Esperança frustrada

Fronteira volta a fechar e brasileiros retornam a abrigos em Gaza

Mesmo autorizados a deixar área de guerra, grupo de brasileiros encontrou passagem de Rafah fechada

acessibilidade:
Passagem de Rafah voltou a ser fechada e frustrou saída de brasileiros e familiares de zona de guerra na Faixa de Gaza (Foto: Reprodução/Hassa Rabee)

O grupo de 34 brasileiros e familiares palestinos autorizados a seguir de ônibus para atravessar a fronteira da Faixa de Gaza com o Egito teve frustrada a esperança de finalmente deixar a área de guerra entre o grupo terrorista Hamas e as forças de Israel, que completa 34 dias nesta sexta-feira (10). Todos tiveram que voltar aos abrigos, pela manhã, por causa do novo fechamento da passagem de Rafah.

Segundo o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Mauro Vieira, não há previsão para o momento em que os brasileiros poderão deixar o território palestino. A informação foi dada em coletiva de imprensa, quando o chanceler brasileiro reafirmou que o ministro das Relações Exteriores de Israel, Eli Cohen, havia garantido que os brasileiros sairiam hoje de Gaza.

“Ontem ele me informou que eles (os brasileiros) estavam autorizados e que os nomes já estavam em poder das autoridades na fronteira e que sairiam hoje de manhã. Mas, novamente, não saíram apesar de terem sido mobilizados até a região do posto de controle. Não puderam passar porque o posto de controle não foi aberto”, declarou.

Os brasileiros e seus parentes voltaram para abrigos localizados em Rafah e ainda em Khan Yunis, localizada a 10 km da fronteira. O grupo é composto por 24 brasileiros, sete palestinos em processo de imigração e três palestinos familiares próximos em processo de imigração. Há dez mulheres, 18 crianças e seis homens. E estão divididos com 18 na cidade de Rafah e 16 em Khan Yunis.

Veja parte da explicação do ministro Mauro Vieira: