Mais Lidas

GUERRA NO SERTÃO

Filho de vereador morto em Alagoas é preso, em caçada a órfão foragido

Polícia pede que Baixinho se entregue para manter 'integridade'

acessibilidade:

A Polícia Civil de Alagoas prendeu nessa quarta-feira (2) José Anselmo Rodrigues de Melo, o “Pretinho Boiadeiro”, pela acusação de atirar em policiais, ao ser abordado na propriedade de sua família, em Craíbas (AL). Pretinho é filho do vereador de Batalha (AL) assassinado em 09 de novembro de 2017, Adelmo Rodrigues de Melo, o “Neguinho Boiadeiro” (PSD). E a polícia o acusa de porte ilegal de arma de fogo, desobediência e associação criminosa para acobertar seu irmão foragido, José Márcio Cavalcante, o “Baixinho Boiadeiro”, que estaria na propriedade.

Enquanto a família Boiadeiro divulgou nota em que acusa a polícia de confundir o preso com seu irmão foragido, o delegado Thiago Prado, responsável pela investigação, declarou hoje (3), que orientou a família a entregar Baixinho Boiadeiro, para garantir sua integridade física.

Vereador Neguinho Boiadeiro foi assassinado em 2017 (Fotos Divulgacao)A prisão ocorreu após equipes da Delegacia Regional de Arapiraca irem checar a informação de que o foragido Baixinho Boiadeiro estaria circulando por Arapiraca em um veículo, modelo L200 Triton e de placa QLL-4239, que é blindado. Baixinho é caçado pela polícia desde que trocou tiros com seu desafeto José Emílio Dantas, minutos depois da morte de seu pai vereador, no fim do ano passado. O foragido teri tentado vingar a morte do pai, matando o integrante da família rival, pensando ter sido Zé Emílio Dantas o assassino do vereador Neguinho Boiadeiro.

O delegado Thiago Prado, responsável pela ocorrência, não quis dar declarações ao Diário do Poder sobre a versão da família Boiadeiro que contesta a troca de tiros e a prisão. Mas declarou ao TNH1 que negociou a rendição de Baixinho Boiadeiro com a família, para impedir um confronto.

“Eu fiz um pedido à família para que ele se apresente, para evitar o confronto. Demonstrei o risco e pedi para que apresentassem o Baixinho, garantido sua integridade física. A família sinalizou bem e disse que iria se reunir para decidir isso, mas seguem as buscas”, afirmou Thiago Prado, ao TNH1.

Este não foi a primeira incursão da Polícia Civil em busca de Baixinho Boiadeiro, que foi acusado de matar o segundo vereador de Batalha assassinado em dezembro de 2017, Tony Carlos Silva de Medeiros, o “Tony Pretinho” (PR). No início deste ano, a casa da mãe do vereador Neguinho Boiadeiro foi alvo de operação, na qual a polícia derrubou o portão da residência, em busca de Baixinho.

A PRISÃO

Alvo da PCC era Baixinho Boiadeiro (Reprodução Youtube)Com apoio do Serviço de Inteligência da Oplit, que montou monitoramento, policiais conseguiram localizar o veículo onde estaria Baixinho, em Craíbas. Além dele, também foi detido o motorista Dalbério José Menezes, que é guarda municipal de Batalha.

A Polícia Civil narra que, após troca de tiros, o veículo fugiu do local e Pretinho Boiadeiro, irmão do foragido, teria se jogado para fora da caminhonete, diante do 3º Batalhão da PM de Arapiraca, onde entrou gritando por socorro, afirmando ser vítima de uma tentativa de homicídio. 

O veículo seguiu em frente e foi encontrado diante da casa da avó de Baixinho Boiadeiro, onde o motorista Dalbério teria sido preso e Baixinho não foi localizado. A polícia afirma ter encontrado duas armas, uma pistola e um revólver carregados, além de munições em posse do motorista. Pretinho e Dalbério se encontram presos.

FAMÍLIA VÊ ‘MARCAÇÃO’

Por meio de nota publicada na manhã desta quinta, a filha do vereador assassinado, Bahia Boiadeiro, acusou a polícia de invadir a propriedade sem mandado policial, com oito homens fortemente armados em dois carros descaracterizados, um Pálio e um Sandero. A nota narra que seu irmão Pretinho estaria acompanhado do motorista e trabalhadores que aravam a terra para plantar milho e correu para dentro da L-200 branca, pedindo ajuda em áudio enviado pelo WhatsApp.

Bahia Boiadeiro lembra de invasão à casa da avó (Reprodução TV Oops)“Não houve troca de tiros, porque meu irmão estava no carro blindado e correu para o Batalhão da Polícia de Arapiraca, pedindo socorro inclusive tem polícias do Batalhão que são testemunhas disso. Em seguida, o delegado chegou dizendo que ele tinha um mandado em prisão em aberto, ou seja, confundiram ele com o meu outro irmão Baixinho Boiadeiro. Aí eu pergunto a vocês se meu irmão estivesse com prisão decretada ele iria correr para o Batalhão da Polícia?”, questionou Bahia Boiadeiro.

Ela alegou que a arma encontrada é registrada no nome de Pretinho Boiadeiro. Mas a polícia afirma que ela, mesmo registrada, não deveria estar no veículo. O carro segue detido, segundo Bahia Boiadeiro, pela alegação inicial de não ter certificado da blindagem, reforçada por ter sido objeto da fuga.  

Bahia Boiadeiro afirma que o filho do vereador assassinado está sendo caçado “por conta de uma simples troca de tiros”, enquanto mandantes e pistoleiros seguem soltos. O vereador de Batalha, Alex Sandro Rocha Pinto (PMN), chegou a ser preso acusado de matar Neguinho Boiadeiro.

Veja a íntegra da versão da família: 

NOTA DE ESCLARECIMENTO!

Venho através dessa nota esclarecer alguns fatos que vem circulando em jornais na noite de ontem.

Em primeiro lugar a Polícia chegou na nossa Fazenda localizada em Craíbas, onde meu irmão Preto se encontrava junto com o motorista e trabalhadores que estavam arando terra para plantar milho, chegou DOIS CARROS DESCARACTERIZADOS( 1 Palio e 1 Sandero) INVADIRAM A FAZENDA SEM MANDADO DE BUSCA COM 8 HOMENS FORTEMENTE ARMADOS DESCARACTERIZADOS TAMBÉM, quando meu irmão viu os carros entrando na fazenda, correu para dentro do carro da gente uma L-200 branca, na mesma hora o Preto Boiadeiro me mandou um áudio pelo WhatsApp pedindo ajuda que tinha entrado homens na fazenda e ele não sabia quem era, lembrando também que NÃO HOUVE TROCA DE TIRO PORQUE MEU IRMÃO ESTAVA NO CARRO BLINDADO e correu para o Batalhão da Polícia de Arapiraca pedindo SOCORRO inclusive tem polícias do Batalhão que são testemunhas disso, e em seguida o delegado chegou dizendo que ele tinha um mandado em prisão em aberto ou seja confundiram ele com o meu outro irmão Baixinho Boiadeiro, meu irmão Preto Boiadeiro está preso e o MOTIVO É SIMPLESMENTE UMA ARMA QUE ESTAVA NO CARRO E MESMO ASSIM A ARMA É REGISTRADA NO NOME DELE, achando pouco eles ainda ficaram com o carro detido também alegando não ter o certificado da blindagem, quando eu falei que o certificado estava no interior do veículo e eles perceberam que não tinha motivo de deixar o veículo apreendido, disseram que o veículo só sairia quando o Preto fosse liberado porque correu nesse veículo…

Aí eu pergunto a vocês se meu irmão estivesse com prisão decretada ele iria correr para o Batalhão da Polícia?

Ainda pergunto mais além de ter o PAI ASSASINADO EM PLENA LUZ DO DIA NO MEIO DA RUA e os mandantes e os pistoleiros estão aí soltos e meu irmão estão caçando como se fosse um bandido, precisamos está passando por essas humilhações toda por conta de uma simples troca de tiro entre meu irmão Baixinho e o Zé Emílio?

Que marcação é essa com minha família?