Maracutaia em Alagoas

Tramóia ameaça paraíso litorâneo da Barra de São Miguel

Falta de escrúpulos e ambição tramam contra a Barra de São Miguel

acessibilidade:

Especialista em desmantelar maracutaias, o Ministério Público Estadual de Alagoas deve investigar o iminente assalto à Barra de São Miguel: para beneficiar um projeto hoteleiro incompatível com a frágil estrutura urbana da cidade,

prefeitura e Câmara Municipal tramam alterar o gabarito dos prédios à beira-mar, de 3 para até 7 andares,e a transformação de áreas verdes em estacionamentos para o hotel.

A Câmara Municipal se prepara para votar, com aval do prefeito Zezeco (quem diria…), do PP, a alteração do gabarito e a destruição das áreas verdes. Representantes do trade turístico já dão como certa a aprovação, que teria sido “acertada” com empresários notórios doadores de campanhas políticas.

Na Barra de São Miguel, são conhecidas as conexões entre políticos, inclusive graúdos, e empresários de hotelaria no golpe contra a cidade. O mais ilustre morador da cidade é o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que tem ligações políticas com o

atual prefeito, um jovem, paulista que desembarcou na Barra de São Miguel há poucos anos, criou uma ONG para distribuir favores a pessoas pobres e, assim construiu sua candidatura a prefeito.

O plano de especuladores para tomar de assalto a Barra de São Miguel inclui expulsar barracas, como as tradicionais do Manoel e da Maria.