Mais Lidas

Compra suspeita

Força-tarefa investiga se Sérgio Côrtes seria sócio da rede D’or

Ex-secretário preso é ligado a investidores de R$1 bi na rede

acessibilidade:

A força-tarefa rastreia o destino do dinheiro roubado no governo de Sérgio Cabral, no Rio, e por isso investiga o papel do ex-secretário Sérgio Côrtes, preso esta semana, na rede D’Or de hospitais, da qual era diretor. A rede controla três dezenas de hospitais. A suspeita é que Côrtes seria sócio ou investidor do Fundo Soberano de Cingapura (GIC), que pagou US$1 bilhão por 14% de participação na rede D’Or. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

A compra de participação do fundo de Cingapura na Rede D’Or foi fechada em maio de 2015, e Sérgio Côrtes passou a representá-lo.

A entrada do GIC Private na Rede D’Or ocorreu poucos meses após a aprovação da legislação que permite capital estrangeiro em hospitais.

Procurado, o fundo GIC Private informou que não pode se pronunciar sobre o assunto Sérgio Côrtes sem receber instruções de Cingapura.

Procurada, a Rede D'Or limitou-se a dizer, por meio de sua assessoria, que “não procede”a informação sobre Côrtes como sócio da empresa.

Reportar Erro