Tática de campanha

Laranja de Renan constrói promessas de Almeida e Nezinho

Ricardo Santa Ritta preside fundação que coleta propostas em AL

acessibilidade:

A Fundação Ulysses Guimarães (FUG), braço acadêmico do PMDB, voltou a realizar seminários para construir as promessas de governo e os discursos do candidato peemedebista à Prefeitura de Maceió, Cícero Almeida (PMDB). A estratégia política de definir ações de governo, ouvindo a população e especialistas, tanto serve para a criação de ações de uma eventual administração, quanto ao marketing eleitoral mais sintonizado com a demanda da sociedade. A ação é coordenada pelo presidente da FUG em Alagoas, Ricardo Santa Ritta, que foi acusado de ser “laranja” do presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL), na compra de uma rádio, há cerca de dez anos.

“É uma forma diferente de montar as soluções para os problemas do dia a dia. Com o envolvimento e engajamento da sociedade, esperamos que a gente consiga ter um resultado de trabalho bem melhor do que normalmente se tem”, explicou Ricardo Santa Rita, durante a apresentação do projeto.

Ao lado de Tito Uchôa, Santa Ritta foi apontado como dirigente de emissoras de rádio avaliadas em R$ 2,5 milhões que, na realidade, seriam de Renan Calheiros. A relação foi investigada por comissão do Senado, em 2007, e foi ponto de partida para um dos processos de cassação que o Renan enfrentou e venceu. O senador sempre negou a propriedade das rádios.

Procurado pelo Diário do Poder para falar sobre o desfecho desta polêmica, Ricardo Santa Ritta respondeu que não houve desfecho, porque ninguém conseguiu provar nada contra ele. "Isso não consta no meu arquivo. Ja deletei essa história faz tempo. Aquilo ali nunca existiu. Isso não tem nada a ver. Não tem absolutamente nada", respondeu, ao negar ter sido punido pelo fisco por conta da transação em que foi envolvido.

A tática

A mesma estratégia também já foi deflagrada pela Fundação Ulysses Guimarães em Arapiraca, onde o pré-candidato é o deputado estadual Ricardo Nezinho (PMDB), autor da Lei da Escola Livre, também conhecida nacionalmente como Lei da Mordaça para professores. A iniciativa é positiva, mas seu uso sem moderação já demonstrou ter efeitos colaterais expostos na última semana, com a exposição do percentual de 6% no cumprimento de metas produzidas para o governo de Renan Filho (PMDB), em 2014.

A tática usada na campanha do governador foi lançada na última sexta-feira (8), na sede do PMDB em Maceió, com a divulgação do endereço eletrônico www.maceiomaispertodevoce.com.br que convida interessados a discutir caminhos para o desenvolvimento social e econômico da capital alagoana.

Mas o trabalho começa a ser executado efetivamente a partir da próxima quinta-feira (14), quando ocorre o primeiro seminário sobre o que chamaram de Eixo do Desenvolvimento Econômico, em dois dias. Na outra semana acontece outro seminário sobre o Eixo do Desenvolvimento Social e Humano.

Em 2014, a pré-campanha de Renan Filho expandiu a coleta de propostas via site da Fundação Ulysses Guimarães para a realização de grandes eventos regionais, que serviam principalmente para líderes regionais discursarem em favor da chapa, ainda em definição.

“É uma agenda propositiva de estratégia para a Maceió do futuro”, resumiu o vice-presidente da FUG em Alagoas, Sabino Fidélis, durante o evento.

Sabe de nada

No dia do lançamento do projeto, Cícero Almeida considerou fundamental a interação com a população. Mas apesar de os dirigentes da Fundação afirmarem claramente o objetivo de construção do programa de governo do pré-candidato do PMDB, o deputado federal licenciado disse desconhecer o propósito eleitoral do projeto.

“Se for para discutir o Estado de Alagoas, para ir buscar ideias com a população e formadores de opinião, não tenha dúvida de que é fundamental. Agora, não tem nenhuma vinculação política nem com o governo nem com a pré-candidatura. Estou vindo aqui como convidado”, disse Cícero Almeida, ao ser questionado pelo AL1 sobre o projeto da fundação peemedebista.

Questionamentos

Para não dar destaque ao deputado oposicionista Rodrigo Cunha (PMDB), autor do projeto Monitora Alagoas, que expôs o baixo cumprimento das promessas de Renan Filho, integrantes do Governo de Alagoas não se manifestaram publicamente sobre o percentual de 6% de concretização do programa construído em 2014 com contribuições coletadas pela FUG.

Mas os líderes do PMDB discordam, informalmente, que o percentual não representa uma medição qualitativa das realizações do governo, que estaria obtendo avaliação positiva em pesquisas de opinião de consumo interno e construindo avanços importantes como os da repactuação da dívida pública e da liquidação do Produban, que devem impulsionar o cumprimento das metas previstas. 

Enfim, sabendo ou não dos propósitos do braço "acadêmico" do PMDB, o pré-candidato Cícero Almeida, bem como Ricardo Nezinho, deve se preparar para cumprir tudo o que for prometido. Pois, com a evolução da consciência política, o eleitor cobrará a realização das metas estabelecidas com o mesmo empenho que seu partido está tendo para produzir discursos e promessas que o maceioense quer ouvir.