Reputação

Aplicativo Lulu incomodou até o Ministério Público

Ministério Público instaurou inquérito contra site de reputação masculina

acessibilidade:

passo-a-passo-do-aplicativo-lulu-abre-1385672154837_500x500As ?difamações? sobre a potência masculina por meio do ?Lulu? correm risco de acabar. A Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios instaurou inquérito civil público (ICP) contra o Facebook Serviços Online Ltda a Luluvise Incorporation. Chamado Lulu, o aplicativo usa informações do Facebook para montar um ?perfil? e dar nota ao ‘carinha’.

Ao instaurar o inquérito, a Promotoria quer apurar se o aplicativo é mesmo capaz de ofender direitos da personalidade de milhões de usuários do sexo masculino como tem sido reclamado.  As duas empresas têm prazo de cinco dias para prestar esclarecimentos sobre o assunto.

O  Lulu permite que apenas as mulheres, usuárias da rede social, façam, anonimamente, inúmeras avaliações dos homens, inclusive atribuindo notas sobre diversos aspectos pessoais como desempenho sexual, caráter e forma de interagir com as mulheres em relações íntimas. Essa situação evidencia ofensa a direitos existenciais de consumidores, particularmente à honra e à privacidade, ensejando medidas administrativas e, eventualmente, condenação por dano moral coletivo.