Municípios

Dilma é vaiada outra vez

Repasse de R$ 3 bilhões às cidades não calou prefeitos, que protestaram

acessibilidade:

marcha

Nem mesmo o pacote de bondades de R$3 bilhões anunciado pela presidente Dilma Rousseff nesta quarta-feira (10) foi suficiente para conter as vaias que anda recebendo. Pelo segundo ano consecutivo, a presidente encarou a rejeição dos prefeitos durante a 16ª Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios.

Incomodados com o silêncio sobre o repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), os prefeitos cobraram, aos berros, explicações. A reação deles desagradou também ao presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CMN), Paulo Ziulkoski, que os rotulou de ?baderneiros?. Além das vaias, eles fizeram um pequeno protesto, com faixas em frente ao hotel Royal Tulip, no Setor de Hotéis e Turismo Norte.

Repasse

O governo federal vai transferir R$ 3 bilhões aos municípios para que possam prestar serviços de melhor qualidade à população. Os recursos serão liberados em duas parcelas: a primeira, em agosto deste ano, e a segunda, em abril de 2014. Na área da saúde, a presidente anunciou mais R$ 600 milhões por ano para o Piso de Atenção Básica (PAB) e falou sobre a ida de médicos para as periferias das grandes cidades e os pequenos municípios.

Também serão repassados R$ 4 mil mensais a mais para a manutenção de postos de saúde e custeio das equipes de saúde nos municípios. Caso a equipe seja composta por profissionais de saúde bucal, haverá um acréscimo no repasse de R$ 2 mil a R$ 3,9 mil. A presidente anunciou ainda mudanças no Minha Casa, Minha Vida para que todas as cidades com menos de 50 mil habitantes possam participar do programa e oferecer moradia aos seus habitantes.