Mais Lidas

Confusão

Governador ameaça prender político por desrespeitar a tia, presidente do TJ

Vice foi expulso de evento ao discutir com tia desembargadora

acessibilidade:

Uma discussão entre a presidente em exercício do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL), desembargadora Elisabeth Carvalho, e seu sobrinho e vice-prefeito do município de Palmeira dos Índios (AL), Márcio Henrique (PPS), levou o governador em exercício, desembargador Otávio Leão Praxedes, a ameaçar prender e determinar que seguranças expulsassem o político do evento que reuniu centenas de pessoas em um ginásio para regularizar títulos de propriedade da moradia de 1300 famílias do município do Agreste de Alagoas, nesta quarta-feira (23).

Com dedos em riste apontados entre si, a desembargadora e o vice-prefeito discutiram ao se encontrarem na frente de honra, enquanto a banda do Exército se apresentava, antes da solenidade. Não se compreendeu nada sobre o motivo do bate-boca. Mas se escutou claramente ambos repetindo a ordem “me respeite”, antes de o desembargador Otávio Praxedes e seguranças intervirem.

Um vídeo recebido pelo Diário do Poder registrou o momento final da confusão, quando já aparece o vice-prefeito rodeado por seguranças e recebendo a ameaça de prisão do presidente do TJAL, Otávio Praxedes, que substitui o governador Renan Filho (MDB) no exercício do mandato.

“[…] você respeitar a desembargadora. Se não respeitar, vou mandar lhe prender”, adverte o governador Otávio Praxedes. “Pode mandar”, retruca o vice-prefeito Márcio Henrique. Imediatamente, o desembargador determina aos seguranças: “Tira ele aqui”.

O vice-prefeito foi retirado, sendo conduzido pelos seguranças até parte do caminho da saída, para onde seguiu sozinho. Enquanto sua tia e presidente em Exercício do TJAL ficou, ainda nervosa, sendo atendida por integrantes do cerimonial.

Veja o momento final da confusão:

'ORDEM' REVOGADA

Um familiar de Márcio Henrique o acompanhou após a saída do Ginásio Poliesportivo e disse a uma fonte do Diário do Poder que o vice só não foi preso porque o governador em exercício tomou conhecimento que eles eram parentes e determinou o cancelamento daquela que seria uma ordem de prisão. Otávio Praxedes ainda teria enviado um pedido de desculpas através de um interlocutor.

Elisabeth Carvalho discursou por 14 minutos no evento, que contou com a presença do prefeito Júlio Cezar (PSB). A desembargadora fez referências às responsabilidades que os gestores municipais devem ter para prover as garantias constitucionais à moradia, saúde, segurança e educação. “O Tribunal sempre teve essa visão social e está fazendo a sua parte”, exaltou.

Em sua fala sobre temas aparentemente sem conexão com o propósito do evento, a presidente em exercício do TJAL falou que todos deveriam valorizar a gratidão. E chegou a citar uma moradora da Palmeira dos Índios que teria morrido e levado ao túmulo “segredo de intimidades com homens que eram ilustres como grandes pais de família” do município. E finalizou sua fala citando trecho de música de Maria Bethânia: “Não mexam comigo, que eu não ando só”.

Desde a noite de ontem, o Diário do Poder tentou contato com os envolvidos no episódio para obter explicações e mais detalhes sobre o motivo da discussão e seus posicionamentos. O celular do vice-prefeito estava desligado em todas as tentativas de contato. E as assessorias do governo de Alagoas e do TJAL não responderam os questionamentos enviados pela reportagem.