Entrevista

Procurador pede Lula ajudando RS e não financiando ditaduras

Rodinei Candeia questiona efetividade dos R$600 milhões anunciados pelo governo

acessibilidade:
O procurador de Justiça, Rodinei Candeia, em entrevista ao Diário do Poder.

O Procurador de Justiça pelo Rio Grande do Sul, Rodinei Candeia, concedeu entrevista ao Diário do Poder direto da cidade de Passo Fundo, onde se engaja no recebimento e encaminhamento de donativos às vítimas das enchentes que decorrem das chuvas torrenciais desde o último dia 27.

O procurador critica o anúncio de R$600 milhões em emendas pelo Governo Federal e diz não acreditar que o dinheiro seja revertido efetivamente em benefícios à população do estado. Ele recorda que no último ano, a União anunciou R$741 milhões em emendas para amparar a população mediante os primeiros eventos climáticos, mas afirma que desse total, apenas R$ 325 milhões foram pagos.


O gargalo na efetividade do benefício, na avaliação do procurador, é que parte considerável dos recursos fica retida na estrutura dos próprios ministérios, bancando formalidades e burocracias. “Está alimentado órgãos ineficientes, com uma burocracia gigante e que não conseguem atender a população. Não adianta o governo liberar 600 milhões para jogar na estrutura dos seus próprios ministérios. Parece que a administração pública está desconectada da realidade”, frisou.

Candeia foi enfático nas críticas ao governo federal e apelou que o governo Lula ‘ao invés de ajudar ditaduras no mundo’, mande o dinheiro da União a quem contribui. Ele considera essencial reforçar o uso da estrutura disponível pelas Forças Armadas. “As manifestações do presidente da República têm sido desastrosas. Parece que o apoio da Marinha ao show da Madonna foi maior do que o apoio que estão dando para o desastre aqui no Rio Grande do Sul”, cravou.

Reportar Erro