Espionar é fácil

Chanceler cobra explicações sobre espionagem canadense

acessibilidade:

O ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo Machado, repudiou a violação da soberania nacional e dos direitos de pessoas e de empresas pela agência de inteligência canadense ao embaixador do Canadá, Jamal Khokhar. Em nota, ele demonstrou-se ‘indignado’ com a espionagem.

Após as revelações, ele convocou o embaixador do Canadá em Brasília para transmitir a indignação do Governo brasileiro e requerer explicações sobre a notícia de que as comunicações eletrônicas e telefônicas do Ministério de Minas e Energia e de alto funcionário do Ministério das Relações Exteriores estariam sendo objeto de espionagem por órgão de inteligência canadense.

Na rede social Twitter, a presidenta Dilma Rousseff disse que as novas suspeitas confirmam “razões econômicas e estratégicas” dessas práticas. Conforme reportagem veiculada pelo programa de televisão Fantástico, da Rede Globo, a Agência Canadense de Segurança em Comunicação (CSEC, na sigla em inglês) teria espionado telefonemas e e-mails do Ministério de Minas e Energia.