Mais Lidas

Situação do país

Dono das Casas Bahia diz que maior erro de Dilma foi mentir

Empresário defende saída de Dilma “Como ela não tem maioria no Congresso”

acessibilidade:

O empresário Michel Klein que é filho do fundador da Casas Bahia  e dono de negócios nos segmentos imobiliário, de aviação e de automóveis, defende a saía da presidente Dilma Rousseff, “como ela não tem maioria no Congresso, acho melhor ela sair. Sem o apoio de deputados e senadores, nada é aprovado, e isso trava o mercado como um todo”.

Para Klein o impeachment não é golpe, “quando ela assumiu esse cargo, sabia que estaria sujeita a regras e que uma das penalidades poderá ser o impeachment”. Para ele Dilma não poderia ter mentido durante a campanha de reeleição, “ela disse que o País estava bem, que o preço da energia estava assegurado e que o combustível não ia subir. E fez exatamente o contrário. Ninguém gostar de ser enganado”.

Ele não vê a crise como a pior da história brasileira, “não que essa crise seja amena, mas, sim, acho que já passamos por situações piores. Quando a inflação estava em patamares altíssimos, ela corroía o salário das pessoas, que perdiam o poder de compra. Hoje a inflação beira os 10% ao ano. Podia ser menos? Claro que podia, mas não está em 70% ao mês”.

O empresário acredita que, “independentemente de a presidente sair ou não”, as coisas estejam mais claras na economia e na política, “já teremos ao menos uma ideia de quem vai ditar as novas regras do jogo e que regras serão essas. Se ela ficar, terá de fazer alguma coisa. Se ela sair, quem entrar no lugar vai ter de apresentar uma definição”.

Michel Klein comentou que para driblara a crise a solução é vender a prazo, “em época de dificuldade, o varejo amplia o prazo para aumentar a venda. Se o desemprego crescer até o fim do ano, haverá inadimplência e a situação vai piorar”.

Enfatizou que gerar emprego na indústria e no comércio é necessário para superar a crise, “é preciso garantir estabilidade para que as pessoas tenham confiança para consumir”. Para isso, segundo Klein a redução de impostos, IPI, ICMS, é essencial.