Trocando as bolas

acessibilidade:

A então ministra Dilma (Minas e Energia) foi uma das pessoas, no governo Lula, que mais tiveram visibilidade em 2004. Ao contrário de outros colegas. Ela própria parecia reconhecer isso. Em solenidade no Palácio do Planalto, chamou de “Eduardo Costa” o colega Humberto Costa (Saúde) e tascou um “Humberto Campos”, ao se referir ao então ministro Eduardo Campos (Ciência e Tecnologia). Após reconhecer a gafe, ela se desculpou assim:

– Vocês têm que convir que trabalhei demais este ano…

Outra gafe: parecia insinuar que as vítimas não trabalharam como ela.