Mais Lidas

Operação Malebolge

No MT, PF vasculha casa de Blairo Maggi e conselheiros do TCE são afastados

A PF deflagrou a ação na manhã desta quinta, com mandados em 11 cidades

acessibilidade:

A Polícia Federal cumpre mais de 60 mandados, nesta quinta-feira (14). A ação, com base na Operação Malebolge, 12ª fase da Ararath, desarticulou um esquema de corrupção em Mato Grosso, onde o ministro Blairo Maggi foi governador. Além da casa em Brasília, a PF cumpre mandado de busca e apreensão na residência de Blairo no Mato Grosso. Por decisão do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT) foram afastados.

A PF cumpre mandados em 64 endereços, em 11 cidades, nove delas em Mato Grosso, além de Brasília e em São Paulo. A ação é consequência da delação premiada de Silval Barbosa, ex-governador do estado.

Em Mato Grosso, a polícia faz diligências em Cuiabá, Rondonópolis, Primavera do Leste, Araputanga, Pontes e Lacerda, Tangará da Serra, Juara, Sorriso e Sinop.

Os agentes fizeram buscas ainda na casa do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), e na prefeitura da capital. Ele foi flagrado em vídeo recebendo dinheiro na sala do então chefe de gabinete do delator Silval Barbosa.

A PF esteve nos gabinetes de seis deputados estaduais de Mato Grosso: Gilmar Fabris (PSD), Silvano Amaral (PMDB), Oscar Bezerra (PSB), Wagner Ramos (PSD), Ondanir Bortolini (PSD), conhecido como Nininho, e Romoaldo Júnior (PMDB).

A determinação para as ordens judiciais foram expedidas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux.

Tribunal de Contas

O ministro determinou ainda o afastamento dos conselheiros do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso que foram citados pelo ex-governador Silval Barbosa em delação premiada, stão o ex-deputado Sérgio Ricardo (já afastado) e José Carlos Novelli, Antonio Joaquim, Valter Albano e Waldir Teis. 

Por conta da ação, o expediente no TCE acabou suspenso nesta quinta (14), assim como a sessão.

Vídeos Relacionados