Mais Lidas

ALEGRIA SEM FRONTEIRAS

Márcio Canuto satiriza Trump e seu muro, no carnaval de São Paulo

De máscara, alagoano exaltou a força pacificadora do carnaval

acessibilidade:

Canuto inspirou-se em enredo da Casa Verde (Reprodução Globo)Durante a transmissão do desfile das escolas de samba de São Paulo, na madrugada de domingo (26), o jornalista alagoano Márcio Canuto usou seu bom humor para criticar o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e sua ideia de construir um muro na fronteira com o México.

O repórter que costuma surpreender pela irreverência nos flashes ao vivo apareceu com a máscara de Trump, no meio de uma das arquibancadas, e tascou um “pronunciamento” ao mundo, comparando as ideias imperialistas do presidente estadunidense à força pacificadora do carnaval.

A fala de Canuto foi feita no contexto do desfile da Império de Casa Verde, que celebrava a paz mundial. Foi a oportunidade que o jornalista não desperdiçou para se dizer capaz de “derrubar qualquer muro”.

“A Império está cantando a paz! E eu, Canuto Trump, como presidente da arquibancada, em nome da paz, estou convocando os imigrantes de todo o país, de todo o mundo, para participarem desta festa! E sou capaz de derrubar qualquer muro que separe as torcidas no sambódromo. Estou indo embora, mas estou deixando meus representantes, meus assessores, para fazerem cumprir meus decretos. Tô certo ou tô errado, Chico Pinheiro e Monalisa?”, satirizou Canuto, passando a palavra para os colegas que comandavam a apresentação do estúdio.

Os âncoras da transmissão seguiram no clima do colega, ao serem surpreendidos por Canuto. “O único momento em que o Trump tem uma cara de paz é no Carnaval de São Paulo e na personificação do Canuto”, disse Monalisa Perrone. “Que é que é isso?! Não há muro que segure Márcio Canuto!”, exclamou o jornalista Chico Pinheiro.

Mais tarde, usando o codinome de “Canuto Trampo”, o repórter repetiu a mensagem em seu perfil do Instagram.