Mais Lidas

Busca e apreensão

Ex-ministro Geddel é alvo de operação da PF contra corrupção na Caixa

Ele foi vice-presidente da Caixa no governo Dilma Rousseff

acessibilidade:

O ex-ministro da Secretaria de Governo Geddel Vieira Lima é um dos alvos da operação deflagrada na manhã desta sexta-feira (13) da Polícia Federal contra um esquema de corrupção na liberação de créditos junto à Caixa Econômica Federal que teria ocorrido pelo menos entre 2011 e 2013, no governo Dilma Rousseff. Outro investigado é Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara dos Deputados, agora cassado e preso em Curitiba pela Lava Jato.

Segundo a PF, o esquema seria composto por Geddel, então vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica Federal, pelo vice-presidente de Gestão de Ativos, Marcos Roberto de Vasconcelos, além de um servidor da Caixa, empresários e dirigentes de empresas dos ramos de frigoríficos, de concessionárias de administração de rodovias, de empreendimentos imobiliários, além de um operador do mercado financeiro.

A investigação da PF começou após a apreensão de um celular na residência oficial do então presidente da Câmara, Cunha, em dezembro de 2015, batizada de Catilinárias. No aparelho, após perícia, foram encontradas mensagens entre Geddel e Cunha. Na ação de hoje, a PF vasculha a casa de Geddel cumprindo mandado de busca e apreensão, na Bahia.

De acordo com a Polícia Federal, as mensagens do celular indicavam a possível obtenção de vantagens indevidas pelos investigados em troca da liberação para grandes empresas de créditos junto à Caixa Econômica, o que pode indicar a prática dos crimes de corrupção, quadrilha e lavagem de dinheiro. O inquérito inicial foi para o Supremo Tribunal Federal, mas foi encaminhado à Justiça Federal de Brasília após Cunha e Geddel perderem foro privilegiado.