Mais Lidas

Sururugate avança

Dois deputados são indiciados na Operação Sururugate, em Alagoas

Deputados alagoanos foram indiciados por desviar R$ 150 milhões

acessibilidade:

Após ignorarem duas intimações da Polícia Federal para depor a respeito dos crimes investigados no âmbito da Operação Sururugate, os deputados estaduais Edval Gaia Filho (PSDB-AL) e Severino Pessoa (PSC-AL) foram indiciados nesta segunda-feira (27), por suspeitas de integrar o esquema criminoso que pode ter desviado R$ 150 milhões da folha de pagamento da Assembleia Legislativa de Alagoas, entre 2010 e 2013.

O superintendente da PF em Alagoas, delegado Bernardo Gonçalves, ressaltou que os parlamentares não evitaram os indiciamentos, nem prejudicaram a investigação, deixando de exercer suas defesas, em depoimentos marcados para a sede da PF, no bairro de Jaraguá, em Maceió. E afirmou que o número de suspeitos indiciados na Sururugate subiu para quatro.  

Pessoa e Gaia recusaram intimação para depor (Foto: Ascom ALE)“Como não compareceram para apresentar suas versões dos fatos, eles foram indiciados pela participação nos crimes de peculato, desvio de recursos públicos de forma continuada. E um deles também  foi indiciado por associação criminosa, em virtude de ter sido detectada a formação de uma quadrilha, uma associação criminosa, com o propósito de desviar recursos através de fraudes na folha de pagamento. Há casos de causar surpresa e indignação, como o de um morador do lixão de Arapiraca, de uma comunidade bem carente, que teve o nome indevidamente incluído na folha de pagamento da ALE”, disse o delegado.

Do “servidor fantasma” que morava em um lixão de Arapiraca-AL, sacaram cerca de R$ 46 mil de salários em seu nome. Edval Gaia ainda teria incluído na lista dos servidores sua faxineira que trabalhava na casa de um parente do parlamentar, ao custo de R$ 192 mil em aproximadamente 20 meses. Além de um homem que mora e tem vínculo empregatício em São Paulo.

“No período de 2010 a 2012, ele tinha vínculos empregatícios com empresas de São Paulo, sendo o mesmo período que ele recebeu como servidor da Assembleia, chegando a aproximadamente R$ 105 mil. Não bastante, a esposa dele também recebeu salários, cerca de R$ 61 mil”, disse o delegado Bernardo Gonçalves. 

A deputada estadual Thaise Guedes (PMDB) a deputada foi indiciada pela prática de 25 vezes o crime de peculato desvio, envolvendo o desvio de mais de R$ 220 mil de recursos públicos.

Na última sexta-feira (24), o ex-deputado estadual Dudu Albuquerque (PRTB) também foi interrogado pela PF e saiu do depoimento como investigado.

Reportar Erro