Mais Lidas

Calçada será restaurada

Governo do DF manda interromper destruição da calçada que é obra de arte de Galeno

Ordem é restaurar calçada de pedras portuguesas desenhada pelo artista

acessibilidade:
O choque provocado pela destruição da calçada, por ordem da Administração Regional, chegou ao Palácio do Buriti.

Em nome do governador Ibaneis Rocha, o secretário da Casa Civil do governo do Distrito Federal, Gustavo Rocha, determinou a interrupção da remoção da calçada de pedras portuguesas desenhadas pelo artista plástico Francisco Galeno, um dos mais importantes da arte contemporânea brasileira, que contorna o Lago Veredinha, no centro de Brazlândia.

Um dos cartões-postais da cidade de Brazlândia, a calçada estava sendo destruído por ordem da Administração Regional da cidade, que mandou remover as pedras portuguesas com desenhos do artista.

Galeno instalou seu atelier na bucólica cidade e a presenteou com essa criação que encantava os visitantes, incluindo o governador e chefe da Casa Civil. Ibaneis, inclusive, prometeu revitalizar o calçadão, mas o administrador regional achou por bem destruir a obra de arte. Com a interrupção do que vinha sendo desfeito para iniciar finalmente a revitalização

Há tempos os moradores da cidade pediam pela manutenção do local, mas ao invés de recolocar as pedras na calçada, elas estão sendo removidas.

O Lago Veredinha é um dos mais apreciados pela população nos finais de semana, muito utilizado por praticantes de esportes aquáticos, assim como para andar de bicicleta e patins na orla, ou se reunir com amigos e familiares bares, restaurantes e quiosques.

O Diário do Poder pediu explicações à Administração e ao deputado distrital Iolando Almeida (PSC), que estariam por trás da iniciativa atribuída à ignorância sobre o trabalho artístico, mas eles não responderam.

O caso chegou ao conhecimento do secretário Gustavo Rocha, que imediatamente entrou em contato com o administrador e solicitou a interrupção da “obra”.

Um filho de Francisco Galeno fez um vídeo, que viralizou, documentando a destruição da calçada de pedras portuguesas. Veja: