Eleições 2022

Prefeito de Bocaína, interior de SP, é preso por boca de urna

Ao todo, foram registrados 275 crimes eleitorais na manhã deste domingo, sendo 27 no Rio de Janeiro, segundo boletim

acessibilidade:
Prefeito de Bocaina, Marco Antônio Giro, o Pipoca. Foto: Reprodução/Facebook

O ministério da Justiça divulgou os primeiros balanços sobre crimes e ocorrências durante o primeiro turno das eleições de 2022, neste domingo, 2. Ao todo, foram registrados 275 crimes eleitorais, sendo 27 no Rio de Janeiro, Estado com maior número de ocorrências. O Maranhão registrou dois casos de boca de urna, o que corresponde a 25% dos 8 casos registrados no Brasil até o momento. O Amapá soma 19 dos 97 casos de compra de voto/corrupção eleitoral. Ao todo, 121 pessoas foram presas até o momento.

Uma das prisões foi do prefeito da cidade de Bocaína (SP), Marco Antônio Giro (DEM), conhecido como Pipoca, por fazer boca de urna. Segundo boletim do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP), divulgado por volta das 10h de hoje, ele será liberado após o registro do boletim de ocorrência.

A boca de urna, que é quando uma pessoa faz propaganda de um candidato no dia da eleição, é um crime eleitoral. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), quem é pego fazendo boca de urna está sujeito à pena de detenção, que pode variar de seis meses a um ano, com alternativa de prestação de serviços à comunidade e multa no valor de até R$ 15,9 mil.

Até este momento, informou o TRE-SP, 45 urnas precisaram ser substituídas em todo o estado de São Paulo, sendo 25 delas na capital paulista. Esse valor de urnas substituídas em todo o estado corresponde a cerca de 0,03% do total de 115.510 urnas que estão em operação hoje no território paulista. Segundo o tribunal, todas estas 45 urnas foram substituídas por outras urnas eletrônicas.

O estado de São Paulo tem 34.667.793 eleitores e eleitoras aptos a votar nas eleições de 2022, de acordo com os dados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Com acréscimo de 1,1 milhão de eleitores em relação às eleições municipais de 2020, os paulistas representam 22,16% do eleitorado do país, que totaliza 156.454.011 milhões.

A capital paulista concentra 26,8% do eleitorado paulista e possui o maior contingente entre os 5.570 municípios brasileiros, com 9.314.259 milhões de eleitores.

(Com informações da Agência Brasil)