Mais Lidas

Petrolão

Ex-presidente da Petrobras, Gabrielli tem sigilos quebrados

Superfaturamento de 11.000% faz Justiça quebrar sigilos de Gabrielli e Andrade Gutierrez

acessibilidade:

O ex-presidente da Petrobras José Sergio Gabrielli e sete ex-diretores e ex-gerentes da estatal e da construtora Andrade Gutierrez tiverem sigilos fiscal e bancário quebrados nesta quarta-feira, 28. A decisão foi da 5ª Vara da Fazenda Pública do Rio de Janeiro, que deferiu liminar do Ministério Público fluminense. A quebra dos sigilos abrange o período de 2005 a 2010, quando Gabrielli presidiu a Petrobras.

A ação aponta um desvio de R$ 32 milhões em quatro contratos firmados entre a estatal e a Andrade Gutierrez para as obras de construção do Centro Integrado de Processamento de Dados (CIPD) e de ampliação do Centro de Pesquisas (Cenpes) da petrolífera. A denúncia tem como origem uma auditoria feita pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

O MP alega que houve, entre 2005 e 2010,  sucessivas e superpostas contratações da Andrade Gutierrez, sobrepreço e superfaturamento de até 11.000% nos contratos e ausência de transparência na seleção da construtora. Apesar de ter sido escolhida por licitação para fazer as obras do CIPD e do Cenpes, a empreiteira Cogefe Engenharia cedeu suas obrigações para a Andrade Gutierrez, que faturou R$ 133 milhões com o negócio. O MP afirma que essa cessão de obrigações não foi devidamente esclarecida.

Dois dos sete ex-funcionários da Petrobras que terão seus sigilos quebrados também são acusados de envolvimento no Petrolão. São eles: Renato Duque, ex-diretor de Engenharia e Serviços, e Pedro Barusco, ex-gerente-executivo de Serviços e Engenharia.

Vídeos Relacionados