A toque de caixa

Senado reajusta em mais de 19,25% salários que chegam a R$50 mil

Texto costurado por Pacheco foi enviado para a Câmara dos Deputados

acessibilidade:
Leis anticrime adormecem na gaveta do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)

Seguiu para a apreciação da Câmara dos Deputados uma proposta de um generoso reajuste salarial de quase 20% para funcionários do Senado Federal.

A porcentagem é bem acima da inflação, de 5,9% nos últimos 12 meses, segundo o IBGE. O aumento é costurado pelo presidente da Casa, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG).

O Legislativo é um dos setores com maior salário no Brasil. A média salarial ultrapassa os R$ 6 mil.

Para efeitos comparativos, no Executivo o indicador é de pouco mais de R$ 4 mil. E bem acima do salário mínimo que, em 2023 e já considerado o aumento real de 3%, vai chegar a R$ 1.302.

Apesar da média salarial estar na casa dos R$ 6 mil, há no senado salários que batem na marca dos R$ 50 mil. É o caso, por exemplo, de Maria Olímpia Jimenes de Almeida, analista legislativa lotada no gabinete de Pacheco, que recebe R$ 49.964,73. A chefe de gabinete do senador também tem um generoso salário, chega a R$ 41.967,37.