Mais Lidas

Lição da democracia

Derrotado nas urnas, Renan desiste de tentar anular eleição do vice de Alagoas

Senador que expulsou ex-aliado sinaliza reconciliação após eleitor de Arapiraca lhe dar lição

acessibilidade:
Vice-governador Luciano Barbosa com o senador Renan Calheiros e o governador Renan Filho, na campanha vitoriosa do MDB em 2018. Foto Divulgação

A nota de Calheiros cita “conciliação”, mas parece capitulação.

Depois de ser frustrado pela derrota nas urnas imposta por mais de 59 mil eleitores do segundo maior colégio eleitoral de Alagoas, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) desistiu ontem (9) de todos os esforços políticos e jurídicos para extirpar o vice-governador de Alagoas, Luciano Barbosa, que chegou a ser expulso do MDB para ser extirpado do processo eleitoral democrático de Arapiraca (AL).

Com o recuo, o Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE/AL) validou na tarde de hoje (10) todos os atos partidários que oficializavam a candidatura de Luciano Barbosa e eram questionados pelo MDB. E o prefeito eleito deixa o status de sub judice para poder ser diplomado sem ressalvas, no próximo dia 17.

Passado o vexame em que foi acusado de praticar coronelismo e atacar a democracia, o senador Renan publicou na noite de ontem (9) uma nota em que, em nome do Diretório Estadual do MDB em Alagoas, fala em conciliação, tolerância política e convivência democrática, ao anunciar o fim da batalha que patrocinou na Justiça Eleitoral contra o resultado das urnas.

Segundo a nota assinada por Renan, que preside o MDB em Alagoas, a decisão é resultado do pedido do próprio Luciano Barbosa, que apelou em carta para que a instância estadual e nacional do MDB reconheçam a legitimidade da convenção municipal da legenda realizada em Arapiraca, que o senador e o presidente nacional do MDB, Baleia Rossi, tornaram sem efeito.

Luciano Barbosa também pediu a recomposição integral do Diretório do MDB de Arapiraca, que foi destituído. Mas não deixou claro se também quer voltar a integrar o partido do qual foi expulso.

Três dias antes das eleições municipais de 15 de outubro em Arapiraca, uma votação apertada por 4 a 3 no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) garantiu a participação de Luciano Barbosa no pleito, após o MDB de Renan obter no TRE de Alagoas a suspensão arbitrária dos efeitos do artigo 16-A da Lei das Eleições e proibir atos de campanha e a retirada das urnas do nome do vice-governador de Alagoas.

O Diário do Poder quis saber de Luciano Barbosa como se dará sua reconciliação política com o MDB, com o senador Renan Calheiros e com governador Renan Filho. Bem como questionou se essa desistência das ações judiciais contemplam seu retorno aos quadros do MDB. O prefeito eleito de Arapiraca enviou a seguinte resposta:

“Foram várias iniciativas de amigos comuns para construir uma saída política sem interesse em haver vencedor ou vencido. O que importa é que a vontade soberana do povo de Arapiraca prevaleceu sem nenhum favor”, disse Luciano Barbosa, ao Diário do Poder.