corrupção

PF investiga servidores do DNIT por suposto esquema de propina em Anápolis

Empresa operadora do Porto Seco de Anápolis havia sido beneficiada por funcionários do DNIT

acessibilidade:
Foto: Arquivo PF

A Polícia Federal (PF) deflagrou, na manhã desta terça-feira (24), ação para investigar um suposto esquema de propina envolvendo servidores do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), no Distrito Federal, Goiás, Tocantins e São Paulo.

Segundo as investigações, os funcionários públicos beneficiaram uma empresa operadora portos secos, exploradora do setor na cidade goiana de Anápolis. A licitante venceu o processo promovido pela Receita Federal, mas apresentou problemas posteriores na habilitação do terreno.

Uma das irregularidades encontradas foi a avaliação de um terreno com valor abaixo do praticado no mercado, de R$ 44 milhões, sendo custeado por R$ 11 milhões.

Os suspeitos são investigados pelos crimes de corrupção ativa e passiva, associação criminosa, peculato e tráfico de influência.