Mais Lidas

Ajuda da Interpol

CPI da Petrobras admite dificuldades de notificar Catta Preta

A maior dificuldade é porque ela está residindo no exterior

acessibilidade:

A CPI da Petrobras não deve marcar, de imediato, o depoimento da advogada Beatriz Catta Preta, que chegou a representar nove delatores da Operação Lava-Jato. A advogada renunciou aos três últimos casos, em meio à pressão para que compareça à comissão parlamentar.

Os integrantes da CPI admitem dificuldades para convocá-la, uma vez que estaria agora residindo no exterior. Eles não descartam acionar a Polícia Federal e a Interpol.

Entre os clientes da advogada estavam o lobista Júlio Camargo, que acusa o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de receber propina de US$ 5 milhões. A CPI quer que a advogada apresente a lista de seus clientes e detalhe a origem dos honorários que recebeu.(AE)