Reforma ministerial

Alvo do PMDB, Aguinaldo pode rodar este mês

Cidades deve marcar início da dança das cadeiras ministeriais de Dilma

acessibilidade:

Inicialmente cotado para permanecer no governo até março, o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), pode ser um dos primeiros a deixar o cargo na reforma ministerial, que deve acontecer a partir do próximo dia 15 de janeiro. A presidente Dilma não quer pagar o pato do ministro, que virou alvo do PMDB após deixar de empenhar emendas de 18 parlamentares da bancada, totalizando R$ 18 milhões.

No Planalto, chegou informação de que Ministério das Cidades enviou as emendas à Caixa Econômica depois das 16h do dia 31 de dezembro.

O PT e o próprio PP reclamam que também saíram prejudicados. O ministério estima que mais de R$ 60 milhões não foram empenhados.

Representante do PSDB na Comissão de Orçamento, Domingos Sávio diz que a oposição teve problemas na Saúde, Agricultura e Cidades.

Presidente do PP, o senador Ciro Nogueira (PI) é o mais cotado para assumir o ministério em lugar de Aguinaldo, que disputará as eleições. Leia mais na Coluna Cláudio Humberto