Mais Lidas

Fracasso subiu à cabeça

Em Maceió, PT culpa ‘golpe’ pela votação de 2,4% para prefeito

PT rejeita candidatos do PSDB e PMDB após fracassar nas urnas

acessibilidade:

Depois de ter um desempenho comparável ao de partidos nanicos nas eleições de 02 de outubro, o Diretório do Partido dos Trabalhadores (PT) da capital alagoana aprovou no último sábado (8) uma resolução em que decidiu assumir postura neutra na disputa do 2º turno das eleições para a Prefeitura de Maceió, entre o prefeito Rui Palmeira (PSDB) e o ex-prefeito Cícero Almeida, o Ciço (PMDB).

Com a vexatória quinta colocação de seu presidente estadual, Paulão, na disputa majoritária de Maceió, o PT arrumou a desculpa de que o PSDB e o PMDB fazem parte das “forças golpistas” que apoiaram o impeachment da ex-presidente petista Dilma Rousseff para não aderir às candidaturas de Rui e de Ciço.

Apesar de o PMDB alagoano e nacional ter formalizado o apoio à queda de Dilma desde maio deste ano, ao aderir à autorização da abertura do processo de impeachment e afastar a presidente do cargo, o PT de Alagoas manteve a aliança com o governador peemedebista Renan Filho, somente entregando cargos há cerca de um mês.

Desgaste

O PT de Maceió absorveu claramente o peso da rejeição popular nacional, não tendo elegido nenhum dos 18 candidatos a vereador na capital alagoana e obtido apenas 2,44% dos votos na disputa pela Prefeitura, só à frente dos candidatos a prefeito Fernando do Village (PMN) e Paulo Memória (PTC). Tudo isso com Lula pedindo votos para Paulão na propaganda eleitoral da TV e do rádio.

Em Alagoas, o PT conquistou apenas dois prefeitos, nos municípios sertanejos de Inhapi e Olho d’Água do Casado. Em todo os Estado, houve apenas dez candidatos majoritários no universo dos 102 municípios alagoanos. Para as câmaras municipais, o PT elegeu apenas 21 dos 218 candidatos a vereador no Estado.

Assim como Ciço, Paulão é um dos réus condenados por improbidade em empréstimos ilegais investigados na Operação Taturana. Ambos teriam recursos julgados há duas semanas das eleições. E devem ser julgados em novembro.

Enfim, Rui e Ciço têm motivos para celebrar o peso negativo que uma aliança com o PT traira para a disputa pela Prefeitura de Maceió.

Veja os argumentos do PT na resolução aprovada neste sábado (8):

???RESOLUÇÃO

A Comissão Executiva do Diretório Municipal de Maceió do Partido dos Trabalhadores, reunida em 08/10/2016, após análise da Conjuntura Política nacional, estadual e local, e considerando:

– O GOLPE de Estado em curso no Brasil que destituiu a Presidenta da República eleita com 54,5 milhões de votos, em um processo de impecheament sem crime, capitaneado pelo capital transnacional com submissão de amplos setores dos poderes da República (Congresso, Ministério Público, Polícia Federal, Judiciário), da mídia monopolista e do empresariado nacional;

– Que a continuidade desse GOLPE de Estado se dá pela desconstrução da Constituição de 1988 e de todos os avanços sociais conquistados nas políticas sociais no sentido de implantação de um Estado Democrático de Direito e de Bem Estar-Social no Brasil;

– Que a ampla submissão do Congresso e dos demais poderes da República aos interesses contrários à Nação brasileira, trazem graves perdas para a classe trabalhadora e a quase totalidade da população e comprometem a soberania nacional e o nosso futuro;

– Que as forças políticas golpistas, apresentaram-se às eleições municipais de Maceió, e dois de seus partidos representantes chegaram ao segundo turno;

– Que o Prefeito Rui Palmeira (PSDB) implanta uma gestão de inspiração neoliberal, com ampliação das terceirizações, desvalorização dos servidores públicos e precarização dos serviços públicos, sendo integrante de um partido que abandonou a defesa da Democracia e articulou o Golpe;

– Que o deputado federal Cícero Almeida (PMDB), participou do processo golpista e aderiu ao programa neoliberal, entreguista e de destruição do patrimônio público e das políticas sociais;

A Executiva do DM Maceió RESOLVE:

I – Não apoiar nenhum dos candidatos à Prefeitura de Maceió no segundo turno das Eleições Municipais de 2016.

II – Intensificar a participação da militância petista em todos os movimentos reivindicatórios dos setores democráticos e populares para denunciar as nefastas medidas do governo ILEGÍTIMO e GOLPISTA de Temer e seus aliados, e a sua tentativa de revogar TODOS OS DIREITOS conquistados pela classe trabalhadora;

III – Conclamar a população maceioense à RESISTÊNCIA, com muita mobilização para defender a Democracia, os Direitos sociais, trabalhistas, previdenciários e as liberdades e garantias individuais, hoje ameaçados pelas forças políticas golpistas.

IV – O PT exerce e exercerá forte OPOSIÇÃO às forças políticas golpistas, anti-nacionais, anti-populares, e a todas e todos que atacarem a classe trabalhadora, seus direitos e suas conquistas.

Maceió, 08 de outubro de 2016.

Reportar Erro