São Paulo

Alesp aprova proposta de Doria para reajuste salarial a servidores

Aumento para 540 mil funcionários públicos deve custar R$5,7 bilhões por ano

acessibilidade:
Assembleia Legislativa de São Paulo. Foto: Marianna Bonaccini

A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) aprovou na noite desta terça-feira, 22, a proposta do governador João Doria (PSDB) que reajusta em 20% os salários dos servidores públicos estaduais da Saúde e da Segurança Pública e em 10% dos demais funcionários estaduais. Todos os pagamentos serão retroativos à data-base de 1º de março. A proposta segue para a sanção do governador.

A proposta abrange ao todo 26 diferentes classes e carreiras do Estado e deve contemplar cerca de 540 mil servidores. O custo mensal para a aplicação do reajuste, estimado pela Secretaria de Orçamento e Gestão, é de R$ 424,6 milhões, correspondente a R$ 5,7 bilhões ao ano.

O governo afirma que a despesa está em consonância com a Lei de Responsabilidade Fiscal e será arcada graças ao superávit financeiro alcançado em 2021.

Em ano eleitoral, o reajuste foi aprovado por aclamação entre os deputados da Alesp, sem a necessidade de verificação das quantidades de votos a favor ou contrários à matéria.

Durante a votação, o PLC 3/22, que institui o Planos de Carreira e Remuneração dos Professores, o PL 97/22, que revaloriza os pisos salariais mensais dos trabalhadores, e o PLC 10/22, que dispõe sobre a concessão de abono complementar aos servidores, receberam emendas de plenário e retornarão para análise das comissões.

“A partir de hoje, todos os servidores públicos de SP terão AUMENTO SALARIAL”, escreveu o governador no Twitter, após a aprovação.

Reportar Erro