Abrindo o holerite

Moro revela que seu salário nos EUA era de 45 mil dólares (R$242,5 mil) mensais

Ex-ministro diz que valor é compatível com a sua qualificação

acessibilidade:
Sergio Moro - Foto Marcello Casal Jr/Agência Brasil.

Como havia prometido, o ex-ministro da Justiça Sergio Moro, pré-candidato do Podemos à Presidência da República, revelou agora há pouco, em live na companhia do deputado Kim Kataguiri (DEM-SP), o salário que recebia da empresa norte-americana que o contratou após se demitir do Ministério da Justiça.

Segundo Moro, que também foi juiz federal, seu salário mensal era de US$45 mil mensais (R$242,5 mil), equivalentes a mais de R$200 mil. Ele explicou que o valor é compatível com sua qualificação, no mercado norte-americano.

Moro, no entanto, disse que recebia da empresa que o contratou, a Alvarez & Marsal, o equivalente a US$24 mil líquidos (R$129,3 mil), em razão dos impostos que, nos Estados Unidos, “também são muito altos”.

Um pouco antes de revelar esses números, Moro afirmou que não há nada de errado em seu contrato e que não trabalhou para nenhuma empresa investigada na Operação Lava Jato.

Ele também criticou a “investigação” aberta pelo Tribunal de Contas da União (TCU) para investigar suas relações com a empresa que o contratou. Segundo o ex-ministro, o TCU existe para investigar órgãos públicos e não entes privados.

Nesta sexta, o Ministério Público Federal (MPF) decidiu arquivar investigação com o mesmo objetivo.

Reportar Erro