Eleições 2014

Trâmites da Justiça podem definir futuro político de Arruda

Se eleito governador, Arruda responderá processos no STJ

acessibilidade:

 Nome forte à sucessão ao governo do Distrito Federal, José Roberto Arruda (PR) corre o risco de não conseguir alçar voo ao Palácio do Buriti e nem à Câmara dos Deputados. Trâmites jurídicos ameaçam podar as asas do ex-governador para que os processos que responde na Justiça local não sejam encaminhados ao âmbito federal. Assim, só restaria ser distrital.

 Escândalo revelado em 2009, pela Operação Caixa de Pandora, quando o então governador Arruda foi flagrado recebendo dinheiro no esquema conhecido como Mensalão do DEM, corre na Justiça do Distrito Federal, onde Arruda só tem condenação em primeira instância. Sem condenação em segunda instância, Arruda fica livre para concorrer às eleições em 2014.

 O impasse, no entanto, é despertado com a hipótese de Arruda ser eleito no âmbito federal, como uma cadeira na Câmara dos Deputados. Ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no DF, Ophir Cavalcante hipoteticamente analisa que, se eleito a deputado federal, todos os processos de Arruda caminharão imediatamente ao Supremo Tribunal Federal (STF).

 Na hipótese de se arriscar ao governo do DF, segundo Ophir, Arruda teria os processos remetidos ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). ?Caso ele se candidato a distrital, os processos continuariam na Justiça local e ele poderia percorrer toda a tramitação até chegar ao Supremo?. Com a demora da Justiça, é possível que Arruda exerça todo o mandato antes de receber qualquer punição.

 Para o presidente do Partido Republicano no Distrito Federal, Salvador Bispo, a possibilidade de Arruda se candidatar à Câmara Legislativa não cabe nem hipoteticamente. ?É loucura achar que um ex-governador concorreria à distrital?, disse, reforçando que Arruda ainda não definiu o cargo qual deve concorrer.

 O advogado do ex-governador, Nélio Machado, também não quis comentar o assunto.