Eleições 2014

Comissão do Senado realiza debate sobre o voto impresso

A audiência é iniciativa do senador João Capiberibe (PSB-AP)

acessibilidade:

A Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) do Senado Federal discutiu nesta terça-feira (15) a utilização do voto impresso a partir das eleições de 2014. A audiência foi uma iniciativa do senador João Capiberibe (PSB-AP).

A sessão colocou em debate o Projeto de Lei do ex-senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), que anula a previsão legal da impressão do voto do eleitor a partir de 2014. De acordo com norma, o comprovante de votação deveria ser conferido e colocado, automática e sigilosamente, dentro da urna para auditoria posterior.

Durante a audiência, professores da Universidade de Brasília (UnB) e integrantes do Fórum do Voto Seguro na Internet afirmaram que o programa usado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não é seguro e defenderam que o processo eleitoral tenha um mecanismo que também confirme em papel a escolha do eleitor no momento da votação.

Especialistas defendem a bandeira de que o voto impresso seja confirmado na hora pelo eleitor e descartado imediatamente após a checagem, ainda na zona eleitoral. Com isso, é evitada a retomada da prática que ficou conhecida como ?voto de cabresto?, situações em que eleitores eram coagidos a votar em determinado candidato.

Já para Azeredo, que atualmente é deputado federal, as mudanças poderiam provocar aumento das filas para votação, mais votos nulos e brancos, maior número de urnas com defeito, por causa da impressão do voto, e aumento do número de eleitores com dificuldade para finalizar o voto.