabris trabalham para recuperar parte do atraso registrado no primeiro bimestre devido à crise sanitária enfrentada pela cidade de Manaus”, explica.

Ao analisar o cenário atual, o presidente da associação afirma que o volume produtivo segue o ritmo esperado pela entidade, mas não descarta a possibilidade de revisar para cima a projeção anual nos próximos meses. A perspectiva atual da Abraciclo é de fabricar 1.060.000 motocicletas neste ano.

“Se necessário, isso será feito no segundo semestre. Existem condições favoráveis, mas também uma série de fatores, como o aumento dos juros, do índice de desemprego e da diminuição da renda dos brasileiros, que ainda pode impactar o mercado. Além disso, precisamos avaliar se o que temos hoje é uma demanda cíclica, em função da redução da produção, ou se é algo sustentável”, afirma Marcos.

No primeiro semestre, foram exportadas 26.260 motocicletas, volume 148,7% superior ao registrado no mesmo período do ano passado (10.558 unidades). A Argentina continua como principal destino da produção brasileira com 30,8% do total exportado (8.345). 

Os Estados Unidos ficaram em segundo lugar (5.838 unidades e 21,6% das exportações), seguido pela Colômbia (5.457 unidades e 20,1%). As exportações em junho somaram 4.409 motocicletas, praticamente o mesmo volume registrado no mês anterior, que foi de 4.410 unidades. Na comparação com o mesmo mês de 2020 (3.071 unidades), a alta foi de 43,6%.