Era o que faltava

Condenado por corrupção julga o STF e ataca Joaquim

acessibilidade:

Num discurso inflamado que durou 40 minutos, o deputado João Paulo Cunha (PT-SP) usou o plenário da Câmara para acusar  o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, de ter “selecionado” as provas de acusações do processo do mensalão e de ter “virado as costas” para documentos do Tribunal de Contas da União (TCU), da Câmara e da Polícia Federal “que garantiram a legalidade das contratações de publicidade” da Câmara dos deputados na época em que Cunha foi presidente da Casa.

Cunha  foi condenado a 9 anos e 4 meses de prisão por lavagem de dinheiro, corrupção passiva e peculato. Mas no longo discurso, ressaltou que não cumprirá a pena a ele imposta “calado”. Cunha teve um recurso provido pelo Supremo Tribunal Federal sobre a multa imposta como pena e também pode ter a pena diminuída por embargos infringentes, que serão analisados em 2014.