Mais Lidas

Estiagem em Alagoas

Seca faz Justiça proibir tinta no carnaval de reduto dos Calheiros

Bloco tradicional vai desfilar sem tintas na Murici de Renan

acessibilidade:

O tradicional mela-mela do bloco carnavalesco mais popular do Estado de Alagoas, o Tudo Azul, foi suspenso pela Justiça, no reduto eleitoral da família Calheiros. Motivada pela falta de água, a juíza Emanuela Porangaba, da Comarca de Murici, proibiu o uso de tintas de qualquer cor, dentro e fora de blocos carnavalescos. Para prevenir violência no carnaval, a juíza ainda vetou o uso de equipamentos de som automotivos, conhecidos como “paredões”, nos municípios de Murici e Branquinha.

A juíza levou em consideração a grave crise hídrica que afeta a região, fazendo com que os municípios sejam abastecidos por carros-pipas. Também foi avaliada a necessidade de preservar a convivência harmoniosa entre os foliões e os demais moradores das cidades, e o fato de que o uso dos paredões resultam em violência entre os proprietários dos dispositivos, pela disputa do som mais potente.

Governador Renan Filho é folião do Tudo Azul

A festa conta sempre com a participação em massa de prefeitos, deputados e aliados políticos do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) e do governador Renan Filho (PMDB), que também costumam fazer aparições diante da multidão de eleitores.

O Bloco Tudo Azul completa 73 anos de fundação, em 2017. Durante a festa, é comum a presença de um carro-pipa molhando os foliões. E, após a festa, é cena comum os balhos de mangueira, à porta das casas, com as pessoas retirando, com dificuldade, a tinta em pó utilizada na construção civil, que gruda na pele e nas roupas das pessoas. Por isso a relação da decisão da juíza com a crise hídrica que já atinge quase todo o Estado.

Em 18 de janeiro, o prefeito Olavo Neto assinou um decreto que declara situação de emergência em Murici. Mais de 40 municípios tiveram decretos de emergência aprovados pela União ainda em 2016. 

LIMITES

Segundo a portaria da magistrada, as festividades carnavalescas atraem muitas pessoas, sendo necessário a implantação de medidas “capazes de assegurar a incolumidade pública, manutenção da ordem e tranquilidade” dos foliões e moradores.

A portaria determina ainda que as festividades se encerrem em Branquinha todos os dias às 23h59. Já em Murici, as festas devem terminar às 23h59 apenas no sábado, primeiro dia do carnaval. De domingo à terça-feira, às 20h.

A determinação que proíbe o uso de dispositivos de sons não abrange aqueles que estejam puxando os blocos carnavalescos.

As medidas foram definidas em reunião da juíza com representantes do Ministério Público, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e os prefeitos de Murici, Olavo Calheiros Neto (PMDB), e Branquinha, Jairinho Maia (PSDB).(Com informações da Dicom/TJ)