Nova missão

Fireman quer ajudar Alagoas na cúpula da Saúde de Temer

Ex-presidente da CBTU toma posse na terça (12) em ministério

acessibilidade:

Conforme o Diário do Poder antecipou, o alagoano Marco Fireman deixou o cargo de presidente da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) e assumirá o comando da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, na cúpula do Ministério da Saúde do governo interino de Michel Temer (PMDB). A troca foi oficializada com a publicação da nomeação do ex-presidente do PSDB de Maceió no Diário Oficial da União da última quarta-feira (6). Mas Fireman será empossado na próxima terça-feira (12), e pretende contribuir com a gestão da Saúde, tendo como prioridade ajudar Alagoas.

O novo momento de Marco Fireman na gestão pública é de atuação em uma função bem incomum às áreas em que atuou no poder público. Será responsável por incorporações de medicamentos, pesquisa clínica e pelas parcerias de desenvolvimento produtivo (quando empresas privadas asseguram o monopólio no fornecimento de medicamentos).

Para ajudar Alagoas nessas políticas públicas, o novo servidor do Ministério da Saúde quer contar com prefeitos e o governo de Renan Filho (PMDB) para a apresentação de demandas.

“Meu foco será no aprimoramento da gestão, e minha prioridade será ajudar o Estado de Alagoas. Estarei em uma função estratégica no Ministério, temos condições de trabalhar os projetos estratégicos para área de saúde em Alagoas. Mas quem tem que apresentar as demandas são os prefeitos e o Governo do Estado”, disse o ex-presidente da CBTU ao Diário do Poder.

Fireman é ex-secretário de Infraestrutura do governo de Teotonio Vilela Filho (PSDB), e depois de ter sua pré-candidatura a governador de Alagoas frustrada pelo PSDB em 2014, desfiliou-se e entregou a presidência do Diretório do PSDB em Maceió, em abril de 2015.

Ainda em maio de 2014, a presidente Dilma Rousseff rejeitou a indicação do então tucano para o Ministério da Integração Nacional, feita pelo deputado federal Givaldo Carimbão (PROS).

Assim que Fireman desfiliou-se do PSDB, foi a vez de o deputado federal Maurício Quintella (PR) também tentar emplacar Fireman na estrutura do governo federal petista, por indicação do PR. Mas foi com o senador Benedito de Lira e o PP que a aliança se consolidou, transcendendo a gestão de Dilma para a presidência interina de Michel Temer (PMDB).