Mais Lidas

Engevix busca apoio

José Antunes buscou Carlos Araújo para tentar salvar Engevix

Empresário queria utilizar Araújo como ponte para chegar a Dilma

acessibilidade:

Segundo depoimento de Paulo Roberto Zuch, o empresário José Antunes, um dos donos da Engevix, teria recorrido ao ex-marido da presidente Dilma Rousseff, Carlos Franklin Paixão de Araújo, em busca uma saída para problemas financeiros da empreiteira. A informação é da revista Época.

A situação financeira do grupo Engevix já estava fragilizada, condição que piorou depois da prisão do ex-vice-presidente da empresa Gerson Almada, por envolvimento no Cartel do Petrolão. Por isso Antunes, após diversas tentativas frustradas de empréstimos, resolveu recorrer a presidente Dilma Rousseff, utilizando Araújo como ponte.

Apesar de não estar constado o êxito do plano de Antunes, sabe-se que houve a reunião secreta  de executivos da Engevix com o advogado trabalhista Carlos Araújo. Tendo como base o depoimento de um executivo que intermediou um dos encontros entre Antunes e Araújo, ficou evidente que o ex-marido de Dilma prometeu ajudar a Engevix.

Também foi revelado que um casal de amigos de Dilma Rousseff e Carlos Araújo recebeu da Engevix R$ 200 mil. O intermediário do encontro entre Antunes e Araújo foi o ex-presidente da Desenvix, uma empresa do grupo Engevix, Paulo Roberto Zuch, que teria entregue a quantia para a empresa gaúcha Ribas & Ribas. A proprietária da empresa é Eunice Ribas, que juntamente com seu marido, Nilton Belsarena, tem uma amizade de 30 anos com a presidnete Dilma.

O advogado trabalista Carlos Araújo negou veementemente ter feito negócios com a Engevix, “não tem nada disso. Isso é um desrespeito à minha pessoa”. A presidente Dilma Rousseff também negou por meio de nota, "(A presidente) desconhece qualquer reunião entre Carlos Araújo e representantes da Engevix, assim como qualquer pleito que tenha sido feito ao governo. Informa ainda que não tem relação com as pessoas citadas pela revista”.

É importante ressaltar que José Antunes e Gerson Almada estão em prisão domiciliar e negociam acordos de delação premiada, além do acordo de leniência que a Engevix trata com o Ministério Público Federal. Um dos pontos do acordo entre procuradores e advogados de Antunes é a relação do executivo com Carlos Araújo.

 

Reportar Erro