Mais Lidas

Ousadia

Quadrilha furtava carros de depósito do Detran de Alagoas

Diretor Cacá Gouveia expôs ameaças e desafiou criminosos

acessibilidade:

Superando ameaças de morte contra seu diretor-presidente Antônio Carlos Gouveia, e com o objetivo de combater ações de corrupção e crimes de falsidade ideológica, o Departamento Estadual de Trânsito de Alagoas (Detran/AL) coordenou operação integrada para desarticular uma quadrilha que falsificava documentos para a roubar veículos apreendidos de dentro do depósito do órgão. Em coletiva na manhã dsta segunda-feira (23) Gouveia expôs que a fraude contava com a conivência de um cartório da cidade de Rio Largo, que promovia a autenticação de vários documentos.

Com o apoio da Polícia Civil, o diretor-presidente da autarquia, conhecido como Cacá Gouveia, apresentou três pessoas envolvidas no crime, sendo dois despachantes e um funcionário do cartório, e esclareceu como o esquema acontecia. Conhecido pelo rigor das ações da Operação Lei Seca, o diretor disse que não teme ameaças e desafiou criminosos a tentar voltar a agir no Detran.

De acordo com informações do Serviço de Inteligência do Detran/AL, as investigações começaram quando o proprietário de um Uno apareceu para pagar as taxas e recuperar o veículo, apreendido durante fiscalização realizada em dezembro, mas, ao chegar ao depósito, o sistema mostrou que o veículo já havia sido retirado.

“Quem ousar cometer crimes no Detran vai ser preso e algemado. Porque não vou me acovardar por causa de ameaça que recebi. Trabalhamos internamente com o nosso Serviço de Inteligência para apurar como o veículo havia desaparecido do galpão. O processo de retirada cumpriu todas as exigências legais, mas alguns documentos usados chamaram nossa atenção nas investigações, como uma cópia de identidade que constava no procedimento. Os dados estavam apresentados de forma correta, mas a foto não era do proprietário do veiculo”, ressaltou Antônio Gouveia.

Gouveia salienta que o caso chegou à Polícia Civil após a constatação, durante as investigações, de que a cópia de identidade apresentada para a retirada do veículo estava com o selo de autenticação de um cartório da cidade de Rio Largo. E, obedecendo às normas legais, o selo só poderia ter sido colocado na presença do proprietário do documento, o que não ocorreu.

Acusados foram apresentados à imprensaAPURAÇÃO

A delegada de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas, Maria Angelita, relatou que após doze dias de o inquérito ser instaurado, a investigação conseguiu levantar provas da ação da quadrilha e detectar a proximidade de despachantes e funcionários do cartório com o esquema.

“O diretor do Detran nos informou do que estava acontecendo no órgão, com a retirada de um veículo do pátio com a possível falsificação de documentos. Imediatamente instauramos o inquérito e, após 12 dias, identificamos alguns membros da quadrilha que estava cometendo os crimes e realizamos as prisões”, destacou a delegada.

O presidente do Detran/AL revelou ainda que um segundo veículo, que estava circulando com documentação falsa, autenticada no mesmo cartório de Rio Largo, também foi encontrado durante a investigação.

“O caminhão foi vendido com pagamento dividido em seis vezes. Um ‘comprador’ pagou a primeira parcela e, em seguida, com documentos falsos, conseguiu deixar o carro em situação legal. A equipe de inteligência do Detran investigou o carro e conseguiu capturá-lo. A partir daí percebemos que o veículo foi alvo da mesma quadrilha”, explicou Antônio Gouveia.

A operação aconteceu em parceria do Detran/AL, com a Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e do Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc). (Com informações da Comunicação do Detran)