“questões bilaterais e globais”

Blinken evitou debater o conflito de Israel em reunião com Lula

O secretário de Estado dos EUA chegou ao Palácio do Planalto pouco depois das 9h e foi recebido por Lula para uma reunião a portas fechadas

acessibilidade:
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu nesta quarta-feira (21), o secretário de Estado dos Estados Unidos Antony Blinken, em Brasília. (Foto:Ricardo Stuckert / PR).

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu nesta quarta-feira (21), o secretário de Estado dos Estados Unidos Antony Blinken, em Brasília. O representante norte-americano chegou ao Palácio do Planalto pouco depois das 9h e foi recebido por Lula para uma reunião a portas fechadas com assessores dos dois governos. 

Na pauta, segundo Brasil e EUA, estão “questões bilaterais e globais”, para a imprensa Blinken respondeu que estava “ansioso” pelo encontro, mas evitou comentar sobre o conflito entre Israel e Hamas na Faixa de Gaza. 

Já na reunião, Lula perguntou a Blinken sobre a data das eleições presidenciais norte-americanas. O secretário informou que a eleição é em novembro e disse que em razão da polarização no país, grande parte dos votos estão decididos. 

“Apenas seis ou sete estados ainda estão em disputa. Então, quase toda a campanha provavelmente será focada em seis ou sete estados como Pensilvânia, Michigan, Wisconsin e Nevada”, relatou Blinken.

Na saída, Blinken disse que a reunião foi produtiva e que a parceria Brasil e EUA é importante, mas detalhou sobre a pauta do encontro e reafirmou que não quis mais falar sobre a Faixa de Gaza. 

“Foi uma ótima reunião. Sou muito grato ao presidente pelo seu tempo. Ótima reunião. Os Estados Unidos e o Brasil estão fazendo coisas muito importantes juntos. Estamos trabalhando juntos bilateralmente, regionalmente, mundialmente. É uma parceria muito importante e somos gratos”, declarou Blinken ao deixar o Planalto.

Essa foi a primeira visita do secretário de Estado do governo Joe Biden ao Brasil. O governo americano informou ainda que o secretário deve enfatizar o apoio dos EUA à presidência do Brasil no G20 e a parceria entre os dois países nas áreas de direitos trabalhistas e transição energética. 

Um dos temas que o Lula deve tratar com Blinken é o conflito entre Israel e os grupos terroristas Hamas e Hezbollah. O secretário de Estado tem participado das negociações entre países na tentativa de encerrar a guerra, sendo que os EUA  são o principal apoiador militar de Israel na guerra. 

Antes da reunião particular, a Embaixada americana informou que Blinken usaria o encontro para reafirmar ao presidente brasileiro o “interesse mútuo em garantir a paz internacional”, sem citar o conflito no Oriente Médio.

Reportar Erro