Mais Lidas

20 VEZES MAIS CARO

MP de Minas alugou auditório a R$ 100 mil, por duas horas e meia

Associação do MPMG receberia aluguel 20 vezes mais caro

acessibilidade:

Pelo menos até esta quarta-feira (30), não havia crise econômica no Ministério Público de Minas Gerais (MPMG). A instituição que fiscaliza a lei e coíbe a má gestão no poder público havia reservado R$ 100 mil para alugar, por apenas duas horas e meia, um auditório da entidade de classe do próprio órgão, a Associação Mineira do Ministério Público (AMMP).

Apesar de haver outros auditórios no Estado e de o valor ultrapassar, e muito, o limite em que a lei exige concorrência pública, o contrato de locação foi feito mediante inexigibilidade de licitação.

Auditório da AMMP foi contratado com dispensa de licitação (Foto: AMMP)O disparate foi denunciado em reportagem do portal R7, que consultou um dos mais renomados espaços de eventos de Belo Horizonte, que cobra R$ 5 mil por uma diária inteira de um auditório semelhante. Constatando que o MP pagaria 20 vezes mais caro pelo mesmo espaço.

Horas depois da publicação da reportagem, o contrato foi anulado pelo procurador-geral de Justiça do Estado, Antônio Sérgio Tonet, que anunciou, por meio de comunicado, a revogação do ato que havia autorizado o pagamento do aluguel.

Em seu comunicado, Tonet não explicou o motivo da anulação. E a assessoria de imprensa do MPMG, informou que o recurso não chegou a ser pago.

O auditório da AMMP tem 92 metros quadrados e deve abrigar um seminário dentro da programação do XXII Congresso Nacional do Ministério Público, previsto para acontecer em Belo Horizonte, entre 27 e 29 de setembro, com a presença dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso e Luiz Fux.

O seminário "Ciclo de Estudos sobre a Atuação Administrativa do Ministério Público" tem previsão de durar das 9h às 11h30. E o congresso deve terminar com show da banda Jota Quest. (Com informações do R7)

Reportar Erro