Mais Lidas

Rachaduras

Prédio do Ministério da Saúde treme e assusta funcionários

O tremor mais forte, no último dia 25, suspendeu o expediente

acessibilidade:

Servidores do Ministério da Saúde trabalham com medo. O prédio, que abriga a Comissão de Nacional de Ética em Pesquisa na Saúde (Conep), está repleto de rachaduras. Os funcionários afirmam ter sentido a estrutura tremer nos últimos dias. O tremor mais forte, no último dia 25, suspendeu o expediente. A Defesa Civil foi ao local e, após uma análise preliminar, constatou que as rachaduras, fissuras e queda de pastilhas não justificavam os tremores relatados.

Ainda assim, o órgão solicitou que o ministério contrate um profissional habilitado para a confecção e apresentação de um laudo atestando as condições de segurança do local. O prazo se encerra na próxima semana.

O prédio foi construído na década de 70. O atual administrador, Veridiano Miranda, conta que desde que assumiu a função, há um ano e seis meses, a estrutura não passou por reforma significativa. "Foram ações paliativas, como a pintura de uma parede", comentou. Ele não soube dizer, no entanto, se antes disso houve alguma melhoria.

Veridiano confirmou os relatos de tremores e disse que desde a semana passada, o local vem sendo monitorado. Ainda assim, os funcionários temem trabalhar no local. "A Defesa Civil e o ministério estão se mobilizando para sanar o problema, que está causando desconforto (aos funcionários)", disse.

Na fachada do antigo edifício é possível ver falhas com a falta das pastilhas além de rachaduras. Na parte de dentro, elas não são visíveis, entretanto, outros problemas são enfrentados pelos frequentadores. Segundo relatos, diariamente os elevadores param de funcionar. A reportagem flagrou um dos equipamentos travados no terceiro andar, onde funciona a Conep, com a porta aberta e um apito ensurdecedor. "Todo dia é assim", disse uma funcionária, que preferiu não se identificar.

O Ministério da Saúde informou que está ciente da situação e que vai seguir todas as orientações da Defesa Civil.Segundo o órgão, parte da calçada foi interditada e todas as providências serão tomadas para que a situação seja resolvida.

Vídeos Relacionados