Mais Lidas

Sem defesa

Nenhum advogado quer defender anestesista estuprador

Justiça deu 10 dias para que a Defensoria Pública do RJ, acostumada a disputar holofotes lacradores, cumpra seu papel institucional

acessibilidade:
Médico Giovanni Quintella foi preso em flagrante após estuprar mulher anestesiada durante parto. Foto: Divulgação Deam-RJ

O anestesista Giovanni Quintella Bezerra, flagrado estuprando uma grávida durante o parto, ainda não conseguiu um advogado para fazer a sua defesa. As informações são do jornalista Irineu Tamanini.

Acostumada a buscar holofotes lacradores, a Defensoria Pública do RJ foi procurada e não respondeu.

Segundo advogado de uma das mulheres que move ação contra ele, a Justiça deu prazo de dez dias para que a Defensoria Pública do RJ cumpra seu papel institucional e indique um defensor para fazer a defesa do anestesista.

Causa estranheza que Adélio Bispo, que tentou matar o presidente Jair Bolsonaro, montou uma banca inteira com advogados experientes e de altos honorários cerca de três horas depois de ser preso.

Reportar Erro