Insistência suspeita

Teixeira contradiz Fávaro e diz que leilão de arroz está ‘no radar’

Há uma semana, Fávaro anunciou que governo desistiu da importação do produto

acessibilidade:
Os ministros Carlos Fávaro (E) e Paulo Teixeira (D) (Foto: Secom)

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Paulo Teixeira, voltou a colocar a importação de arroz em pauta ao falar que a compra do cereal ainda está no radar do governo federal.

A posição de Teixeira contradiz o ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, que há uma semana anunciou que o governo tinha desistido da compra. Ao descartar novo leilão, Fávaro reconheceu os problemas na realização do edital.

Ao considerar a importação, Teixeira diz que o governo está monitorando o preço do produto e citou levantamento do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea-Esalq), da Universidade de São Paulo (USP), para afirmar que os preços estão em alta antes mesmo das chuvas que inundaram o Rio Grande do Sul.

“Os produtores garantiram preços baixos, mas estamos com uma pesquisa em todas as capitais, que indicam preços altos. Essa realidade está se estendendo muito. O governo não retirou de seu radar a decisão de fazer o leilão”, disse o ministro em entrevista ao jornal O Globo.

O ministro ainda diz que está em contato com os produtores, que descartam necessidade de importação do arroz.

Nosso sentimento é que não houve recuo de preços, embora os produtores tenham afirmado que não sofreram perdas com as enchentes”, afirmou.