Liberdade de Imprensa

Deputado quer convocação de Pimenta por intimidar jornalista

"Ficou nervosinho porque a jornalista disse que ele estava em uma churrascaria, em Porto Alegre", explicou Gilvan da Federal.

acessibilidade:
Ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social (Secom), Paulo Pimenta. (Foto: Reprodução/Instagram @Pimenta13br).

O deputado Gilvan da Federal (PL-ES) usou a palavra na Comissão de Segurança Pública da Câmara para cobrar do ministro chefe da Secretaria de Comunicação do Governo, Paulo Pimenta, esclarecimentos sobre a postura adotada com a jornalista Sarah Peres, contratada pela Revista Oeste, ao discordar de publicação que acusou o acontecimento de confraternização liderada por ele em uma churrascaria no Rio Grande do Sul, durante a tragédia que assola o estado.

“Esse canalha, frouxo, quero encontrar ele no aeroporto, que diz que é machão de perseguir quem está falando a verdade. Estou falando do ministro Paulo Pimenta. Eu gostaria muito de convocá-lo aqui na Comissão de Segurança para ele esclarecer porque ele coagiu uma jornalista[…] Ele ficou nervosinho porque a jornalista disse que ele estava em uma churrascaria, em Porto Alegre. […] Gabinete de crise é na enchente, é na prefeitura, não em uma churrascaria”, argumentou o deputado. 

‘Desonesta’, ‘postagem mentirosa’ e ‘vergonha’ foram algumas das palavras usadas pelo ministro e por um assessor, em mensagem endereçada ao número pessoal da jornalista, para se referir ao trabalho publicado pelo veículo. O ministro tentou rebater a informação de que esteve  em um encontro com brindes e comemorações em meio as enxurradas que tomam o estado gaúcho.

Não é a primeira vez que o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação mostra desrespeito com a imprensa. No início do mandato atual, Pimenta tentou desconversar diante de questionamento da então âncora da CNN Raquel Landim, questionando sua habilitação para exercer o jornalismo: “a senhora é jornalista?” questionou ao vivo. A comunicadora interpelou o ministro de Lula para lembra-lo que, durante a entrevista, quem faz as perguntas são os responsáveis pela condução. “É na condição daquele que traz as informações que o senhor está aqui”. 

Na época, o colega de bancada, Felipe Moura Brasil se posicionou sobre o corrido.