Mais Lidas

VISITA OFICIAL

Internação de Temer adia visita de Evo Morales ao Brasil outra vez

Saúde de Temer adia novamente a visita do presidente da Bolívia

acessibilidade:

O Palácio do Planalto informou neste sábado (25) que a internação do presidente Michel Temer após procedimentos cardiológicos resultou no cancelamento da visita oficial do presidente do da Bolívia, Evo Morales, a Brasília, marcada para esta segunda-feira (27). Haveria reunião no Palácio do Planalto e almoço no Itamaraty.

Foi a segunda vez em menos de um mês que um problema de saúde de Temer adia a visita oficial de Evo Morales ao Brasil. O primeiro cancelamento ocorreu em 28 de outubro,  depois que o presidente Temer passou por um procedimento cirúrgico, no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, na noite anterior.

Evo Morales terá de esperar para visitar o Brasil (Reprodução)Temer está internado desde sexta-feira (24), no mesmo hospital, para onde foi fazer uma angioplastia de três artérias coronárias. Segundo o médico Roberto Kalil Filho, Hospital Sírio-Libanês, havia obstrução de cerca de 90% nas artérias tratadas que ameaçavam provocar um infarto.

O presidente do Brasil passa bem e terá alta nesta segunda-feira (27), mesmo dia da visita, que será remarcada, segundo a Secretaria de Comunicação da Presidência da República. 

Evo Morales é amigo do ex-presidente Lula e chegou a ser advertido de que o governo brasileiro cancelará sua visita, em caso de hostilidades na agenda ou em caso de declarações sobre política interna brasileira.

A visita tinha como objetivo oficial dinamizar e fortalecer a cooperação e a coordenação bilateral. Seriam tratados temas relativos à luta contra o crime transnacional, energia, defesa, desenvolvimento fronteiriço, integração da infraestrutura física, temas migratórios e consulares, comércio e investimentos.

O Brasil é o primeiro destino das exportações bolivianas e o segundo maior fornecedor de produtos para o país. Em 2016, a corrente de comércio bilateral alcançou US$ 2,769 bilhões. A pauta de exportações brasileiras para a Bolívia é diversificada e composta basicamente de manufaturados.